Em sessão, desembargador do Tribunal de Justiça do Amapá faz piadinha sexual




Mais um caso de ofensa através das sessões de tribunais através de videoconferência não escapou da corregedoria nacional do CNJ
Tiago Vasconcelos 
Em sessão, desembargador do Tribunal de Justiça do Amapá faz piadinha sexual
Desembargador Carlos Tork. Foto: Tribunal de Justiça do Amapá

Após testar positivo por Covid-19 em março, o desembargador responde agora a investigação por aparecer sem camisa durante sessão virtual do Tribunal de Justiça do Amapá, e na sequência, soltar palavrão por causa da carga de trabalho, queixando-se de que não lhe sobra tempo “nem para uma trepadinha”. O caso foi arquivado pelos colegas do TJAP, mas não escapou da corregedoria nacional do CNJ. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O ministro Humberto Martins, corregedor nacional, abriu procedimento para contra o desembargador do Amapá adepto da pornografia.

Também virou alvo o desembargador José Manzi, que fez piadinha pornô contra uma colega no Tribunal Regional do Trabalho catarinense.

O corregedor do CNJ tem tido trabalho redobrado, durante a pandemia, em razão de ofensas ao decoro, à ética e à lei, como no caso Santos.

Foi Humberto Martins que adotou as primeiras providências contra o desembargador Eduardo Siqueira, do TJSP, que humilhou um guarda.

Diariodopoder.com.br

 





Comentários


Comentar


Sidebar Menu