Aguinaldo Ribeiro vira réu



 Celso de Mello aceitou a denúncia contra o “quadrilhão do PP” e formou maioria no STF para tornar réus os deputados Aguinaldo Ribeiro, Arthur Lira e Eduardo da Fonte e o senador Ciro Nogueira, acusados de formar uma organização criminosa para desviar recursos da Petrobras.

No voto, o decano disse que sua avaliação da denúncia não significa uma “criminalização da política”, como alegaram as defesas no início do julgamento.

“Não identifico nem reduzo o PP a uma organização criminosa. Pelo contrário, a denúncia faz menção à cúpula do partido […] Não se está a criminalizar a política, mas incriminar aqueles que a teriam praticado sem integridade”, afirmou.

Também votaram pelo recebimento da denúncia Edson Fachin e Cármen Lúcia — com os três votos, será aberta ação penal contra os políticos, que poderão ser condenados ou absolvidos ao final do processo.

Votou pelo arquivamento do caso o ministro Gilmar Mendes





Comentários


Comentar


Sidebar Menu