Como resolver a tela azul no Windows 10

A tela azul é um dos erros mais clássicos do sistema da Microsoft, e o Windows 10 não escapa à regra. Também conhecida como "tela azul da morte", a falha é identificada por códigos muito genéricos, que não informam a origem do problema. Por isso mesmo, a solução pode envolver diversos procedimentos, que variam principalmente de acordo com o momento em que a pane acontece.

Neste guia, o TechTudo ensina várias ações que resolvem a situação, tenha ela ocorrido durante a atualização para o Windows 10, após um update do sistema ou mesmo durante o uso. Analise as circunstâncias em que a tela azul da morte apareceu e veja como eliminar a falha para voltar a usar o computador normalmente.

 
Windows 10 mostrando a tela azul da morte? Saiba como resolver  (Foto: Reprodução/Microsoft) Windows 10 mostrando a tela azul da morte? Saiba como resolver  (Foto: Reprodução/Microsoft)

Windows 10 mostrando a tela azul da morte? Saiba como resolver (Foto: Reprodução/Microsoft)

 

Durante a atualização para o Windows 10

 

Quando a tela azul aparece durante a atualização para o Windows 10, o processo de instalação é desfeito e o sistema volta à versão anterior. Há algumas medidas a a tomar antes de tentar atualizar o SO novamente.

1) Remova hardwares desnecessários

Desconecte todos os hardwares externos desnecessários à instalação, o que inclui itens como webcams, impressoras, monitores extras, HDs externos etc. Eles podem entrar em conflito com o sistema e causar a temida tela azul. Mantenha apenas o teclado, mouse e tela principal, caso você use um desktop. Se for um notebook, tire todos os componentes extras.

 
Desconecte periféricos e componentes desnecessários do computador antes da atualização para Windows 10 (Foto: Raquel Freire/TechTudo) Desconecte periféricos e componentes desnecessários do computador antes da atualização para Windows 10 (Foto: Raquel Freire/TechTudo)

Desconecte periféricos e componentes desnecessários do computador antes da atualização para Windows 10 (Foto: Raquel Freire/TechTudo)

 

2) Atualize os drivers

Drivers desatualizados podem causar problemas durante a instalação do sistema. Se você estiver executando a operação pelo Windows Update, o programa deverá baixar e instalar os drivers automaticamente. Mas é possível que haja erro nesse processo, ou mesmo que você não esteja utilizando a ferramenta da Microsoft, fazendo com que o Windows 10 entre em conflito com drivers desatualizados.

A saída é atualizar manualmente os drivers antes tentar instalar o Windows 10 de novo. Digite "Gerenciador de dispositivos" na busca do Windows e entre na ferramenta. Clique com o botão direito do mouse no driver possivelmente desatualizado e selecione "Atualizar driver". Na janela seguinte, entre em "Pesquisar automaticamente software de driver atualizado", opção que fará a busca pelo driver mais recente na Internet.

 
Atualização de driver antes da atualização para Windows 10 pode impedir tela azul (Foto: Reprodução/Raquel Freire) Atualização de driver antes da atualização para Windows 10 pode impedir tela azul (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

Atualização de driver antes da atualização para Windows 10 pode impedir tela azul (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

Caso a ferramenta não encontre nenhum software disponível, acesse o site da fabricante do componente e faça uma busca manual. Se você estiver querendo atualizar o driver de uma placa gráfica da Intel, por exemplo, entre no site da marca e verifique os programas liberados para o modelo instalado no seu computador.

3) Desinstale programas

Softwares antigos também podem apresentar incompatibilidade com o Windows 10 e gerar a tela da morte na atualização do sistema. Não dá para saber exatamente qual programa causa a falha, então o ideal é que você desinstale o máximo de aplicações possível. Remova tudo o que não estiver usando, principalmente os softwares mais antigos.

 

Para desinstalar um programa no Windows, abra o Painel de Controle e clique em "Desinstalar um programa". Selecione a ferramenta que você quer tirar e aperte o botão "Desinstalar". Repita a operação com todos os softwares que você julgar que podem estar originando o erro.

O fim de uma era



Exatamente 24 anos depois do seu lançamento, o MP3 finalmente está sendo aposentado. Na última sexta-feira (12), o Fraunhofer Institute, responsável pelo licenciamento do formato, anunciou que está encerrando o programa de licenças da codificação de áudio responsável por popularizar a música no formato digital durante os anos 1990 e 2000. Falando em bom português: o MP3 “morreu”.

 

Apesar de muito popular, há tempos o MP3 é reconhecidamente ultrapassado quando comparado com outros formatos disponíveis na atualidade, como OGG e AAC. Este, inclusive, foi apontado pelo Fraunhofer Institute como o novo padrão utilizados em downloads e streamings de músicas e vídeos na atualidade, o que também justifica a aposentadoria do formado criado pelo instituto alemão no final dos anos 80. Falando nisso: Existe diferença entre vídeo em streaming e "on demand"?
“Apesar de haver codecs de áudio mais eficientes e com recursos avançados, o MP3 ainda é bastante popular entre os consumidores”, registra o diretor de marketing, áudio e tecnologias de mídia do Fraunhofer, Matthias Rose. “Contudo, a maioria dos serviços de média, como streaming ou transmissões de rádio e TV, usam codecs ISSO-MPEG modernos como a família AAC ou, no futuro, o MPEG-H.”
O fim de uma era
Segundo o comunicado divulgado pelo instituto, os formatos mais modernos garantem “mais recursos e uma qualidade de áudio superior a muito menos bitrates do que o MP3”. Em suma, o formato que todos nós amamos e que deu nome a dispositivos de reprodução de áudio, além de ter levado ao topo e à lama programas como Napster e Kazaa, finalmente está saindo de cena.
É claro que outros desenvolvedores ainda vão apresentar novas atualizações para o formato, mas é difícil que ele tenha outro destino que não o ostracismo. A adoção cada vez maior dos formatos mais recentes deve, muito em breve, superar com folga o MP3. Assim, esses três caracteres clássicos se juntam ao disquete, ao VHS e à fita cassete no imenso e infindável cemitério da tecnologia.
FONTE(S)FRAUNHOFER INSTITUTE

Investimento? Bitcoin já está valendo mais que ouro



 O ouro tem como medida oficial a onça, em conversão, cerca de 31,1 gramas. Essa é a primeira vez, em oito anos de história, que a moeda é marcada oficialmente como mais valorosa que o metal precioso.

"Os investidores estão ficando mais confortáveis com a moeda digital, se tornando mais dispostos a comprá-la quando mercados mais convencionais, como ações, ficam sob coação", notou o Market Watch.


Mesmo assim, muitos investidores continuam céticos sobre a Bitcoin. Peter Schiff, chefe executivo da Euro Pacific Capital, comentou que a criptomoeda é o "ouro de tolo digital".

 


FONTE(S): MARKET WATCH

Rússia confirma existência de arma que transforma pessoas em zumbis



Você acredita em zumbis? Não? Então prepare-se para a notícia a seguir: de acordo com o jornal Herald Sun, a Rússia estaria testando uma arma psicotrônica capaz de controlar a mente das pessoas. A afirmação foi feita pelo próprio presidente do país, Vladimir Putin.

A arma futurista, que atinge o sistema nervoso central das vítimas, está sendo desenvolvida por cientistas e poderá ser usada contra nações inimigas e até mesmo dissidentes políticos que enfrentam o atual governo.

Putin descreveu a arma como um instrumento novo que pode servir para atingir objetivos políticos e estratégicos. Até mesmo alguns detalhes da "controladora de mente" foram divulgados. O que se sabe é que ela, por exemplo, dispara uma radiação eletromagnética de maneira semelhante aos fornos de micro-ondas, causando um grande desconforto em suas vítimas.

O ministro da defesa Anatoly Serdyukov disse que, em testes recentes, a arma foi usada para dispersar multidões. De acordo com relatos, a pessoa que recebeu a radiação da arma sentiu que a temperatura do corpo aumentou rapidamente. Apesar de alguns segredos de funcionamento não terem sido divulgados, o jornal alega saber do fato de que ondas de baixa frequência podem afetar células do cérebro, alterar o estado psicológico e até mesmo transmitir sugestões e comandos para o pensamento de alguém, como se fosse telepatia.

Talvez, a partir de agora, seja melhor você pensar muito bem na possibilidade de um apocalipse zumbi. Resta saber se eles serão os famosos comedores de cérebros, retratados constantemente nas telas do cinema.

Descoberta acidental pode resultar em baterias com vida quase infinita

Por melhor que seja a qualidade das baterias de íon-lítio disponíveis atualmente no mercado, fato é que elas têm ciclos de vida bastante delimitados. Após certo tempo de uso, é comum que smartphones, tablets e outros aparelhos não “segurem carga” da mesma forma que antes graças à degradação natural dos elementos químicos usados em sua produção.

Uma descoberta feita acidentalmente por pesquisadores da UC Irvine não soluciona totalmente esse problema, mas faz com que ele seja bastante minimizado. Ao substituir o lítio usado em baterias por uma mistura de nanotubos de ouro banhados em gel eletrolítico, eles conseguiram fazer com que um componente do tipo perdesse somente 5% de sua capacidade total após mais de 200 mil ciclos de recarga.

Nova bateria sobrevive a milhares de ciclos de recarga sem nenhuma degradação

Embora técnicas semelhantes já tivessem sido testadas no passado, pesquisadores ainda não haviam solucionado um problema recorrente. Apesar de nanotubos serem vistos como um “material do sonho” para a produção de baterias, eles se corroem com relativa facilidade após alguns milhares de ciclos em ambientes que usam lítio.

Surpresa bem-vinda

A maneira de prevenir que isso aconteça surgiu de forma acidental, quando os cientistas da UC Irvine revestiram o ouro utilizado com dióxido de manganês e trocaram o lítio por um gel eletrolítico. O gel e o manganês se fundiram em uma camada protetora que revestiu os tubos, resultando em uma bateria capaz de sobreviver a milhares de ciclos de recarga realizados em um período de três meses sem sofrer nenhuma degradação notável.

O que dificulta um pouco o uso comercial da solução é o fato de que o ouro não é exatamente o metal mais barato disponível na atualidade. Assim, embora ainda não tenham testado essa possibilidade, os pesquisadores acreditam que o níquel pode servir como um substituto à altura caso a solução algum dia comece a ser produzida em escala massiva.

Posso usar o computador quando chove?



 O Brasil é atingido anualmente por mais de 100 milhões de raios, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Entretanto, apesar da alta
incidência de raios e descargas elétricas, é possível usar o computador quando chove.

Descargas elétricas colocam em risco o funcionamento de aparelhos eletrônicos (Foto: pond5)

O ideal é que as tomadas da residência tenham aterramento elétrico, o que permite
a dissipação do excesso de energia no caso de fortes descargas elétricas impedindo que o aparelho seja afetado. Além disso, utilize sempre filtros de linha, estabilizadores e nobreaks para atenuar as variações elétricas e picos de energia. No caso específico de notebooks, é aconselhável que o usuário utilize o equipamento com a bateria – sem plugá-la à rede elétrica.
 

 

4 possibilidades para o apocalipse segundo Stephen Hawking

 O mundialmente famoso físico britânico Stephen Hawking foi convidado pela rádio BBC 4 para conversar sobre vários temas, e um deles era sua visão de “fim do mundo”. Hawking levantou quatro possiblidades para como a vida na Terra, ou pelo a vida dos humanos na Terra, poderia chegar ao fim.

Ele explica que, atualmente, nenhuma dessas possibilidades tem chances muito altas de se concretizar. Contudo, a cada ano, esses desastres se tornam mais possíveis, uma vez que as condições para isso estão se acumulando em velocidade considerável. Confira as quatro possibilites para o fim da humanidade segundo o físico.

1. Inteligência artificial

Assim como muitos cineastas e roteiristas, Hawking acredita que a criação de uma máquina com inteligência artificial plena, capaz de superar ou igualar a capacidade humana, seria algo muito perigoso.

“As máquinas iriam evoluir sozinhas, refazer o próprio projeto a uma velocidade cada vez maior. Humanos, que são limitados por uma evolução biológica lenta, não poderiam competir e seriam substituídos” disse ele à BBC.

Uma imensa variedade de filmes aborda essa possibilidade, sendo a franquia O Exterminador do Futuro a mais icônica dos tempos atuais.

2. Guerra nuclear

Hawking acredita que a proliferação de armas nucleares pelo mundo só torna a nossa situação mais perigosa. Caso uma guerra nuclear irrompa, o atual arsenal de armas desse tipo já tem capacidade para extinguir toda a vida no planeta.

3. Vírus criado

A engenharia genética é uma área muito importante para o avanço da ciência na área da saúde, mas é também a que mais levanta preocupações quanto a possíveis acidentes. Imagine se um vírus criado pelo homem acabasse escapando de um laboratório e infectasse todo mundo em uma pandemia?

“No longo prazo, fico mais preocupado com a biologia. Armas nucleares precisam de instalações grandes, mas engenharia genética pode ser feita em um pequeno laboratório. Você não consegue regulamentar cada laboratório do mundo. O perigo é que, seja por um acidente ou algo planejado, criemos um vírus que possa nos destruir. Não acho que a raça humana vai sobreviver aos próximos mil anos, a não ser que nos espalhemos pelo espaço. Há muitos acidentes que podem afetar a vida em um único planeta”, teme o físico.

4. Aquecimento global

Hawking acredita que, na pior das hipóteses, a Terra poderia se tornar um planeta como Vênus devido ao aquecimento global. Ele explica que esse efeito é uma das consequências mais graves da nossa ação no mundo. A partir de certo ponto, o aquecimento global poderia se tornar um ciclo vicioso em que, quanto mais quente, mais calor o planeta seria capaz de absorver do Sol.

“O derretimento das calotas polares vai reduzir a quantidade de energia solar refletida de volta para o espaço e, assim, aumentar ainda mais a temperatura. Não sabemos se o aquecimento global vai parar, mas o pior cenário possível é que a Terra se transforme em um planeta como Vênus, com uma temperatura de 250 graus na superfície e chuvas de ácido sulfúrico”, imagina Hawking.

 

Aplicativo desenvolvido na Paraíba atinge a marca de 100 mil usuários



 Uma startup paraibana criou um aplicativo que está dando o que falar. O InSpy permite o gerenciamento de informações do Instagram. Com ele, os usuários da rede social podem monitorar todas as curtidas e comentários de um determinado perfil de forma simples e organizada.

Em setembro deste ano, Juarez Batista, criador do aplicativo, viajou ao Vale do Silício para participar do Techcrunch Disrupt, considerado um dos maiores eventostecnologia do mundo. O convite foi feito pelo SebraePB, que selecionou dez startups da Paraíba para irem ao evento.

Dia 24 de outubro, o reconhecimento da importância do InSpy aconteceu em casa. Durante a terceira edição do Sebrae Startup Day, concorrendo com onze startups, o app levou o primeiro lugar. Além de receber o troféu, o aplicativo recebeu como prêmio a apresentação como startup convidada no evento Case 2015 em São Paulo; 100 horas de uso do coworking Jump, em Recife; um dia de visitas ao ecossistema de empreendedorismo de Recife (PD, Jump, Cesar e algumas startups); quatro horas de mentoria com atores do ecossistema de Recife entre eles empreendedores, investidores e consultores; um mês de coworking no ClubJob; e mentoria na Techmall de Minas Gerais.

A intenção é levar o InSpy para mais usuários fora do Brasil, por isso, o aplicativo está disponível para as plataformas iOS e Android em inglês, espanhol e português.

Nada mais que justo para um projeto que já tem parte dos adeptos morando fora do Brasil. Como explica melhor Juarez Batista Neto, “30% das pessoas que utilizam o aplicativo são americanas. Além de brasileiros, temos usuários nos Estados Unidos, Reino Unido, Turquia, Portugal, Canadá e diversos outros países. Ficamos muito felizes em receber essa premiação”.

Entre as pessoas que usam o InSpy estão principalmente pais que se preocupam com o que os filhos fazem nas redes sociais, casais e fãs que buscam informações sobre o ídolo.

Mais do que uma organização do feed de atividades dos usuários do Instagram, o InSpy tem a proposta de aproximar pessoas. “Para a maioria das pessoas, iniciar uma conversa é muito difícil. O InSpy possibilita que um usuário conheça melhor os gostos de quem ele segue e, com isso, encontre uma desculpa para se aproximar”, explica Juarez.

O aplicativo tem uma versão gratuita que permite ver até cinco interações por dia de cada perfil espiado, na qual o usuário pode ver os comentários e curtidas do seu amigo, paquera, filho, etc. Os mais curiosos podem aderir a versão paga por US$ 0,99 e desbloquear a versão ilimitada, que permite ver a atividade de um determinado perfil no Instagram.

No caso da versão paga, o usuário marca o perfil que quer seguir e recebe alertas quando seu “espiado” curtir ou comentar uma foto. Vale lembrar que quem é “espiado” não sabe que está sendo seguido.

AirBuddy: conecte seu dispositivo a outros aparelhos com tecnologia AirPlay



 AirBuddy é o app com o qual o usuário pode receber e enviar arquivos de mídia de dispositivos Android para outros aparelhos, inclusive com sistema iOS. A transmissão é feita pela rede ou através da tecnologia AirPlay. A ferramenta leva fotos, vídeos e músicas do Android para aparelhos como o Kindle Fire, Chromecast, Apple TV e Amazon TV.

Com este aplicativo o usuário pode parear dispositivos Android de maneira simples com outros aparelhos da mesma rede doméstica. Seu grande diferencial é a possibilidade de ampliar o compartilhamento de arquivos com produtos da Apple. De forma simples, ele permitir parear o Android com Mac e com uma Apple TV através da tecnologia AirPlay.

Mas não é só isso. O aplicativo amplia as possibilidades de pareamento do sistema operacional do google com diversos dispositivos. O usuário pode vincular seu aparelho com um iPad, iPhone e iPod Touch e computadores que tenham o iTunes instalado. Ele também permite a transmissão de mídias entre outros dispositivos Android que tenham o AirBuddy instalado.

O AirBuddy também pode ser utilizado em conjunto com o app oficial do YouTube para transmitir os vídeos acessados no celular ou no tablet para qualquer um dos dispositivos suportados como a Apple TV e outros aparelhos. Faça já download do AirBuddy e disfrute!

Microsoft diz que Windows 10 estará disponível em 29 de julho



 A Microsoft disse nesta segunda-feira (1º) que seu novo sistema operacional Windows 10 estará disponível globalmente em 29 de julho, como uma atualização gratuita para usuários das versões mais recentes do Windows.

A maior empresa de software do mundo disse mais cedo que o Windows 10 seria lançado neste verão do hemisfério Norte.

O Windows 10, que traz de volta o menu Iniciar e roda em PCs, tablets e smartphones, é a mais recente tentativa da Microsoft de ganhar usuários de dispositivos móveis e tem um novo navegador denominado "Edge".

Ele será oferecido como uma atualização gratuita para usuários do Windows 7 e 8.1, estratégia anunciada em janeiro, desenhada para capturar o máximo de usuários possíveis.

A Microsoft também disse que novos PCs e tablets que rodam Windows 10 serão vendidos a partir de 29 de julho, enquanto o Windows 10 para outros aparelhos como smartphones estará disponível mais tarde neste ano.

 

Seinfra promete 568 ruas pavimentadas e 10 banheiros públicos na orla



 
Em 2016 três bairros da Capital ganharão pelo menos 6 km de ciclofaixa, 568 ruas terão pavimento, haverá 10 banheiros públicos na orla, além da duplicação do acesso à Praia do Sol. Foi o que adiantou o gestor da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), Cássio Andrade, na tarde desta quarta- feira (27), em audiência pública na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), na qual apresentou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) da entidade para o próximo exercício.

Uma das metas para o sistema viário em 2016 é pavimentar com asfalto e paralelepípedo 568 ruas da Capital. Destas, 442 pontos estão nas Zonas Sul e Sudeste e 126 espalhados por diversos bairrosde João Pessoa.

Na orla marítima, a intenção será construir 10 banheiros públicos, além de reurbanizar a Praia doSol, que receberá a duplicação das vias de acesso, iluminação, portal de entrada e padronização de barracas.

Serão implantados pelo menos 6 km de ciclovias em João Pessoa, abrangendo a priori a Avenida Raniere Mazilli, no Cristo Redentor, na Avenida Dois de Fevereiro, no Rangel, e na Avenida José Américo de Almeida, na Torre.


“As obras do Parque Solon de Lucena, a Lagoa, irão se estender para 2016, e haverá uma intervenção para alargar a Avenida Duarte da Silveira, a Beira Rio, com ciclovias e calçadas padronizadas no trecho”, confirmou o gestor.


“Em 2016 vamos pavimentar 126 ruas oriundas do Orçamento Participativo (OP). Os recursos serão de convênios com o Governo Federal, com drenagem e padronização das calçadas. A drenagem é uma questão preocupante, pois temos uma rede antiga e que tem sempre a necessidade de ser ampliada e melhorada. Também vamos intensificar o trabalho nos pontos críticos, principalmente nos focos de alagamento”, adiantou Cássio Andrade.

Neste ano, a Seinfra passou a ser responsável pela iluminação pública e em 2016 vai atuar fortemente em locais de trechos que se expandiram em João Pessoa, como em Gramame, na Zona Sul. As melhorias também terão mais ênfase nos bairros Jardim Cidade Universitária, Mangabeira VII, Cidade Verde, Bairro das Indústrias, Bessa, Treze de Maio e Castelo Branco.

Coordenaram a audiência em mesa os vereadores Dinho (PR), como presidente, e Eliza Virgínia (PSDB), como secretária. Raoni Mendes (PDT) participou do Plenário. Este foi o quarto dia de audiências públicas para discutir a LDO 2016.


Ascom

Sidebar Menu