João é o menos rejeitado para o Governo da Paraíba entre os três primeiros colocados, revela pesquisa




Por Redação Paraíba Já 


Pesquisa realizada pelo Instituto Consult sobre a disputa pelo Governo da Paraíba revela que o candidato do PSB, João Azevêdo, é menos rejeitado pelo eleitorado entre os três primeiros colocados. O levantamento realizado entre os dias 8 e 12 deste mês mostra que apenas 9,1% dos entrevistados responderam que não votariam de “maneira alguma” no socialista.

A pesquisa Consult mostrou, ainda, que o candidato mais rejeitado entre o eleitorado paraibano é o senador José Maranhão, candidato do MDB, que foi citado 23% dos entrevistados.

Na segunda colocação, ficou o candidato do PV, Lucélio Cartaxo, com índice de rejeição de 12,9%. Tárcio Teixeira, do PSOL, registrou 5% de rejeição, enquanto Rama Dantas, do PSTU, foi citada por 4,4% dos entrevistados.

Preferência do eleitor

Na contramão da pesquisa que aufere o índice de rejeição dos candidatos, com 12,25% das intenções de voto, João Azevêdo aparece isolado na primeira colocação da preferência do eleitorado no levantamento espontâneo, quando o entrevistador não oferece opções de nomes para o entrevistado.

Em segundo luar, ficou o senador José Maranhão (MDB), com 6,95%, praticamente a metade das intenções de voto do candidato socialista. Na terceira posição, está o candidato do PV, Lucélio Cartaxo, com 5,65%.



Já na pesquisa estimulada, quando o entrevistador apresenta ao entrevistado os nomes dos candidatos, Maranhão passa a ser o mais lembrado, com 22,50% das intenções de voto; João Azevêdo tem 21,35%; Lucélio Cartaxo, 16,20%; Tárcio Teixeira, 1,75%; e Rama Dantas, 0,10%.

Dados da pesquisa

Realizada entre os dias 8 e 12 deste mês, a pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número PB 03853/2018. Foram realizadas 2 mil entrevistas em sete regiões do Estado. Os resultados estão sujeitos a um erro máximo permissível de 2.0%, com confiabilidade de 95%.

O Instituto Consult abordou o eleitor sob as candidaturas de presidente, governador, senador, deputados federal e estadual e, ainda, avaliação do governo Ricardo Coutinho (PSB).

Veja gráfico abaixo

Aposentados começam a receber este mês 1ª parcela do décimo terceiro




Depósito do benefício será feito na folha do INSS, entre os dias 27 de agosto e 10 de setembro, conforme a Tabela de Pagamentos de 2018

Por: Agência Brasil

Aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começam a receber, ainda este mês, a antecipação da primeira parcela do abono anual, o décimo-terceiro salário. O depósito do benefício será feito na folha do INSS, entre os dias 27 de agosto e 10 de setembro, conforme a Tabela de Pagamentos de 2018.

Terão direito à primeira parcela do abono anual 30 milhões de beneficiários. O governo federal estima que a antecipação vai injetar na economia aproximadamente R$ 20,6 bilhões, nos meses de agosto e setembro. A primeira parcela corresponde a 50% do valor do décimo terceiro.

Não haverá desconto de Imposto de Renda (IR) na primeira metade do abono. De acordo com a legislação, o IR sobre o décimo terceiro somente será cobrado em novembro e dezembro, quando for paga a segunda parcela.

Aposentados e pensionistas receberão 50% do valor do benefício. A exceção é para quem passou a receber o benefício depois de janeiro de 2018. Nesse caso, o valor será calculado proporcionalmente.

Quem recebe

Por lei, tem direito ao décimo terceiro quem, durante o ano, recebeu benefício previdenciário de aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio-reclusão ou salário-maternidade. No caso de auxílio-doença e salário-maternidade, o valor do abono anual será proporcional ao período recebido.

Aqueles que recebem benefícios assistenciais, como Benefício de Prestação Continuada (BPC), da Lei Orgânica da Assistência Social (BPC/LOAS e Renda Mensal Vitalícia – RMV) não têm direito ao abono anual.

Obra do primeiro lote do canal Acauã/Araçagi será entregue até dezembro



Tiaolucena.com.br
O Governo do Estado conclui até o próximo mês de dezembro o lote 1 das obras de construção do Canal Acauã/Araçagi. A obra está em ritmo acelerado com um efetivo de mais de 800 funcionários e 250 equipamentos em funcionamento. O lote 2, que também está com o andamento da obra conforme planejamento, está aproximadamente 40% concluído. A execução está sendo realizada por meio da Secretaria de Estado da Infraestrutura, dos Recursos Hídricos, do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia (Seirhmact), com investimento de mais de R$ 1 bilhão.

De acordo com o secretário da Seirhmact, Deusdete Queiroga, a obra do Canal Acauã/Araçagi está em ritmo acelerado, para que o primeiro lote seja entregue até dezembro. “Nos últimos 12 meses foram medidos e pagos pela obra o equivalente a mais de R$ 100 milhões ”, afirmou Deusdete.

O Sistema Adutor das Vertentes Litorâneas da Paraíba (Canal Acauã/Araçagi) terá 130,44 km, levando água de Araçagi até o rio Camaratuba, cortando vários municípios, o que possibilita cerca de 16 mil hectares de irrigação, contribuindo para o crescimento e o desenvolvimento da região. É a maior obra hídrica do Estado da Paraíba, beneficiando 600 mil habitantes de 38 municípios. O sistema está projetado para operar totalmente por gravidade e transportar vazões que variam de 10 m³/s em seu trecho inicial a 2,5 m³/s no trecho final. A obra é constituída por 15 segmentos de canais com seção trapezoidal, cinco trechos em sifões invertidos, construídos em tubulações de aço (1900/1850/1700mm), galerias sob ferrovia e rodovia BR-230 e sete aquedutos.

A obra, cujo projeto foi dividido em três lotes e subdividido em etapas úteis, tem como finalidade promover o suprimento regular de água bruta aos municípios da planície costeira do interior do Estado. O projeto é composto por um conjunto de obras formado por tomada d’água, canais, adutoras em sifões e aqueduto, que são complementadas por obras especiais ou localizadas, tais como estruturas de concordância canal/tubulações, canal/aqueduto, pontes, passarelas, bueiros, galerias, entre outros.

A captação de água se dá no Açude Acauã (Barragem Argemiro de Figueiredo) localizada no baixo Rio Paraíba, ao sul do Estado. A partir da tomada d’água, o sistema adutor avança em direção ao norte até desaguar em um afluente do Rio Camaratuba. O sistema adutor cruza as bacias dos rios Gurinhém, Miriri, e Mamanguape/Araçagi, integrando-as, e promove implantação de obras do empreendimento em áreas dos municípios de Itatuba, Mogeiro, Salgado de São Felix, Itabaiana, São José dos Ramos, Riachão do Poço, Sobrado, Sapé, Mari, Cuité de Mamanguape, Araçagi, Itapororoca e Curral de Cima.

A triste sina do pássaro tucano e a boa vida do tucano de gravata



 Tiaolucena.com.br

O tucano, pássaro majestoso, não merecia a triste sina de se transformar em sinônimo de corrupto. Mas é isso que está acontecendo no Brasil. Infelizmente. São tantos tucanos na fila para trocar as vestes coloridas pelas listradas da cadeia, que a gente fica com pena do pássaro. O pobre vai terminar sendo contaminado pelos que lhe tomaram, de assalto, o até então imaculado nome.

Não que seja exclusividade do tucanato o termo. Há corruptos para todos os gostos e em quase todas as casas deste país. A única diferença reside no tratamento diferenciado que os bicudos recebem. Enquanto as outras moradas ficam desfalcadas dos seus membros, levados na marra a morar na cadeia, a mansão dos tucanos permanece impenetrável, intocável e impunível.

Alguns pássaros pequenos são condenados para servirem de tapias. São os filhotes mais feios, menos plumosos e desencantados.

Como os daqui da Paraíba.

As garras punitivas da justiça se apressam a cortar as asas dos pequenos, dos prefeitos de cidades menores, sem dispensar a mesma “cordialidade” aos tucanos glutões e mais coloridos.

Já foram depenados os tucanos de Bayeux, de Cabedelo e agora o de Patos. Tem alguns tucaninhos melados de bosta lá do sertão do coronel esperando a hora de trocar as penas pelos casacos listrados do Serrotão. Mas fica nisso, só nisso, não sai disso.

Cadê que bolem nos tucanos de Minas? Cadê que bolem nos tucanos de São Paulo? Até mesmo nos tucanos frondosos da Paraíba?

O Brasil não pune tucano.

Porque no Brasil só é criminoso e vai preso quem é sabiá, periquito, cancão ou sibito.

Alguns vão em cana sem culpa formada ou sem prova que os incrimine.

Mas se virar tucano, é solto na hora.

Rosa sinaliza que TSE negará registro a inelegíveis mesmo sem ser provocado




Josias de Souza 


Em rápida entrevista concedida após sua posse na presidência do Tribunal Superior Eleitoral, a ministra Rosa Weber declarou que qualquer ministro da Corte pode negar, em decisão solitária, o pedido de registro de um candidato ficha-suja. Não mencionou nomes. E fez questão de realçar que falava em tese. Mas o pano de fundo da conversa era o pedido de registro da candidatura presidencial de Lula, a ser formalizado pelo PT nesta quarta-feira.

Perguntou-se à ministra se o TSE pode negar prontamente o registro de candidatos que, condenados na segunda instância do Judiciário, estejam enquadrados na Lei da Ficha Limpa. E ela: “Pode haver ou não impugnação. Se não houver, há resolução no TSE de que pode haver o exame de ofício. Não será impugnação, será um indeferimento de ofício à compreensão de que não estão presentes ou as condições de elegibilidade ou alguma causa de inelegibilidade. Eu estou falando em tese e observados os termos legais. Agora, cada caso é um caso”.

Traduzindo para o português do asfalto: A impugnação é a contestação que uma candidatura pode sofrer de adversários ou do Ministério Público. Mesmo que nenhum questionamento chegue ao TSE, esclareceu Rosa Weber, resolução do tribunal autoriza o relator do pedido de registro de determinada candidatura a promover o indeferimento por conta própria. No jargão técnico, o ministro decidirá “de ofício.” Antecessor de Rosa no comando do TSE, o ministro Luiz Fux dissera que, no caso de Lula, a inelegibilidade é “chapada”. Ou seja: o indeferimento do registro é incontornável.

Antes da entrevista, Rosa Weber dissera, em discurso: “Os desvios, as deficiências na educação e na cultura, a desigual distribuição da riqueza, a corrupção de agentes públicos e privados não podem obscurecer a ideia de um poder que emana do povo e em seu nome será exercido.” Mencionou a necessidade de assegurar a “lisura” e a “transparência” do processo eleitoral. Emendou: ‘‘A certeza que tenho é de que o TSE cumprirá a sua missão, com firmeza.‘‘ 

 

A hipótese de um indeferimento rápido do registro da candidatura de Lula vai na contramão dos desejos do PT. Embora não admita, a cúpula do partido já trata a negativa da Justiça Eleitoral como fava contada. Mas a defesa de Lula equipou-se para empurrar a decisão do TSE com a barriga até meados de setembro. O petismo quer apresentar Lula como candidato na propaganda eleitoral da TV, que começa a ser exibida em 31 de agosto. No limite, o PT gostaria que a foto de Lula fosse implantada na urna eletrônica antes do indeferimento do pedido de registro.

A procuradora-geral da República Raquel Dodge também discursou na cerimônia de posse de Rosa Weber. Sem mencionar Lula nem o PT, ela deixou bem claro que a Procuradoria pegará em lanças contra a estratégia petista: “É tarefa da Justiça Eleitoral anunciar ao eleitor, o quanto antes e com segurança jurídica, quem são os reais concorrentes, ou seja, os que têm capacidade eleitoral passiva e podem ser votados.”

Nas palavras da chefe do Ministério Público Federal, ‘‘recursos protelatórios também não podem ter efeitos suspensivos com o propósito de influenciar o resultado das eleições, sobretudo quando temos um calendário eleitoral tão curto.‘‘ Para ela, a Lei da Ficha Limpa, chamada tecnicamente de Lei das Inelegibilidades, “deve ser assegurada, para que só os elegíveis concorram e os inelegíveis não financiem suas pretensões com recursos públicos.

Sidebar Menu