Damião e seu PDT já na oposição: Lupi revela que os “Feliciano” não estão com João em 2022

 
Publicado por: Gerlane Neto em 30/10/2020 às 09:12

Polemicaparaiba
joão - Damião e seu PDT já na oposição: Lupi revela que os "Feliciano" não estão com João em 2022

Conforme as declarações dadas pelo presidente nacional do PDT, Carlos Lupi durante entrevista ao programa Arapuan Verdade, na quinta-feira (29), o PDT em João Pessoa vem trilhando caminhos, pensando em um futuro não muito distante. Mas, para dar certo o governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania) seria carta fora do baralho.

Carlos Lupi afirmou que a estratégia de ter duas vices – Lígia no estado e Mariana em João Pessoa caso Edilma vença as eleições – “fortalece o partido para uma candidatura à presidência da República em 2022”.

As intenções do PDT, que não encaixa João, giraria em torno do possível lançamento do nome de Lígia para senadora, com Cartaxo disputando o Governo do Estado e tendo como vice um indicado do PT, visando o apoio à candidatura da chapa de Ciro Gomes (PDT) e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à presidência da República, em 2022.

Toda essa trama política antecipada do PDT, se dá porque Lígia nem sequer tentou ser candidata a senadora na chapa de João Azevêdo em 2018. Poderia ter sido eleita e estaria com 8 anos de mandato. Agora, seu esposo, o presidente estadual do PDT da Paraíba, deputado federal Damião Feliciano, acha que o governador já teria direcionado a vaga de 2022 ao deputado Aguinaldo Ribeiro, do Progressistas.

Ainda durante a entrevista, Carlos Lupi classificou o prefeito da Capital como principal liderança do Estado e afirmou que a aliança entre os partidos “representa o futuro político da Paraíba.”

leia mais em https://tribunapb.com.br/2020/10/30/lupi-vem-a-paraiba-e-revela-o-que-os-feliciano-estavam-tramando-em-segredo/


Prefeitura de João Pessoa define banca organizadora de concurso para mais de 600 vagas

 

Imagem ilustrativa

Portal WSCOM

A Prefeitura de João Pessoa definiu a empresa de Assessoria em Organização de Concursos Públicos (AOCP) como a escolhida para ser organizadora do concurso com 601 vagas, em diversas áreas, e que deve ter o edital lançado ainda neste ano. A decisão foi publicada no semanário oficial do município.

O concurso público deverá oferecer vagas para os níveis médio e superior para os cargos de engenheiro, arquiteto, assistente administrativo, sanitarista, médico, farmacêutico, assistente social em saúde, biomédico, enfermeiro, fisioterapeuta, nutricionista, psicólogo, técnico de enfermagem, técnico em laboratório, técnico em radiologia, técnico em imobilização ortopédica e condutor de ambulância.

De acordo com cronograma pré-estabelecido, o edital de abertura do concurso deve ser publicado até 31 dezembro e as provas aplicadas até 28 de fevereiro de 2021. À época da assinatura do TAC, o município se comprometeu a convocar e nomear todos os aprovados até 31 de março de 2021.


RC diz que irá recorrer de pedido do Patriota para retirada do guia com Lula

Nesta sexta-feira (30), a assessoria do candidato a prefeito em João Pessoa e ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) declarou que irá recorrer sobre a representação feita pelo Patriota, que solicita a retirada de Lula do guia eleitoral do PSB.

Ainda conforme a assessoria, a coligação ainda não foi notificada oficialmente, mas em caso de notificação, irá entrar imediatamente com o recurso.

Leia Também:
Ruy quer modernizar educação de JP e capacitar professores para novas tecnologias
No pedido de suspensão da propaganda de RC o Patriota alega que o pronunciamento do ex-presidente foi transmitido durante todo o tempo de guia, o que fere a legislação, que prevê o uso de apenas 25%, além de que Lula por ser do PT, não poderia participar do guia do PSB, já que o PT tem candidatura própria em João Pessoa.

PB Agora


10%? Revista Carta Capital começa a desvendar as manipulações da Operação Calvário

Sempre estranhei as razões pelas quais os famosos áudios vazados para imprensa, envolvendo diálogos entre Ricardo Coutinho e Daniel Gomes, não foram divulgados completos. O motivo para essa desconfiança era a impossibilidade de conhecer o contexto em que essas conversas aconteceram.

Esse mistério começa a ser desvendado a partir de agora. Matéria da revista Carta Capital dessa semana trata da perícia feita a pedido dos advogados de Ricardo Coutinho nos tais áudios.

O resultado é estarrecedor. “Quando se analisa a conversa na íntegra, o sentido espúrio atribuído pelos procuradores à conversa perderia completamente o sentido”, constata a revista.

Na degravação a qual a Carta Capital teve acesso, refere-se a um dos tantos encontro entre Ricardo Coutinho e Daniel Gomes para tratar das unidades de saúde administradas pela Cruz Vermelha (Hospital de Trauma de João Pessoa e Hospital Geral de Mamanguape).

No caso do famoso diálogo, divulgado como uma negociata entre os dois – lembram da taxa de propina de 10% e do 13° que Coutinho disse estar assegurado? – o assunto foi a aquisição de equipamentos para o Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, de Santa Rita, que estava prestes a ser inaugurado.

Vamos ao que diz a revista:

No excerto apontado como criminoso, Gomes afirma: “Consigo trabalhar seguramente com 10%”. Coutinho pergunta: “Mas isso no começo ou no fim?” Gomes responde: “Posso fazer quando o senhor fizer a primeira entrada aqui, eu já consigo viabilizar parte, posso adiantar”.

É impossível para quem lê ou ouve o diálogo completo concluir que essa conversa tem relação com alg na negociação de propina, a não ser por má-fé.

Conclua por você mesmo/a a partir do trecho do diálogo que veio em seguida, citado pela revista:

“Eu só não consigo financiar os itens pequenos, mas os itens pequenos, governador, se eu tiver 3 milhões de reais, eu compro todos os pequenos. O resto todo eu consigo parcelar. Agora, quanto mais eu pagar à vista, eu consigo melhor preço, essa é a única vantagem”.

Segundo constatou a perícia, os 10% mencionados não se tratavam de percentual de propina. Segundo a Carta Capital, 10% correspondia à “entrada inicial para a aquisição de ‘itens pequenos’ em relação ao total do montante investido na unidade. Se comprados à vista, o governo obteria desconto na operação. Seria esta a discussão.”

Vou me abster de mais comentários para deixar os/às leitores tirarem suas próprias conclusões.

Depois eu volto para tratar de outro assunto dessa conversa: o 13° que Ricardo Coutinho nunca pediu nem, claro, jamais recebeu.

blogdoflaviolucio

 


Agassiz Almeida desafia Operação Calvário a debater publicamente seus métodos

O professor de Direito Constitucional, Agassiz Almeida, estreou no mundo das lives.

Fez isso para manifestar seu estranhamento em relação à atitude da Associação Paraibana dos membros do Ministério Público que procurou, e conseguiu, o apoio de Associação Nacional da categoria para processar o professor por suas críticas à Operação Calvário, para ele, uma operação que usa métodos lavajatistas.

Agassiz deixou claro que suas críticas nunca foram ao Ministério Público, mas a determinadas ações de membros da instituição que atuam na Operação Calvário. Além desses esclarecimentos, e depois de dizer que seja uma demonstração de humildade aceitar o debate sobre suas críticas, o professor desafiou a Operação Calvário para um debate público sobre o que considera ser inconstitucional e, portanto, ilegal nas ações dos promotores envolvidos na rumorosa operação.

Eis uma boa pauta para a nossa imprensa, sobretudo a do rádio. Interessa ou não à sociedade conhecer o trabalho de alguns membros do Ministério Público e debater procedimentos que tantos especialistas em Direito, não só Agassiz Almeida, criticam.

Resta saber se a alguma rádio toparia esse debate, e se a Operação Calvário aceitaria debater seus procedimentos.

Flavio Lucio

 


País só voltará a ter superávit primário em 2027, projeta ministério

 
Impacto de gastos com pandemia subiu para R$ 615 bilhões

Governo pretende economizar R$ 97 milhões com licitação centralizada
Fachada do Ministério da Economia, na Esplanada dos Ministérios. Foto: Geraldo Majela/Agência Senado

As despesas com o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus adiaram as projeções para o reequilíbrio das contas públicas. Segundo relatório divulgado hoje (30) pela Secretaria Especial de Fazenda do Ministério da Economia, somente em 2027 o país voltará a registrar superávit primário (resultados positivos nas contas do governo sem os juros da dívida pública).

O relatório elevou, de 12,5% para 12,7% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos) a previsão de déficit primário para o setor público em 2020. Em valores, a projeção de resultado negativo subiu de R$ 895,9 bilhões para R$ 905,4 bilhões. A conta inclui tanto o déficit da União, como de estados, municípios e empresas estatais.

A projeção anterior havia sido apresentada no fim de setembro. O principal responsável pelo aumento no déficit são os gastos extras com a pandemia de covid-19. O relatório elevou de R$ 607,2 bilhões para R$ 615 bilhões a previsão de impacto no resultado primário das medidas de combate à doença e de sustentação da economia.

NotíciasRelacionadas
Dez capitais apresentam sinais de crescimento de covid-19, diz Fiocruz
TSE facilita apoiamento à criação de novos partidos por conta da pandemia
Os principais responsáveis pelo aumento na projeção de gastos foi a prorrogação da alíquota zero do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre operações de crédito até 31 de dezembro e novos créditos extraordinários no orçamento de 2020.

Evolução
De 12,7% do PIB de déficit primário em 2020, o resultado negativo encolheria para 3,1% do PIB em 2021 e cairia continuamente até 2026, segundo o cenário apontado no relatório. A partir de 2027, o país voltaria a ter contas públicas no azul, registrando superávit primário, que continuaria a crescer até atingir 1,3% do PIB em 2029.

Se forem considerados todos os compromissos a serem honrados neste ano, a necessidade de financiamento deverá alcançar 17,2% do PIB no fim de 2020, apontou o relatório. “Além de enfraquecer a atividade econômica, a crise do coronavírus gerou despesas adicionais para o governo e prejudicou a arrecadação, resultando em um déficit primário extraordinariamente elevado”, informou o documento. Tanto a necessidade de financiamento como o déficit primário são cobertos por meio da emissão de títulos da dívida pública.

As projeções para levaram em conta as estimativas das instituições financeiras divulgadas no boletim Focus, do Banco Central, em 19 de outubro: encolhimento de 4,98% do PIB neste ano, inflação de 2,6% pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e déficit primário de 12,7% do PIB em 2020. A taxa Selic (juros básicos da economia) começaria 2021 em 2% ao ano e subiria gradualmente para 6% ao ano até 2024.

Pelas projeções do Ministério da Economia, o PIB cresceria 3,5% em 2021 e subiria, em média, 2,5% ao ano entre 2022 e 2029.

Impacto
Para calcular o impacto de R$ 615 bilhões dos gastos com a pandemia, a equipe econômica considerou redução de R$ 27,5 bilhões na arrecadação em 2020, contra queda de R$ 20,6 bilhões no relatório divulgado em setembro. Para as despesas, a previsão foi levemente ajustada de R$ 586,6 bilhões para R$ 587,5 bilhões.

As estimativas de impacto no orçamento das medidas financeiras, que não interferem no déficit primário, foram mantidas em R$ 3,813 trilhões. Entre essas ações, estão o saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, medidas de apoio ao crédito de bancos oficiais e renegociação de dívidas com estados e municípios. (Agência Brasil)


Dez capitais apresentam sinais de crescimento de covid-19, diz Fiocruz


Alta em longo prazo é prevista em Aracaju, Florianópolis, Fortaleza, João Pessoa, Macapá, Maceió e Salvador

Quem não usar máscara será multado a partir de hoje, no Distrito Federal
Mulher caminha de máscara em rua de Águas Claras (DF). Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

O boletim InfoGripe, divulgado semanalmente pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), mostra que dez capitais brasileiras apresentam sinal de crescimento moderado, probabilidade maior que 75%, ou forte, probabilidade maior que 95% na tendência de longo prazo (seis semanas) de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e de covid-19.

Os casos notificados e óbitos no país apresentam ocorrência muito alta, segundo o boletim. O coordenador do InfoGripe, pesquisador Marcelo Gomes, observou que 20 das 27 capitais apresentam sinal de estabilidade ou crescimento na tendência de longo prazo.

Em Aracaju, Florianópolis, Fortaleza, João Pessoa, Macapá, Maceió e Salvador há sinal forte de crescimento no longo prazo. Nas capitais, Belém, São Luís e São Paulo, observa-se sinal moderado de crescimento do número de infectados para a tendência de longo prazo, acompanhado de sinal de estabilização na tendência de curto prazo.


As capitais, Belém, Florianópolis, Fortaleza, João Pessoa, Macapá, Salvador e São Luís já completam ao menos um mês com manutenção do sinal de crescimento na tendência de longo prazo em todas as semanas.

Já a capital paulista apresenta sinal de crescimento a longo prazo pela primeira vez desde o início do processo de queda, embora já venha dando sinais de possível interrupção da tendência de queda. Porto Alegre apresentou sinal de estabilização tanto na tendência de curto quanto de longo prazo.

Cautela necessária
Marcelo Gomes destacou a necessidade de cautela em relação às próximas semanas, especialmente em relação a eventuais avanços nas ações de flexibilização das medidas para diminuição do contágio na capital gaúcha.

Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, não confirmou sinal de estabilização na tendência de longo prazo, retornando ao sinal de queda nesse indicador. Segundo o coordenador do InfoGripe, embora a tendência de curto prazo tenha mantido sinal de estabilização, ainda é preciso cautela em relação a ações de flexibilização.

“Como já relatado em boletins anteriores, identificamos diferença significativa entre as notificações de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) no estado do Mato Grosso registradas no sistema nacional Sivep-Gripe e os registros apresentados no sistema próprio do estado. Tal diferença se manteve até a presente atualização”, avaliou Marcelo Gomes.

Macrorregiões
Em 12 das 27 unidades federativas observa-se tendência de longo prazo com sinal de queda ou estabilização em todas as respectivas macrorregiões de saúde. Nos demais 15 estados, Amapá, Pará e Tocantins (Norte), Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, e Sergipe (Nordeste), Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo (Sudeste), Rio Grande do Sul e Santa Catarina (Sul), e Mato Grosso do Sul (Centro-Oeste) há ao menos uma macrorregião estadual com tendência de curto e/ou longo prazo com sinal moderado ou forte de crescimento.

Dados
A análise refere-se à semana epidemiológica de 18 a 24 de outubro e tem com base os dados inseridos no Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe) até o dia 27 deste mês. (Com informações da Agência Brasil)

Diariodopoder.com.br

 


Bolsonaro deve promover em janeiro uma ‘ampla’ reforma ministerial

 
Ideia é contemplar a nova realidade política para a segunda metade do mandato

Medidas de ajuste fiscal podem gerar economia de R$ 816 bi em dez anos
Ideia é contemplar uma nova realidade política para a segunda metade do mandato. Foto: Marcello Casal Jr ABr

O presidente Jair Bolsonaro deve iniciar a segunda metade do seu mandato, em janeiro, com uma reforma que os líderes do governo já classificam de “ampla”, a fim de contemplar uma nova realidade política à qual teve de se render: o apoio dos partidos do centrão, que o próprio governo classifica de “tranquilizador”, e a eleição para renovar as mesas diretoras do Senado e da Câmara. A maioria dos ministros será trocada. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Até líderes governistas que não integram o centrão admitem ser preciso “ajustar” o ministério ao novo desenho da base parlamentar do governo.

Ainda não está claro se Bolsonaro vai ceder ao “presidencialismo de coalizão”, adotado por todos os seus antecessores.

Os mesmos líderes dizem que a eleição para as presidências da Câmara e do Senado será considerada, na formação do novo ministério.

Ministros da Casa Civil, Economia, Agricultura, Infraestrutura, Defesa, GSI, Relações Exteriores e outros, do “núcleo duro”, devem continuar.

Diariodopoder.com.br

 


Livro sobre o Mundo pós-pandemia ganha lançamento digital

 

 

Com organização de Bogado Lins, “@Normal” reúne dezessete contos de premiados autores brasileiros e latinos, já está disponível na Amazon

 

Enquanto o mundo aguarda uma vacina contra o coronavirus, escritores brasileiros já se debruçam na criação de narrativas sobre a sociedade que herdaremos, com todas as implicações em decorrência do impacto da pandemia. Assim nasce o e-book @Normal, uma coletânea de contos com narrativas de um mundo pós-pandemia da Covid 19, já disponível na Amazon (https://amzn.to/35GF4Yi, Preço: R$ 7,99). Ao todo, são dezessete textos com estilos e abordagens diferentes:viagens pelos sonhos, consultorias especializadas em controle de vírus, uma sociedade autoritária distópica no subúrbio do Rio e até um curioso encontro com Keith Richards, num futuro apocalíptico, dentre outros. Uma mescla de comédia, drama, terror, suspense, distopia e, por que não? Utopia. Futuros possíveis imaginados por diferentes visões literárias.

Os autores selecionados, além de escritores, alguns premiados, destacam-se por sua atuação variada no campo artístico – poesia, artes plásticas, quadrinhos, vídeo, animação, cinema, televisão, eventos e até escolas de samba. Destacam-se a chilena Claudia Apablaza, autora de sete livros publicados em diversos países, incluindo o próprio Chile, Espanha, México, Itália e Estados Unidos, dentre eles; Gisele Mirabai, que tem cinco livros publicados, dentre eles, Machamba (Ed. Nova Fronteira), romance vencedor do 1º Prêmio Kindle de Literatura e finalista do Prêmio JABUTI de Melhor Romance, e Guerreiras De Gaia (Grupo Global), adotado por diversas escolas do Brasil; o santista Manoel Herzog, autor de seis livros e terceiro lugar do Prêmio Jabuti como livro A comédia de Alissia Bloom (2014), terceiro lugar no prêmio Jabuti; Maria Fernanda Elias Maglio, que logo no seu primeiro livro Enfim, imperatriz (Patuá, 2017) venceu o Prêmio Jabuti 2018 na categoria contos e já lançou o seu segundo, 179 Resistência, também pela Patuá; Pacha Urbano que, além de escritor e roteirista, se destaca por ser o criador das tirinhas de humor Filho do Freud, que já conta com uma trilogia lançada“As TRAUMÁTICAS Aventuras do Filho do Freud” (2013,2015, 2017). A ilustração da capa é assinada pelo cartunista Nando Motta, que tem se destacado por suas tirinhas com bom humor e sensibilidade.

O livro desde o início foi planejado para um lançamento on-line, com contos curtos e que oferecessem elementos cênicos, de modo a se tornar um projeto multimídia. Desta forma, ganhou leitura por atores de prestígio no cenário teatral paulistano, como Gloriete Luz, Lucia Romano, Marta Guerreiro, Nora Prado, Ricardo Gelli e Roberto Alencar.

 

Livro @Normal

Editora: Independente

Link de compra: https://amzn.to/35GF4Yi

Preço: R$ 7,99

Organizador: Bogado Lins

Autores: Clark Mangabeira, Claudia Apablaza, Gisele Mirabai, João Knijnik, José Bueno Villafane, Kika Hamaoui, Manoel Herzog, Marcio Sales Saraiva, Maria Fernada Elias Maglio, Pacha Urbano, Paulo Laubé, Rafael Maieiro, Sebastian Ocampo, Solano Guedes, Terêncio Porto, Zeh Gustavo e Bogado Lins.

Realização: Literatura Cotidiana

 

Videos da leitura dos contos por atores:

https://youtu.be/v0gdjh2fViw

https://youtu.be/3mm56ksP4w8

https://youtu.be/i2n6Jn6lgoE

https://youtu.be/uaGoK-78nzU


Leilão do Tambaú Hotel avaliado em R$ 132 milhões acontece nesta quinta-feira no Rio de Janeiro

 

Agora é para valer. O leilão do Tambaú Hotel, na orla de João Pessoa, está programado para acontecer em sua segunda praça nesta quinta-feira (29), às 14h, no Rio de Janeiro. A mudança de local do leilão teve a intenção de incrementar a venda do equipamento.

Conforme dados do processo de venda, o hotel avaliado em quase R$ 132 milhões, em sua primeira praça, com a mudança se local o valor cairia pela metade, R$ 65,9 milhões.

Um novo edital foi publicado no final de semana permitindo que o hotel seja arrematado por qualquer lance, isto é, não tem mais os 50% do valor como lance mínimo.

Segundo o portal ” Turismo em Foco” a mudança deve melhorar a demanda. “Agora, com a liberação pela melhor oferta, o leque de interessados deve aumentar”, analisou.

A mudança pegou o mercado de surpresa, principalmente, porque um grupo de Porto Velho (RO) – Grupo Guaporé – anunciou nas suas redes sociais que teria feito um lance de R$ 133 milhões no dia 22 de outubro e que o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro estaria analisando a oferta, com um prazo até o dia 31 de novembro para oficializar ou não a venda. A informação nas redes sociais é de autoria de Miguel Montte, presidente da ABMP (Associação Brasileira de Mineradoras de Pedras Preciosas).

De acordo com a fonte do portal , a mudança do Edital não fere a legislação, porque facilita a competição entre os interessados na aquisição do bem arrecadado.

“Historicamente, esse procedimento arrecada valores superiores àquele valor mínimo requerido. O que pode acontecer seria a impugnação do leilão caso o valor vencedor seja considerado valor vil. E quem pode impugnar é a Fundação Rubem Berta, o Ministério Publico e os credores em geral”, pontuou.

WScom.com.br

 


Lula pede o voto em Ricardo Coutinho e diz que com Ricardo na Prefeitura João Pessoa será “uma cidade mais desenvolvida, mais alegre, com mais obras públicas em benefício do povo”

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) entrou de vez na campanha eleitoral de João Pessoa. A maior liderança política da história do Brasil escolheu seu companheiro de longa data, Ricardo Coutinho (PSB), para apoiar na disputa pela prefeitura.

Para o ex-presidente, Ricardo na Prefeitura de João Pessoa representa “uma cidade mais desenvolvida, mais alegre, com mais obras públicas em benefício do povo”.

“Dia 15 vamos votar em Ricardo Coutinho para a gente recuperar o prazer de fazer política. O prazer de sonhar outra vez com uma João Pessoa mais desenvolvida, mais alegre, com mais obras públicas em benefício do povo. Ele já fez e vai fazer mais. Por isso, eu queria dizer para vocês que a gente não escolhe irmão, mas escolhe companheiro. E ele é um extraordinário companheiro, que eu ouso pedir o voto de vocês para ele”, requisitou.

Lula lembrou que Ricardo foi o melhor prefeito da história da Capital e o melhor governador de todos os tempos que a Paraíba já teve.

“Ricardo Coutinho é uma das figuras mais extraordinárias e mais sérias que eu conheci. Vocês devem se lembrar que ele foi o melhor prefeito da cidade de João Pessoa e vocês devem se lembrar que ele foi o melhor governador da história da Paraíba”, garantiu.

blogdotiaolucena.com.br

 


O dia em que dinheiro voou na Paraíba

Estão fazendo o maior carnaval somente porque Sérgio Gama, assessor do conselheiro Artur Cunha Lima, escondeu um celular num jarro, esquecidos de que foi o próprio Sérgio quem mostrou à Polícia Federal o tal esconderijo .

Mais espetacular do que esse caso do celular foi aquele dos envelopes amarelos apreendidos pela Polícia Rodoviária na estrada de Bayeux. Ou, se alguém achar que isso é café pequeno, arremato com o que ficou conhecido como o caso do dinheiro voador, ambos registrados nos anais da crônica policial como ocorridos em 2006, quando Cássio Cunha Lima, coincidentemente primo legítimo de Artur Cunha Lima, foi candidato à reeleição.

Como lembram os mais antigos, pouco antes do segundo turno das eleições de 2006 a Polícia Rodoviária Federal apreendeu envelopes amarelos com o nome de “Cásssio Governador”, encontrando dentro deles a quantia de 49 mil reais.

Disseram, na época, que se tratava de dinheiro para pagar a cabos eleitorais postos à disposição do então governador.

Isso gerou um moído danado, mas em 2011 o processo que pedia a cassação de Cássio foi arquivado por perda de objeto, já que Cunha Lima fora cassado antes, em dose dupla, por causa dos cheques da FAC e das publicidades no Jornal A União.

O do dinheiro voador foi, digamos assim, espetaculoso e folclórico.

Veja como o PB Agora narrou o acontecido:

No final da noite de uma sexta-feira, dia 27 de outubro de 2006, antevéspera do segundo turno das eleições para governador do Estado, fiscais da Justiça Eleitoral compareceram ao Edifício Concorde, localizado na Avenida Epitácio Pessoa, em João Pessoa-PB, com o intuito de verificar denúncia de “distribuição de dinheiro para compra de votos”.

Ao se dirigirem ao local indicado, precisamente à sala 103 do Concorde, o proprietário, Sr. Olavo Cruz de Lira, não impediu que os fiscais adentrassem no mencionado estabelecimento. Porém, quando estavam para deixar o prédio, populares informaram aos fiscais da Justiça Eleitoral que alguém da sala 103 havia jogado alguns materiais para fora da janela e que estes objetos haviam caído sobre o telhado de proteção de estacionamento externo do Edifício Concorde. A partir de então, os fiscais da Justiça Eleitoral acionaram a Polícia Federal.

Quando chegaram ao telhado de proteção, os fiscais da Justiça Eleitoral e os agentes da Polícia Federal encontraram uma caixa e um saco e detectaram várias contas de água e energia elétrica quitadas, títulos eleitorais, camisetas amarelas, além de vários maços de cédulas de cinquenta reais, totalizando R$ 304.050,00.

Instaurado o inquérito mediante requisição da Juíza Eleitoral da 64ª Zona, no próprio dia 27 de outubro de 2006, o Delegado da Policia Federal encaminhou, em 28 de outubro de 2006, requisição solicitando mandado de busca e apreensão que veio a ser cumprido no dia seguinte, na sala 103 do Edifício Concorde. De lá para cá para cá já se vão quase 12 anos.

Perante esses dois casos, o do celular no jarro fica parecendo brincadeira de menino buchudo.

Blogdotiaolucena.com.br

 


Sidebar Menu