O bolsonarismo não tem ideologia coerente. Não tem organização de nada.

 


Francis Lopes de Mendonça

Não adianta esperar que o exercício da presidência ensine a Messias o valor dos princípios republicanos da impessoalidade e da moralidade. Esse cara é o que sempre foi, um ex-parlamentar medíocre e incapaz de compreender o valor de instituições fortes e independentes - uma abstração muito além de suas capacidades intelectuais.

Mas o que podíamos esperar dum tiozão fisiologista cuja única coisa que buscou no Estado brasileiro foi um meio de vida, utilizando o aparato estatal em benefício próprio, para posicionar todos os seus rebentos nas vastas tetas da máquina do poder?

Agora o que estamos vendo é alguém de uma pobreza sem fim de ideias, com uma visão atrasada 200 anos da sociedade. Uma figura retrógrada e ridícula que só virou presidente graças a circunstâncias pelas quais não tem nenhum mérito que não seja oriundo do vandalismo com o patrimônio nacional, que foi promovido pelo fiasco da aberração política que se chama “lulopetismo”, o que lhe deu destaque como anti-esquerdista.

Só que o cara continua se aproveitando dessa condição como trampolim para uma postura populista misturada com uma roupagem de liberalismo-pra-boi-dormir. Isso nada tem que ver com fascismo. De certa forma, o bolsonarismo é pior do que o fascismo, por ser intelectualmente muito inferior.E é melhor, pois sua profunda indigência intelectual e mental o torna menos perigoso. O fascismo teve uma ideologia, uma visão de mundo, um jeito de pensar o Estado bastante transparente. Surgiu numa época como a atual, de transformação profunda da base econômica, de desemprego estrutural porque negócios tradicionais quebravam, de insegurança e desesperança.

O bolsonarismo não tem nada disso. O bolsonarismo é uma esculhambação total, não tem ideologia coerente. Não tem organização de nada. Tem memes, tem palavras de ordem, mas não tem planejamento de nada. Nada mais distante do fascismo. Pois a única bússola dos adeptos fanáticos de Messias são as redes sociais e esse espírito paranóico frequente de que há inimigos por toda parte. Todo mundo é inimigo. Até os amigos são inimigos. Qualquer um que não reze por sua cartilha binária.

O conhecimento, enfim, é inimigo. Só que o fascismo não era tapado, sabia usar muito bem conhecimento em seu projeto, ao contrário do bolsonarismo que simplesmente ignora conhecimento. Alguém vai ter que extrair a língua de Messias para deixar de falar tanta merda.


PRÉDIO BALANÇANDO? FALÊNCIA DA CONSTRUTORA? Descubra a verdadeira história por trás do edifício mais alto da Paraíba que está inacabado

Publicado por: Alana Yaponirah 


Informações desencontradas e muita Polêmica envolvem o Residencial Liege localizado no Altiplano, zona nobre da capital. Após denúncias de que o empreendimento de 55 pavimentos de alto padrão cujas obras estariam paralisadas desde 2014 teria problemas estruturais como inclinação e as vigas “embuchando” com risco inclusive de desabamento.


De acordo com as informações chegadas ao portal Polêmica Paraíba, o motivo da paralisação da obra não seria estrutural e sim financeiro. Os moradores do residencial Liege estão requerendo na justiça a emissão de posse do edifício para concluir a obra.


CREA revela construtora e nome do engenheiro de obra que desabou na capital; veja

A nossa equipe conversou com Fábio Sobral presidente da associação de moradores, a GBM Engenharia contratou um ensaio do túnel do vento, e nesse estudo foi atestado que se um vento de 200 km/h acontecesse a obra poderia ser abalada em 10% e após esse estudo, uma correção estrutural foi feita aumentando em R$ 5 milhões, de acordo com Fábio esse e outros problemas técnicos teriam sido o motivo da paralisação da obra. A construtora que vendeu 131 de um total de 196 apartamentos não teria condições financeiras de continuar a execução da obra.

Segundo Geraldo Muniz diretor técnico da GMB em 2014 a construtora firmou um contrato com o Banco do Brasil. Ele disse também que em 2014 todos os problemas técnicos e financeiros foram sanados através de um empréstimo com o Banco do Brasil. E após a crise financeira e a bolha imobiliária de 2016 as obras foram paralisadas.

Uma das cláusulas do contrato com banco é de que a GBM sempre tivesse vendas de imóveis e com a falta de vendas e sem a capacidade de receber o Banco do Brasil paralisou o envio de recursos. O Banco do Brasil executou o financiamento em 2018. A GBM apoia a decisão da associação de moradores e acima de tudo os clientes fiquem satisfeitos e recebam suas unidades. Entendem o interesse deles.

 

 


Fonte: Polêmica Paraíba

Créditos: Polêmica Paraíba


Bolsonaro diz que governo estuda acabar com o fim da multa de 40% do FGTS


Presidente criticou multa que empregador tem de pagar em caso de demissão sem justa causa. Segundo ele, ‘é quase impossível ser patrão no Brasil‘.


Por G1
Bolsonaro fez a afirmação em entrevista depois de participar do evento religioso "Conquistando pelos olhos da fé", na igreja Sara Nossa Terra, em Vicente Pires, no Distrito Federal. (Foto: Reprodução)
O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (19) que o governo estuda o fim da multa de 40% sobre o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para demissão sem justa causa e imediatamente em seguida disse desconhecer o assunto.

Bolsonaro fez a afirmação em entrevista depois de participar do evento religioso "Conquistando pelos olhos da fé", na igreja Sara Nossa Terra, em Vicente Pires, no Distrito Federal.

Questionado se a multa iria cair, respondeu:

"Está sendo estudado, desconheço qualquer trabalho nesse sentido."
Antes, Bolsonaro havia criticado a multa:

"Essa multa de 40% foi quando o Dornelles era ministro do FHC. Ele aumentou a multa para evitar a demissão. O que aconteceu depois disso? O pessoal não emprega mais por causa da multa", declarou.

Segundo o presidente, "é quase impossível ser patrão no Brasil".

"Defender o empregado dá mais voto. Eu pretendo lançar o programa Minha Primeira Empresa para todo mundo que reclama do patrão ter chance de ser patrão um dia”, disse.

Bolsonaro repetiu o que afirmava durante a campanha eleitoral – que o trabalhador terá de optar entre ter menos direitos e mais emprego ou mais direitos e menos empregos.

“Eu tenho dito. Um dia o trabalhador vai ter que decidir: menos direitos e emprego ou todos os direitos e desemprego. Isso perde voto. Ganha antipatia de pessoas populistas, de comunistas. Colocam na cabeça do povo que eu estou errado, perseguindo o pobre.”.

Para Bolsonaro, o empregado não pode considerar o patrão como inimigo. Segundo ele, o funcionário precisa "olhar o patrão como pessoa que tem que prosperar para melhorar o salário dele".

"É a velha divisão de classes. Não é só homo e hétero, branco e negro, rico e pobre. É empregado e patrão também. A esquerda prega isso o tempo todo para nos dividir e eles se perpetuarem no poder ou voltar ao poder um dia", declarou.


Advogado Marco Villar vai recorrer ao STJ no âmbito da Xeque Mate

 O advogado Marco Villar informou que irá recorrer ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ) da decisão do Tribunal de Justiça da Paraíba, que negou pedido de Habeas Corpus em seu favor para o trancamento da Ação Penal nº 0000129-88.2019.815.0731. Para ele, no entendimento do órgão, existiam elementos para que a Ação Penal fosse realizada no conjunto de todos os apontados na investigação da Operação batizada como Xeque-Mate, mas o seu pedido foi justamente para que, o Tribunal avaliasse individualmente a conduta de cada agente político citado. O que foi negado.

“Estou absolutamente tranquilo sobre a lisura dos meus atos na gestão pública e também da minha atuação profissional. Na condição de controlador-chefe do município, o despacho por mim realizado foi para que o procedimento licitatório em questão – que está sendo alvo de suspeita de irregularidades na operação –, só poderia ser realizado mediante necessária juntada da documentação legalmente exigida. Condição para que pudesse ser finalizado. Eu não posso ser responsabilizado pela autorização do procedimento, nem tampouco pela ordenação da despesa, porque essas não são atribuições da função que exercia”, explicou.

Ele ressaltou ainda que não existe irregularidade na sua atuação como chefe do Controle Interno do Município de Cabedelo e advogado de defesa de municípios junto ao Tribunal de Contas do Estado. Villar lembrou que a Corte de Contas é integrante do Poder Legislativo e na sua função de controlador ela não ordena despesas

“Como controlador-chefe, não tive função de direção ou gestão sob o município, não participando de ordenamento de despesas. Minhas decisões sempre estiveram vinculadas a homologação futura pela Procuradoria Geral do Município e, por fim, pelo chefe do Poder Executivo local”, ressaltou.

Além disso, Marco Villar frisou que a Constituição Federal coloca o Tribunal de Contas como órgão integrante do Poder Legislativo. “Neste sentido a minha atuação perante a Corte de Contas Estadual não viola o que determina o Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil, uma vez que não se trata de atuação perante o Poder Judiciário”, comentou.


PMJP contraria MPF e decide manter execução de obras no Parque Sanhauá

 Mesmo com a recomendação do Ministério Público Federal, que determinou que Prefeitura de João Pessoa se abstenha de iniciar a aplicação de recursos federais na obra do Parque Ecológico Sanhauá, no Centro Histórico, a PMJP informou nesta sexta-feira (19) que não paralisará a obra.

De acordo com a recomendação do MPF, a ausência de regularização na cessão da área onde a prefeitura pretende construir o parque turístico, que é de propriedade da União, é a razão para a determinação.

Contrariando o que preconizou o MPF, o procurador da PMJP, Adelmar Régis confirmou que as obras não devem ser paralisadas porque a PMJP entende que não há problemas com a falta de cessão das terras.

“Respeitamos o posicionamento do Ministério Público Federal, mas temos um entendimento divergente. Eu entendo que não precisa de cessão formal da área. Existe uma Legislação federal que transfere aos municípios esses logradouros públicos. Se a própria lei transfere a titularidade, não há necessidade de nenhum ato formal de cessão. E o próprio projeto da obra não existe apenas áreas de titularidade da União, existe áreas próprias do município, como a praça Napoleão Laureano, a praça XV de Novembro, são áreas de equipamento comunitário, e obviamente não precisaria de cessão” disse.

Prefeitura, Caixa e construtora foram informadas que o não acatamento das recomendações poderá dar ensejo ao ajuizamento das ações judiciais cabíveis.

PB Agora


Bruna Surfistinha rebate Bolsonaro: “Deveria cuidar da moral da família”

A ex garota de programa conhecida como Bruna Surfistinha, Raquel Pacheco rebateu as declarações do presidente Jair Bolsonaro, que havia dito que não admitirá que seja usado dinheiro público para ‘filmes como esse’, em menção ao filme de Raquel.

A ex-prostituta, que atualmente trabalha como DJ falou com o jornal EXTRA e considerou a fala de Bolsonaro ‘infeliz’.

“Sobre mais uma infeliz declaração do Bolsonaro, eu digo que ele, antes de fazer juízo de valor sobre os outros, ele deveria cuidar da moral da própria família, e ainda do nosso país. Afinal, ele está cuidando demais do que não precisa e fazendo pouco do dever dele principal, que é ser presidente”, disse ela.

MaisPB


‘Daqueles governadores de ‘paraíba‘, o pior é o do Maranhão‘, diz Bolsonaro


Fala foi gravada por câmera durante conversa informal antes de café da manhã com jornalistas. Governadores do Nordeste cobram explicação, e Palácio do Planalto diz que não irá comentar.
Por G1


O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (19) que, "daqueles governadores de ‘paraíba‘, o pior é o do Maranhão; tem que ter nada com esse cara". O uso de um termo pejorativo para se referir aos nordestinos provocou a reação de governadores da região, que manifestaram "espanto e profunda indignação".

A fala do presidente foi durante uma conversa informal com o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) assim que se sentou na mesa para dar início a um café da manhã com jornalistas da imprensa estrangeira no Palácio do Planalto, em Brasília.

A conversa foi registrada pela TV Brasil e viralizou nas redes sociais à tarde.

Em resposta, governadores do Nordeste divulgaram uma carta em que cobram explicações do presidente. Eles afirmaram ter recebido "com espanto e profunda indignação a declaração do presidente da República transmitindo orientações de retaliação a governos estaduais, durante encontro com a imprensa internacional". O comunicado conclui: "Aguardamos esclarecimentos por parte da presidência da República e reiteramos nossa defesa da Federação e da democracia".

Os governadores do Maranhão e da Paraíba também se manifestaram nas redes sociais. "Como conheço a Constituição e as leis do Brasil, irei continuar a dialogar respeitosamente com as autoridades do governo federal e a colaborar administrativamente no que for possível. Eu respeito os princípios da legalidade e impessoalidade (artigo 37 da Constituição)", disse Flávio Dino (PC do B), do Maranhão.

João Azevêdo (PSB), da Paraíba, disse condenar "qualquer postura que venha ferir os princípios básicos da unidade federativa e as relações institucionais deles decorrentes. A Paraíba e seu povo, assim como o Maranhão e os demais estados brasileiros, existem e precisam da atenção do governo federal independentemente das diferenças políticas existentes. Estaremos, neste sentido, sempre dispostos a manter as bases das relações institucionais junto aos entes federativos, vigilantes à garantia de tudo aquilo a que tem direito".


A assessoria de imprensa do Palácio do Planalto informou que não irá comentar.

Leia a íntegra da carta:

"Carta dos Governadores do Nordeste

19 de Julho de 2019

Nós governadores do Nordeste, em respeito à Constituição e à democracia, sempre buscamos manter produtiva relação institucional com o Governo Federal. Independentemente de normais diferenças políticas, o princípio federativo exige que os governos mantenham diálogo e convergências, a fim de que metas administrativas sejam concretizadas visando sempre melhorar a vida da população.

Recebemos com espanto e profunda indignação a declaração do presidente da República transmitindo orientações de retaliação a governos estaduais, durante encontro com a imprensa internacional. Aguardamos esclarecimentos por parte da presidência da República e reiteramos nossa defesa da Federação e da democracia."


É preciso ELEVAR o NÍVEL – já baixou demais - Mirtzi Lima Ribeiro

Continuam as polarizações com palavras muito densas, principalmente das pessoas “ditas espiritualizadas” e/ou “religiosas” e/ou “do bem”.

Vejo expressões muito pesadas, a exemplo do termo “esquerdalha” (um pejorativo semelhante a “gentalha”, que significa gente baixa, ou termos piores ainda:

(vagabundas” ou “vagabundos”), termos que agora ESTÃO SENDO ASSOCIADOS a TODO e qualquer SER VIVO que venha a questionar AO MENOS UMA VIRGULA ou UM DOS ASPECTOS DA ATUAL GESTÃO FEDERAL ou ALGUM POSICIONAMENTO INFELIZ vindo da parte do atual Chefe do Poder Executivo.

Hoje, discordam do atual governo em VÁRIOS PONTOS:

a) Quem abraça os partidos políticos de esquerda;

b) Quem NÃO FAZ PARTE da DIREÇÃO e/ou PRESIDÊNCIA de grandes CONGLOMERADOS EMPRESARIAIS e BANCOS, e quem AVALIA com CRITÉRIO as propostas que estão surgindo;

c) Quem valoriza as políticas do MEIO AMBIENTE, cujas pautas vinham avançando nos mais recentes 80 anos (em várias gestões e de vários partidos políticos), e atualmente estão sendo relegadas, abandonadas e menosprezadas;

d) Aqueles que fizeram adesão a ALIMENTOS ORGÂNICOS, e, não aceitam o VENENO que tem entrado no país desde janeiro de 2019 em grande escala, e, indiscriminadamente, inclusive com agrotóxicos banidos por vários países (glifosato por exemplo), porque causam muitos DANOS à população;

e) Aqueles que com seu BOM SENSO costumam não aderir a pautas que prejudiquem os já desassistidos no nosso país;

Logo, não se pode nem deve APEDREJAR QUEM PENSA o CONTRÁRIO de VOCÊ que está em campanha acirrada a FAVOR de TUDO, sem NENHUM FILTRO, sem NENHUM CRITÉRIO, ao que o mandatário do Poder Executivo Federal DIZ e FAZ, e, se encontra como OPOSITOR de todo e qualquer ser humano que discorde de uma ou mais ações provenientes dele.

Consideremos que:

1) A pessoa apontada com essa virulência ou classificada de modo pejorativo e baixo, pode NEM SER de esquerda, nem de direita, e, talvez até mesmo nem concorde com o modo de se estabelecer os parâmetros de política partidária na sua localidade e quiçá no mundo, porque PENSA MUITO MAIS AMPLO e entenda que é preciso MIGRAR PARA um NOVO ENTENDIMENTO a RESPEITO DISSO TUDO;

2) A pessoa apontada é colocada em uma “vala comum”, na qual seus acusadores desejam que ela morra no “fogo do inferno” por ser “má”, EMBORA, pessoas assim acusadas possam ter uma excelente e/ou boa índole, senso críticas imparciais e/ou falem de modo técnico a respeito de alguns dispositivos propostos, situações, bem como de incoerências que se apresentam;

3) A pessoa ou pessoas apontadas são acusadas de ser “escória”, recebendo gratuitamente um ÓDIO ferrenho. Esses indivíduos acusados podem ser honrados pais e mães, pessoas honestas e corretas em suas vidas, e possivelmente, também pautem por um comportamento ordeiro e de integridade moral;

4) A pessoa ou pessoas CARIMBADAS com adjetivos negativos e baixos, por esboçarem seus posicionamentos contrários a arbitrariedades perpetradas (que são muitas), podem produzir e contribuir efetivamente para um melhor ambiente no país (ou seja, não poderiam estar sendo chamadas de adjetivos baixos);

Como todas essas hipóteses EXISTEM de FATO, entendemos que ENQUANTO NAÇÃO, chegamos a um lodo tão denso, que os que se intitulam de PALADINOS DA JUSTIÇA estão ficando CEGOS para as incongruências, NEGANDO EVIDÊNCIAS,

DEFENDENDO ações INDEFENSÁVEIS, que assim são classificadas sob qualquer ponto de vista dos PRINCÍPIOS PROBOS e da HONRADEZ.

Isso é um FENÔMENO PSICOLÓGICO muito DIFÍCIL DE LIDAR, porque se constitui uma fuga da realidade, à qual proeminentes psiquiatras denominam de “NEGAÇÃO”.
Não é porque “a” ou “b” fizeram ou fazem algo errado, que tais erros justifiquem ou AUTORIZEM todos os DESACERTOS e DESATINOS da atual administração. O erro enquanto erro, não pode ser ABONADO e REFERENDADO COMO CERTO, dependendo APENAS de quem o PRATICA.

Deve haver APENAS UM PESO e UMA MEDIDA extensivos a TODOS: para quem se simpatiza, para quem se é neutro e para quem se antipatiza.

Não é porque integrantes do partido “x”, “y” e “z”, foram pegos praticando desvios de recursos que isso JUSTIFIQUE QUE ATUALMENTE os mandatários da “situação” que estão no poder, POSSAM TAMBÉM COMETER ILÍCITOS e/ou PRATICAR ATOS DESUMANOS e PREDATÓRIOS.

O ERRO se constitui em seus “devotos incondicionais” não acharem isso errado.
Convenhamos: Não há moral RELATIVA.

Melhor dizendo: não se pode RELATIVIZAR nenhum ERRO.

Se alguma ou algumas propostas se mostrem claramente discrepantes em relação ao que fora prometido antes de uma campanha político-partidária, os defensores dessa campanha não estão PROIBIDOS de discordar de pontos ou aspectos. Não é necessário fazer ADESÃO IRRESTRITA, abdicando de seu próprio juízo de valor ou quando o que se propõe FERE DIREITOS dos mais DESASSISTIDOS. Discordar de pontos não fará dos discordantes “traidores”, muito menos “persona non grata” (pessoa desagradável, não querida e indesejada), como estão carimbando essas pessoas.

Não é porque alguém deu um voto a um tal ou qual político, que DEVERÁ ficar ACORRENTADO a ele tendo que ENDOSSAR TUDO (100%) daquilo que esse político faz ou pretende fazer.

Discordar do atual mandatário não faz com que a pessoa seja incoerente com sua escolha, se esse for o caso. *****Digo isso para que o exército de DEFENSORES INCONDICIONAIS, REFLITAM em seus posicionamentos incoerentes e relativizantes.***** Espero que tais pessoas SE LIBERTEM dessa FERRENHA DEFESA INCONTESTÁVEL.

São as AÇÕES e POSICIONAMENTOS do mandatário que precisam ser ACOMPANHADAS para não ferir direitos, situações e pautas. Se esse mandatário está gerindo toda uma nação, diante de tantos interesses difusos, ele teria, no mínimo, que dar ATENÇÃO a todas as demandas SEM MENOSPREZAR as NECESSIDADES e VICISSITUDES do POVO.

Pelo que observamos, diante de tudo o que estamos vendo acontecer, a DEFESA IRRESTRITA de tais questões é IRRACIONAL.
Basta que a pessoa não concorde com a tal reforma da previdência, que se mostra completamente diferente de todas as propostas de emendas à Constituição anteriores, essa pessoa tem que ser vilipendiada, xingada, banida.

Basta que uma pessoa não aceite declarações absurdas que vêm sendo emitidas pelo atual governo, para que vários DEFENSORES de PLANTÃO invadam as publicações com xingamentos em tons VINGATIVOS, VIRULENTOS e TENEBROSOS.

É suficiente que se curta alguma matéria publicada, ou que reaja de modo jocoso as ações esdrúxulas provenientes de ocupantes de cargos desse atual governo federal (pertencentes a diversos escalões), para que essa pessoa seja apedrejada, insultada e malquista pelo exército de plantão nas redes sociais e em conversas presenciais. O convívio está ficando mais insuportável a cada dia, pelo nível da INTOLERÂNCIA.
E aí eu pergunto:

Onde está a CIVILIDADE desses “religiosos” e “espiritualizados” para com o próximo?
Onde estão o RESPEITO e a CONSIDERAÇÃO ao outro ser humano?

Onde estão as palavras adequadas e sensatas que devem nortear o convívio de pessoas educadas?

Por que descer tão baixo, agredindo as outras pessoas e CARIMBANDO-AS pelo seu crivo preconceituoso?

Eu fico espantada com esse AMBIENTE BELICOSO, BELIGERANTE,

DESRESPEITOSO e VULGAR em que a web se transformou. O Contraditório e a livre expressão ainda são elementos fundamentais cravados na nossa Constituição, que DEVEM ser observados.

VAMOS NOS RESPEITAR?

Não acham que esse é o caminho mais ADEQUADO e mais CIVILIZADO?
REFLITA! Se observe.

Tenho dito!


A eloquência de certas omissões: João Azevedo inaugura a partir de hoje 25 obras Por Flávio Lúcio

Desde ontem, a imprensa paraibana noticia que o governador João Azevedo inaugurará, a partir desta sexta (19/07), um conjunto de 25 obras.

Entre as obras estão a Escola Técnica, em Sousa, o Teatro Santa Catarina, em Cabedelo, a Escola Técnica de Artes, em João Pessoa, as adutoras de Monte Horebe e Carrapateiras, o IML de Cajazeiras, o Polo Calçadista de Patos, a nova Escola Álvaro Gaudêncio de Queiroz e o Eixo das Nações, em Campina Grande.

No total, são 52 milhões de Reais em investimentos.

Como é por demais sabido, obras desse porte jamais poderiam ser planejadas, licitadas e executadas em apenas seis meses, que é o tempo do governo de João Azevedo.

Ou seja, todas essas obras foram planejadas, licitadas e começaram a ser executadas no governo de Ricardo Coutinho.

O que me levou a escrever esse texto foi o fato de não ter lido em nenhuma das diversas matérias publicadas na imprensa paraibana qualquer menção a isso.

Como em pelo menos duas dessas matérias (MaisPB e Polêmica Paraíba) os textos são rigorosamente iguais, é lícito supor que a fonte da notícia seja um release da Secom do governo do estado.

Não se trata aqui de debater a paternidade de obras públicas, construídas com o dinheiro público. Antes de tudo, trata-se tanto de dever de justiça e como de rigor informativo.

E, se a origem da divulgação partiu mesmo da Secom, pode ser que exista uma questão a mais, essa de ordem política. Se a ordem não partiu do governador João Azevedo, que não tem como acompanhar os detalhes de como o seu governo é divulgado pela Secom, pode-se inferir que o secretário responsável, o jornalista Luís Torres − que ocupa o cargo, registre-se, desde o governo de Ricardo Coutinho − está por trás dessa omissão, nesse caso, nem um pouco involuntária.

Ao divulgar a inauguração de obras sem deixar claro que começaram no governo anterior − é bom sempre repetir, o governo de um aliado, que sacrificou a disputa por uma vaga no Senado para ajudar a eleger João Azevedo, − fica parecendo que o governador atual pretende assumir, aí sim, a paternidade dessas obras, como se tivessem sido executadas, exclusivamente, durante os últimos seis meses.


Ao lado de João Azevedo, RC fala na plenário do Orçamento Democrático desse ano.

“Ruídos” como esses voltam a surgir, talvez não por acaso, depois que João Azevedo e Ricardo Coutinho terem dado mostras de afinidade política ao aparecerem juntos durante a plenário do Orçamento Democrático, em João Pessoa – e na reunião da Executiva Nacional do PSB. E o motivo é que não interessa a nenhum dos dois nenhum rompimento.

Mas, é preciso que o governador João Azevedo fique atento a esses “detalhes”. São artifícios políticos dessa natureza que podem colocar em dúvida, de novo, a boa relação entre ele e Ricardo Coutinho.

Porque, volto a lembrar: em certas ocasiões políticas, atitudes são mais eloquentes do que palavras. O mesmo se pode dizer certas de omissões.

http://www.leiaflaviolucio.com.br

 


Auditoria das Contas Públicas - Isenção: um atributo que é difícil de ser desenvolvido e mantido.

Mirtzi Lima Ribeiro

Já se disse há milênios que o trabalho é um instrumento educador que lapida o caráter. Isso se mostra verdadeiro em muitos aspectos. A qualidade da isenção é uma dessas lapidações que alguns tipos de trabalho viabiliza.

A função de Auditor das Contas Públicas requer isenção, qualidade que deve ser treinada e incutida no dia a dia.

Isso porque NÃO IMPORTA o partido do gestor analisado, NEM MESMO a sua procedência.

Importa SIM:

1. O QUÊ (quantitativo) e COMO (qualitativo), ele GASTA/INVESTE os recursos públicos (fruto dos impostos pagos pelo cidadão);

2. Se ele registra realmente toda a RECEITA que ingressa aos cofres públicos, quer seja a fatia que ele arrecada diretamente quer as recebidas via transferências;
3. Se ele dispõe dos meios técnicos adequados para levantar a problemática de sua localidade, elaborar os instrumentos de planejamento de acordo com esses pontos de melhoria, priorizar ações necessárias e executar tais ações eficiente e eficazmente;
4. Se o GASTO tem qualidade, melhorando os índices sociais da localidade a cada período avaliado (custo versus benefício revertido à sociedade).

Ao mesmo tempo, também é uma de nossas prioridades e obrigações, exercer o papel ORIENTADOR que é endereçado a todos os gestores empossados, para que ACERTEM o alvo, alcançando seus objetivos e atendendo à necessidade da população e às problemáticas levantadas da localidade, através de ações pontuais.

Tais orientações são realizadas periodicamente, cujo convite é feito via portal do nosso órgão de controle e convites por escrito a TODOS os jurisdicionados, indiscriminadamente.

Estar ISENTO é uma obrigação para o Auditor de Contas Públicas, pois, a IMPARCIALIDADE é uma exigência contundente para o exercício desse mister.


Goleiro Bruno consegue progressão ao semiaberto após decisão da Justiça de Varginha

Foto: Reprodução/Arquivo pessoal/TV Globo
O goleiro Bruno Fernandes obteve nesta quinta-feira (18) o direito à progressão ao regime semiaberto. A decisão foi tomada no início da noite pelo juiz Tarciso Moreira de Souza, da 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais da comarca da cidade.

Na decisão, o juiz analisou o acórdão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) que excluiu a falta grave que havia sido imputada a Bruno após o detento ter sido flagrado na companhia de mulheres e usando celular em horário que deveria estar exercendo trabalho externo.

O G1 teve acesso à decisão na qual o juiz considerou que, com a exclusão da falta, Bruno “satisfaz as exigências subjetivas e objetivas para a concessão da progressão de regime para o semiaberto”, e que “já cumpriu o lapso temporal necessário da pena imposta no regime fechado”.

No documento, o juiz considera ainda que “a presunção é de que o reeducando já se encontra apto à reinserção à vida social, o que foi observado pelo atestado de conduta carcerária”.

Com a decisão, Bruno agora deve passar por uma audiência de instrução “para fixação das condições”. As autoridades locais também devem ser comunicadas e orientadas a fim de que o réu possa, assim, ter cumprido o alvará de soltura.

Procurada pelo G1, a advogada Mariana Migliorini, que representa Bruno, afirmou que somente irá se manifestar quando seu cliente estiver “na rua” (sic).

O goleiro Bruno Fernandes obteve nesta quinta-feira (18) o direito à progressão ao regime semiaberto. A decisão foi tomada no início da noite pelo juiz Tarciso Moreira de Souza, da 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais da comarca da cidade.

Na decisão, o juiz analisou o acórdão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) que excluiu a falta grave que havia sido imputada a Bruno após o detento ter sido flagrado na companhia de mulheres e usando celular em horário que deveria estar exercendo trabalho externo.

O G1 teve acesso à decisão na qual o juiz considerou que, com a exclusão da falta, Bruno “satisfaz as exigências subjetivas e objetivas para a concessão da progressão de regime para o semiaberto”, e que “já cumpriu o lapso temporal necessário da pena imposta no regime fechado”.

No documento, o juiz considera ainda que “a presunção é de que o reeducando já se encontra apto à reinserção à vida social, o que foi observado pelo atestado de conduta carcerária”.

Com a decisão, Bruno agora deve passar por uma audiência de instrução “para fixação das condições”. As autoridades locais também devem ser comunicadas e orientadas a fim de que o réu possa, assim, ter cumprido o alvará de soltura.

Procurada pelo G1, a advogada Mariana Migliorini, que representa Bruno, afirmou que somente irá se manifestar quando seu cliente estiver “na rua” (sic).

O goleiro Bruno Fernandes obteve nesta quinta-feira (18) o direito à progressão ao regime semiaberto. A decisão foi tomada no início da noite pelo juiz Tarciso Moreira de Souza, da 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais da comarca da cidade.

Na decisão, o juiz analisou o acórdão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) que excluiu a falta grave que havia sido imputada a Bruno após o detento ter sido flagrado na companhia de mulheres e usando celular em horário que deveria estar exercendo trabalho externo.

O G1 teve acesso à decisão na qual o juiz considerou que, com a exclusão da falta, Bruno “satisfaz as exigências subjetivas e objetivas para a concessão da progressão de regime para o semiaberto”, e que “já cumpriu o lapso temporal necessário da pena imposta no regime fechado”.

No documento, o juiz considera ainda que “a presunção é de que o reeducando já se encontra apto à reinserção à vida social, o que foi observado pelo atestado de conduta carcerária”.

Com a decisão, Bruno agora deve passar por uma audiência de instrução “para fixação das condições”. As autoridades locais também devem ser comunicadas e orientadas a fim de que o réu possa, assim, ter cumprido o alvará de soltura.

Procurada pelo G1, a advogada Mariana Migliorini, que representa Bruno, afirmou que somente irá se manifestar quando seu cliente estiver “na rua” (sic).


G1


Justiça aumenta pena dos ‘Canibais de Garanhuns’, que moraram na Paraíba Feliphe Rojas

O homem e as duas mulheres que ficaram conhecidos como os ‘Canibais de Garanhuns’ tiveram um aumento de pena determinado pela Justiça. Eles foram condenados em júri popular realizado em 2014 por assassinar, esquartejar, consumir e vender carne humana dentro de salgados. A promotoria entendeu que era preciso ampliar a punição por causa da gravidade dos crimes.

Atendendo a um pedido do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), a 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJPE) decidiu ampliar o prazo de condenação de Jorge Beltrão da Silveira, Bruna Oliveira e Isabel Cristina Pires da Silveira. Esse caso é referente ao assassinato, ocultação e vilipêndio a cadáver (profanar ou desrespeitar) de Jéssica Camila da Silva, de 17 anos, em 2008, em Olinda.

Jorge tinha sido condenado a 21 anos de prisão, além de seis meses de detenção por vilipêndio. Com a decisão, ele passa a cumprir 27 anos de cadeia, bem como um ano e meio de detenção. Isabel Cristina Pires e Bruna Oliveira pegaram penas de 19 anos de prisão e um de detenção. Agora, cada uma deve ficar 24 anos na prisão, além de ter que cumprir um ano de detenção.

A decisão de aumentar as penas foi tomada de forma unânime pelos desembargadores da 1ª Câmara Criminal do TJPE. Ela transitou em julgado e não cabe mais recurso. O MPPE considerou que as penas deveriam ser mais severas por causa da gravidade dos crimes de homicídio qualificado, esquartejamento e vilipêndio, quando se despreza ou humilha o corpo da vítima.

Em 2008, os ‘Canibais de Garanhuns’ moraram durante seis meses em um sítio localizado no município de Conde, na Paraíba, a 19 quilômetros de João Pessoa. Na época da prisão do trio, policiais paraibanos chegaram a fazer escavações no sito em que eles residiam, pois existiam fortes indícios de que poderia haver corpos enterrados no local.

‘Canibais de Garanhuns’ são condenados a 71 e 68 anos de prisão
Jorge, Isabel e Bruna também foram condenados em outra ação penal, em dezembro de 2018. Em júri popular, realizado no Recife, eles foram julgados pelas mortes de Alexandra da Silva Falcão, de 20 anos, e Gisele Helena da Silva, de 31 anos, ocorridas em Garanhuns, em 2012.

Conforme a decisão dos jurados que julgaram os crimes cometidos em Garanhuns, Jorge Beltrão terá que cumprir pena de 71 anos de reclusão. Isabel Cristina pegou 68 anos de reclusão. Bruna foi condenada a 71 anos e 10 meses de prisão.

De acordo com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), as penas dos julgamentos serão somadas ao tempo de prisão estabelecido anteriormente. Portanto, Jorge deve cumprir 98 anos de prisão, Bruna foi condenada a 95 anos e Isabel a 92 anos.

Crime
De acordo com a denúncia do Ministério Público de Pernambuco, a vítima, que tinha 17 anos na época do crime, foi assassinada pelos acusados em maio de 2008, no Loteamento Boa Fé 1, bairro de Rio Doce. Após o crime, Bruna Cristina, uma das acusadas, assumiu a identidade de Jéssica Camila e o trio passou a criar a filha da vítima.

Um laudo técnico emitido em novembro passado atestou que os três não têm problemas mentais e, com isso, poderiam responder aos atos que cometeram. O homem e as duas mulheres foram avaliados pelo Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico (HCTP), em Itamaracá, no Grande Recife.

O primeiro dos dois dias de julgamento, em 2014, o trio foi hostilizado ao chegar ao Fórum de Olinda e trocou acusações entre si durante os depoimentos.

Eles contaram detalhes macabros da ação e uma das rés, Bruna Cristina, disse que “Jogos Mortais perdia”, ao descrever o assassinato de uma das vítimas. A ré afirmou que chegou a comer a carne da mulher por causa do ritual.

Histórico
O caso veio a público depois que parentes de Giselly Helena da Silva denunciaram o seu desaparecimento. Os acusados usaram o cartão de crédito da vítima em lojas de Garanhuns e foram rastreados pela polícia.
Uma publicação contendo os detalhes dos crimes – registrada em cartório – foi encontrada na casa dos réus. Para a Polícia Civil de Pernambuco, não há possibilidade de outras mortes terem sido praticadas pelo trio no estado.

A repercussão teve início em 2012, quando a polícia descobriu que o trio fatiava a carne dos corpos das vítimas, guardava na geladeira e não só consumia como utilizava para rechear coxinhas e salgadinhos que vendia em Garanhuns.

Os acusados afirmam fazer parte da seita Cartel, que visa a purificação do mundo e o controle populacional. A ingestão da carne faria parte do processo de purificação.


Sidebar Menu