Não percam na próxima sexta e sábado, Virada Cultural no Parque 2018

Se trata de um grande evento a serem realizados na sexta e sábado eque servirá para o lazer dos adultos e das crianças.

Serão dois dias de muita festa e com várias apresentações tudo organizado por Dema Macedo e pelos abnegados membros da equipe que zelam pelos Parque Parahyba I e II.

Lamentavelmente no que diz respeito a limpeza e poda dos matos que surgem a Prefeitura Municipál não vem cumprindo a sua parte em que pese os contantes apelos dos Membros do Comitê que gerenciam auqeles dois importantes  espaços públicos.  

 

 

 


Justiça eleitoral condena instituto de pesquisa a pagar multa de R$ 10 mil

Justiça eleitoral condena instituto de pesquisa a pagar multa de R$ 10 mil
O juiz da Propaganda Eleitoral do TRE-PB, Keops de Vasconcelos Amaral Vieira Pires, determinou o pagamento de multa de R$ 10 mil, pela empresa Real Time Big Data, que realizou e divulgou pesquisa de opinião pública, sem fornecer informações que comprovem sua transparência e veracidade. A multa pode ser diária e até aumentar de valor, segundo a Justiça, em caso de descumprimento da decisão. O requerimento de acesso ao sistema de controle para verificação e fiscalização sobre a coleta dos dados foi feito pela Coligação “Porque o Povo Quer”. Além da decisão do TRE-PB, o Ministério Público Eleitoral na Paraíba, por determinação do procurador Rodolfo Alves Silva, vai instaurar procedimento para apurar a ocorrência de crimes eleitorais.

Segundo a petição apresentada pela Coligação, a empresa reiteradamente continua sem trazer aos autos os elementos que permitam a checagem dos resultados publicados, sem indicar os dados relativos à observância da amostragem/estratificação sugerida; a efetiva realização das perguntas ou das respostas, assim como só forneceu quadro parcial das supostas entrevistas, sempre requerendo mais prazo para informar o nome dos entrevistadores. “Desse modo, diante da cada vez mais forte hipótese de se estar diante de um quadro de fraude, requer-se a aplicação de multa diária por desobediência/retardamento, assim como a remessa de cópia à Procuradoria Regional Eleitoral para apuração de crime”, diz o texto apresentado à Justiça.

 

A Coligação pede novamente que a Justiça determine o envio, por parte da empresa, dos mapas e todos os dados individualizados e detalhados sobre a amostragem, incluindo o perfil, no qual não consta qualquer pergunta capaz de identificar o entrevistado, como nome ou documento. O documento também trata da falta de transparência quando às coletas realizadas, além dos nomes dos entrevistadores, assim como as gravações das respectivas ligações telefônicas efetivadas.

 

Na decisão do juiz, ele ratifica a petição da Coligação, já que após análise da documentação apresentada pela empresa, não houve o cumprimento integral da primeira determinação judicial, “pois se limitou a listar os nomes dos entrevistadores, sem qualquer outro elemento de identificação que permita uma correta e completa fiscalização, em especial os números dos CPFs de tais entrevistadores”. Diante do exposto, pela reiterada atitude da empresa em descumprir uma determinação judicial, o magistrado condenou a empresa na pena de multa correspondente a R$ 10 mil por dia, até o efetivo e integral cumprimento judicial, “concedendo-lhe novamente o prazo de 24 horas para cumprimento, sob pena de ser elevada a multa já aplicada”.

DOCUMENTO TRE - PB

Redação com Assessoria Pauta PB


URGÊNCIA - Fabiano Gomes passa mal no PB-1 e é socorrido para hospital de JP

O comunicador Fabiano Gomes foi socorrido, na noite desta terça-feira (18), para o Hospital Ortotrauma de Mangabeira após passar mal no Complexo PB-1, onde está preso há 25 dias. A defesa do apresentador requereu na Justiça, semana passada, prisão domiciliar e internação dele após agravamento do seu quadro de saúde.

Ao Portal MaisPB a diretora do Ortotrauma, Jaqueline Aciole, explicou que o comunicador apresenta dores no peito e permanece em observação para realização de um eletrocardiograma, que investigará se há problemas mais graves ou se ele foi acometido por um pico de estresse.

Desde que foi encaminhado para o PB-1, esta é quarta vez que o apresentador apresenta problemas de saúde e é socorrido pelo Samu.

MaisPB


Luiz Couto afirma que a política paraibana está contaminada pelo crime organizado

Paraiba.com.br
Foto: Wallison Bezerra
O deputado federal e candidato a senador pelo PT, Luiz Couto afirmou na tarde desta terça-feira (18) que o crime organizado está presente tanto, na política paraibana quanto na brasileira. ‘O que se vê nos dias de hoje são políticos sendo financiados por este poder paralelo e a Paraíba também participa dessas negociatas", disse o deputado que não quis citar nomes.

Durante entrevista ao Programa Arapuan Verdade do Sistema Arapuan de Comunicação, Luiz Couto alertou que é necessário e urgente reestruturar a política brasileira para que ela se torne um espaço, um serviço em benefício do povo, " pois o que se vê nos dias atuais é que muitos políticos estão usando a política para se esconder e se proteger de suas ações maléficas", completou.

"De um lado temos o narcotráfico e do outro os milicianos ganhando dinheiro com a morte e o sofrimento de muita gente e temos que mudar essa situação porque, do contrário, vamos virar uma Colômbia", alertou o candidato que defende uma investigação rigorosa por parte da Polícia Federal por meio de sistemas de inteligência.

Sobre a invasão ocorrida no presídio PB-I, Luiz Couto afirmou que foi uma ação muito bem orquestrada e organizada e que por isso precisa ser investigada a fundo. ‘ O trabalho foi muito bem feito e tem gente por trás de tudo isso", alertou ao destacar ainda que a Segurança Pública precisa passar por uma reformulação porque não atende mais às necessidades da população.


João é recebido por pastor Estevam, que projeta êxito em sua caminhada política


Por Redação Paraíba Já - 18 de setembro de 2018 às 17:05

João é recebido por pastor Estevam, que projeta êxito em sua caminhada política
O candidato do PSB ao Governo do Estado, João Azevêdo, deu uma pausa em sua extensa agenda de campanha para ser recebido pelo pastor Estevam Fernandes, presidente da Primeira Igreja Batista de João Pessoa (PIBJP).

No encontro, que ocorreu no Templo Central da Primeira Igreja, no Centro da Capital, João reafirmou sua admiração pessoal por pastor Estevam, e elogiou o trabalho missionário desenvolvido pela PIBJP, sobretudo em áreas de maior vulnerabilidade da cidade, como por exemplo o bairro São José.

João também destacou que a ação desenvolvida por igrejas como a PIBJP tem tido papel fundamental na busca incessante do Estado pela redução da desigualdade social e da violência. Para o candidato do PSB, é preciso, cada vez mais, o poder público estabelecer parcerias com igrejas e Organizações não Governamentais (ONGs) sérias.

Ao término do encontro, pastor Estevam orou pela vida de João, pediu que Deus o projeta e projetou que o candidato do PSB logrará êxito em caminhada política.

Erradicação da pobreza

Considerado um dos mais respeitados líderes religiosos do país, pastor Estevam Fernandes é membro do conselho gestor do Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza no Estado da Paraíba (Funcep-PB) desde o primeiro mandato do governador Ricardo Coutinho (PSB).

O Funcep-PB é um instrumento do Governo do Estado que visa a promover o acesso dos paraibanos a níveis dignos de subsistência. Mensalmente, várias entidades são beneficiadas com o repasse de recursos financeiros por meio de projetos aprovados pelo conselho gestor.

Os recursos do Funcep-PB são oriundos do ICMS de produtos considerados supérfluos (como cigarros, bebidas, embarcações) e aplicados, exclusivamente, em ações suplementares de nutrição, habitação, educação, saúde, saneamento básico, reforço de renda familiar e outros programas de interesse social, voltados para a melhoria da qualidade de vida dos paraibanos.


Tárcio Teixeira denuncia pressão a servidores terceirizados por gestão de Cartaxo

 
Por Redação Paraíba Já 


O candidato ao Governo do Estado pelo PSOL, Tárcio Teixeira, acusou a gestão de Luciano Cartaxo (PV), prefeito de João Pessoa, de fazer pressão a servidores terceirizados para participarem de eventos políticos do candidato a governador Lucélio Cartaxo (PV).

Segundo Tárcio, uma servidora que trabalha em uma creche de João Pessoa lhe enviou um print mostrando suposta pressão em um grupo de WhatsApp para que as trabalhadoras terceirizadas fizessem “porta a porta” nas suas áreas.

Leia a nota na íntegra do candidato:

Não é de hoje que recebo denúncias de servidores terceirizados sendo obrigados a fazer campanha, seja de forma indireta com o velho “se não for você sabe, né?” ou direta, com visita do chefe na casa dos funcionários ou reunião entre servidores que acabam sendo levados uns a fiscalizarem os outros.

Hoje recebi um print de um grupo, a pessoa que passou afirma ser de um grupo oficial das pessoas que trabalham nas creches de João Pessoa. Essas trabalhadoras estão sendo obrigadas a participar de porta a porta em suas áreas.



Temos a obrigação de tomar público não apenas o ataque ao processo democrático, com esse desequilíbrio econômico, mas principalmente denunciar esse assédio contra os trabalhadores.

Além de tornar pública essa questão, faço uma sugestão, que tal verificar as doações de campanha via vaquinha, será que lá se encontram outros tantos terceirizados e codificados?

Esse novo verde é a cara da velha política.

Tárcio 50
Governador da Paraíba


Governo entrega Acauã 2 nesta quarta-feira em Campina Grande


Apresentação da aeronave será feita pelo governador Ricardo Coutinho às 10h, no Parque do Povo, em Campina Grande
Por: Blog do Gordinho

O Governo do Estado entrega oficialmente, nesta quarta-feira (19), o Acauã 2, o novo helicóptero da Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social, que vai reforçar o trabalho de combate à criminalidade e, a exemplo do primeiro, será utilizado em ocorrências de grande porte, que envolvam policiamento aéreo, salvamento aquático, resgate de vítimas e combate a incêndios.

A apresentação da aeronave será feita pelo governador Ricardo Coutinho às 10h, no Parque do Povo, em Campina Grande, ocasião em que também serão entregues comendas a policiais que se destacaram em suas missões.

Com a chegada do Acauã 2, que será integrada ao Grupamento Tático Aéreo (GTA), não haverá interrupção do serviço operacional no atendimento das ocorrências demandadas pelo Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop) e pelos órgãos operativos das Forças de Segurança da Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social, uma vez que um plano de manutenção de cada aeronave garantirá que tenha sempre outro helicóptero disponível, mesmo com a cobertura entre dois territórios. A nova aeronave possui prefixo PP–CPB pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Ainda em Campina Grande, o governador Ricardo Coutinho inaugura o ginásio esportivo da Escola Estadual Cidadã Integral Raul Córdula e assina contratos do Empreender Paraíba do município de Soledade.

Data: 19.09.18 – Quarta-feira

– Entrega do helicóptero Acauã

Hora: 10h

Local: Parque do Povo

– Inauguração do ginásio esportivo da Escola Estadual Cidadã Integral Raul Córdula

Assinatura de contratos do Empreender Paraíba do município de Soledade

Hora: 15h30

Local: Escola Estadual Cidadã Integral Raul Córdula


Virgílio se recusou a receber Alckmin em Manaus


Josias de Souza 
Pedro Ladeira/Folha

O prefeito tucano de Manaus, Arthur Virgílio, declarou em ato político na noite desta terça-feira (18) que Geraldo Alckmin não é o seu candidato. Três dias antes, em campanha na cidade de Rio Branco (AC), o presidenciável do PSDB havia tocado o telefone para Virgílio. Desejava incluir a capital amazonense na agenda da campanha. Foi desestimulado: “Não venha”.

Um emissário de Alckmin voou até Manaus para se reunir com Virgílio. Chama-se João Almeida. Ex-deputado federal pela Bahia, ele é diretor de gestão corporativa do PSDB. Pediu ajuda para elevar os índices de intenção de voto de Alckmin no Amazonas de hipotéticos 2% para pelo menos 6%. Virgílio recusou-se a ajudar.

O prefeito lembrou ao enviado do PSDB federal que tentou, em fevereiro, disputar prévias com Alckmin pela vaga de candidato do partido ao Planalto. “O Geraldo fez tudo para me isolar, fugir do debate e evitar a disputa”, acusou. “Eu disse a ele que não chegaria ao segundo turno, que não sairia do patamar de um dígito nas pesquisas.”

O prefeito tucano considera-se desobrigado de participar da campanha de Alckmin. Afora as rusgas recentes, Virgílio trouxe à tona uma velha contenda. Afirma que, no exercício do governo de São Paulo, Alckmin ajuizou no Supremo duas ações diretas de inconstitucionalidade prejudiciais aos interesses do pólo industrial de Manaus. “Ele não é a favor do meu Estado. Apoiá-lo seria como trair a minha terra.”


Verba pública que bancou candidatura cenográfica de Lula não foi devolvida

 
Josias de Souza 
Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Até o momento, o PT já gastou em sua campanha presidencial algo como R$ 26 milhões. Dinheiro majoritariamente público. O grosso serviu para cobrir despesas da candidatura-fantasma de Lula. E o partido trata a verba do contribuinte como pasta de dente que deixou o tubo. Não cogita devolver. Incorporou as cifras à contabilidade da campanha do substituto Fernando Haddad. E espera que tudo fique por isso mesmo.

Todos no PT —do porteiro aos dirigentes— sabiam que Lula seria proibido de disputar o Planalto. O partido estava tão ciente de que a Justiça Eleitoral barraria o seu ficha-suja que enfiou na chapa um candidato-laranja: Fernando Haddad. A insistência de Lula em prolongar a polêmica sobre sua falsa candidatura teve o propósito de ludibriar o eleitor.

Sob instruções de Lula, mobilizou-se uma infantaria de advogados para esticar um processo sabidamente inviável. Por quê? A polêmica dava contornos emocionais ao caso, preparando o ambiente para a transferência de votos de Lula para Haddad. As pesquisas sinalizam que o cambalacho pode ser um sucesso.

Se nada for feito, o PT terá atingido o ápice da malandragem perfeita: retirou do bolso do eleitor o dinheiro usado para ludibriar o mesmo eleitor. É como se a verba pública, nas mãos do petismo, fosse dinheiro gratuito.


Presidenciáveis miram servidores públicos para executar ajuste fiscal

 

Propostas e declarações dos presidenciáveis colocaram as entidades sindicais dos servidores públicos em estado de alerta. Os candidatos expõem a categoria como alvo de medidas de retirada de privilégios para fazer ajuste fiscal. Entre os temas polêmicos, está a reforma da Previdência.Seja quem for o eleito, as organizações dos trabalhadores do funcionalismo avaliam que o próximo ano promete fortes embates entre o governo e a categoria. O próximo presidente vai ter de enfrentar um grupo organizado e com uma forte bancada no Congresso, considerada uma das maiores: 289 deputados. Esse número tem 32 parlamentares a mais do que a maioria absoluta da Casa. E com chances de aumentar na próxima legislatura.

A eliminação de privilégios ou até mesmo a ameaça a direitos previdenciários de servidores é considerada uma ameaça presente. Na quinta-feira passada (13), a preocupação ficou explícita na manifestação de um grupo de servidores, com faixas abertas, em protesto, do lado de fora do prédio do Supremo Tribunal Federal (STF), na posse do novo presidente, o ministro Dias Toffoli. Para o diretor da Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco), Pedro Lopes, a atuação será necessária para evitar a supressão de direitos. “De Haddad a Bolsonaro, estamos prevendo um ano difícil”, disse Lopes, com base na posição dos candidatos mais bem avaliados nas pesquisas de intenção de voto: Jair Bolsonaro (PSL), Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede) e Geraldo Alckmin (PSDB).

De acordo com o secretário-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), Sérgio Ronaldo, haverá rota de colisão imediata, caso o próximo Executivo encaminhe suas propostas contra a categoria. “Não aceitaremos responsabilizar servidores pelas crises econômicas que vive o País”, advertiu. “ Vamos fazer muito barulho. Inclusive, a intenção é a ampliar a nossa bancada agora para estabelecer outros canais de diálogo ou fazer oposição, se for o caso”, apontou.Entre os sindicalistas, se necessário, haverá greve para forçar o Congresso e o próximo presidente a derrubar a medida provisória que adia, de 2019 para 2020, o reajuste salarial da categoria, que está no orçamento enviado ao Congresso.


Medidas Salários e mordomias

Até mesmo o PT, que já teve no sindicalismo dos servidores um de seus grandes redutos, defende medidas para combater, na ponta dos gastos, “privilégios previdenciários incompatíveis com a realidade da classe trabalhadora brasileira”, sem detalhar quais seriam. A legenda propõe uma unificação nos regimes dos servidores públicos para aproximá-los do regime dos trabalhadores da iniciativa privada. “O governo buscará a convergência entre os regimes próprios da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios com o regime geral”, diz o plano de governo do partido.

Bolsonaro passou a admitir o corte de privilégio por orientação do seu guru econômico, Paulo Guedes, que prega a redução das despesas do Estado além de amplo programa de privatizações. Mas quer mudanças previdenciárias gradativas.

“É um remendo de aço numa calça podre”, disse, referindo-se à proposta da Previdência da gestão Michel Temer, que teve a tramitação adiada por falta de apoio. Mais incisivo foi o candidato do MDB, Henrique Meirelles, que chegou a pregar o congelamento dos salários dos servidores por quatro anos.Salários e mordomias Para a candidata da Rede, ex-senadora Marina Silva, “o problema [dos gastos públicos] tem de ser atacado com uma reforma mais ampla do Estado, que abranja os Três Poderes e retire as brechas da lei que permitem salários superiores ao teto do funcionalismo, como o auxílio-moradia”. “Há que estudar em detalhe para identificar distorções e reduzi-las gradualmente.”

O entendimento de que é necessário cortar despesas com funcionários públicos para evitar desperdícios também está no programa de Geraldo Alckmin, que promete combater “mordomias”. “É justo que o trabalhador comum se aposente ganhando um máximo de R$ 5 mil enquanto o servidor público recebe R$ 40 mil, R$ 50 mil? Quem quiser se aposentar com R$ 30 mil terá que pagar por isso”, recomenda o programa do tucano.

Ciro Gomes concorda com cortes de privilégios aos servidores, mas registra que "os gastos com investimentos, saúde e educação deverão ser preservados". O candidato pedetista, criticou recentemente o reajuste de 16% a juízes federais e servidores públicos da União, em meio à crise fiscal. "Não é que o salário seja grande. Eu acho que juiz tem que receber salários decentes, os maiores possíveis e, acho, francamente, uma ‘impostura‘ ficar falando mal de salário” disse Ciro. “Eu estou falando é da ocasião", completou.
Fonte: DCI


Ibope: Bolsonaro subiu para 28%, Haddad para 19% e Alckmin cai para 7%

Pesquisa mostra que atacar Bolsonaro não rende votos ao tucano
Cláudio Humberto
n

Mesmo hospitalizado, sem fazer campanha, Jair Bolsonaro mantém a liderança no Ibope, com 28%.

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça (18) mantém Jair Bolsonaro (PSL) na liderança da corrida presidencial, mas com Fernando Haddad se consolidando em segundo lugar, se distanciando de Ciro Gomes (PDT).

O capitão reformado tem 28%, enquanto o petista subiu 11 pontos em relação ao levantamento anterior do Ibope e agora aparece com 19%. O pedetista aparece em terceiro, com 11%, mesmo índice da última pesquisa. Geraldo Alckmin (PSDB) caiu para 7%, apesar da estratégia de atacar Bolsonaro, e empatou tecnicamente com Marina Silva (Rede), que soma 6%.

A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
No pelotão seguinte aparecem empatados com 2% Alvaro Dias (Podemos), João Amoêdo (Novo) e Henrique Meirelles (MDB). Cabo Daciolo (Patriota) tem 1%, enquanto Guilherme Boulos (PSOL), João Goulart Filho (PPL), Vera (PSTU) e Eymael (DC) não pontuaram na pesquisa. Brancos e nulos somam 14%, enquanto 7% não sabem em quem vão votar.

Rejeição
Os líderes na pesquisa também são os candidatos com maior índice de rejeição. Bolsonaro é rejeitado por 42% dos eleitores, enquanto 29% não votariam em Haddad.
Em seguida aparecem Marina (26%), Alckmin (20%), Ciro (19%), Meirelles (12%), Cabo Daciolo (11%), Eymael (11%), Boulos (10%), Dias (10%), Vera (9%), Amoêdo (9%) e Goulart Filho (8%).

Segundo turno
Nas simulações de segundo turno, segundo o Ibope, Bolsonaro e Haddad empatam com 40% das intenções de voto. O candidato do PSL também empata em uma disputa com Alckmin (38%) e supera Marina (41% a 36%), e é superado numericamente por Ciro (40% contra 39%), mas tecnicamente empatados.
O Ibope ouviu 2.506 eleitores em 177 cidades brasileiras nos dias 16, 17 e 18 de setembro.
A pesquisa está registrada no TSE sob o número BR-09768/2018.

 

Diariodopoder.com,.br

 

 


Partidos têm em 2018 o maior faturamento da História: R$2,3 bilhões

Políticos criaram financiamento público para evitar PF na porta

Partidos já receberam R$ 2,3 bilhões dos fundos partidário e eleitoral este ano

Os 35 partidos políticos brasileiros já embolsaram somente nos oito primeiros meses de 2018, até agosto, R$2,3 bilhões públicos dos fundos eleitoral e partidário que os políticos inventaram para evitar Policia Federal na porta. A maior parte da tunga bilionária, R$1,7 bilhão, é do fundão eleitoral criado em 2017 com base no custo da eleição de 2014, a mais cara da História: R$5,1 bilhões. Fundo partidário e multas (que retornam aos partidos) aumentam a bolada. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diario do Poder.

As doações de pessoas físicas já somam R$194,5 milhões. Magnata das distribuidoras de combustíveis, Rubens Ometto doou R$6 milhões.

Os candidatos já usaram R$191,2 milhões do próprio bolso para fazer campanha. No ranking do TSE, 17 superaram a marca de R$1 milhão.

Candidato a presidente, Henrique Meirelles (MDB) é, com folga, quem mais investiu na própria campanha: R$45 milhões até agora.

O Tribunal Superior Eleitoral mantém a lista atualizada das despesas e o total, a mais de duas semanas da eleição, já é de R$ 3,2 bilhões.

Diariodopoder.com.br

 


Sidebar Menu