Equipe de Paulo Guedes critica omissão da Casa Civil na articulação das reformas



 

Secretário de Previdência, Rogério Marinho na prática é o principal articulador político do governo
Economia com a reforma aprovada em 1º turno supera as previsões do mercado
Grande articulador da reforma, o secretário de Previdência, Rogério Marinho, negocia com deputados no plenário da Câmara. Já a Casa Civil de Onyx Lorenzoni... - Foto: Michel Jesus/AgCâmara.

A Casa Civil não ajuda nada na articulação para aprovar projetos importantes, como a Medida Provisória da Liberdade Econômica ou a reforma da Previdência, segundo se queixam integrantes do time de Paulo Guedes no Ministério da Economia. Para os assessores de Guedes, a condição de “superministério”, provoca um certo ciúme nos demais ministros, sobretudo aqueles, como Onyx Lorenzoni, que rivalizam com Guedes no “protagonismo” do governo Jair Bolsonaro. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O secretário especial da Previdência, Rogério Marinho, é tido como o maior articulador político do governo, na aprovação de reformas.

Ao contrário da Casa Civil ou da Secretaria de Governo, assessores do Ministério da Economia negociam apoio com cada parlamentar.

NotíciasRelacionadas
Casa Civil sequer ajuda na articulação política
‘Pai’ da reforma

A Casa Civil e os articuladores oficiais não se moveram para aprovar a MP da Liberdade Econômica, considerado um grande avanço.

Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Luiz Ramos (Articulação) são considerados prováveis substituições em uma minirreforma ministerial.
Secretário de Previdência, Rogério Marinho na prática é o principal articulador político do governo
Redação Redação 02/12/2019 às 00:01 | Atualizado às 23:36
0
Economia com a reforma aprovada em 1º turno supera as previsões do mercado
Grande articulador da reforma, o secretário de Previdência, Rogério Marinho, negocia com deputados no plenário da Câmara. Já a Casa Civil de Onyx Lorenzoni... - Foto: Michel Jesus/AgCâmara.

A Casa Civil não ajuda nada na articulação para aprovar projetos importantes, como a Medida Provisória da Liberdade Econômica ou a reforma da Previdência, segundo se queixam integrantes do time de Paulo Guedes no Ministério da Economia. Para os assessores de Guedes, a condição de “superministério”, provoca um certo ciúme nos demais ministros, sobretudo aqueles, como Onyx Lorenzoni, que rivalizam com Guedes no “protagonismo” do governo Jair Bolsonaro. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O secretário especial da Previdência, Rogério Marinho, é tido como o maior articulador político do governo, na aprovação de reformas.

Ao contrário da Casa Civil ou da Secretaria de Governo, assessores do Ministério da Economia negociam apoio com cada parlamentar.

A Casa Civil e os articuladores oficiais não se moveram para aprovar a MP da Liberdade Econômica, considerado um grande avanço.

Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Luiz Ramos (Articulação) são considerados prováveis substituições em uma minirreforma ministerial.





Comentários


Comentar


Sidebar Menu