Não posso reconhecer autoridade moral numa mobilização dessa - Francis Lopes de Mendonça



Veja bem, meu problema não é contra o que o pessoal está gritando nesse momento em que figuras sinistras e deploráveis desse governo promovem cortes orçamentários num conluio entre demônios congressuais, governadores mal intencionados e outros animais escrotos. É contra tudo o que deixou de gritar enquanto empurrava goela abaixo safadezas e roubalheiras, só porque queria porque queria um governo de esquerda, a pretexto de que a direita reacionária é safadeza e roubalheira com retrocesso social.

Então não posso reconhecer autoridade moral numa mobilização dessa, embora reconheça a legitimidade da vontade popular, agora, em que se emudeceu por tanto tempo, diante de tantos erros e desmandos, inclusive assumindo democraticamente o poder em conluios secretos e negociatas de gabinete para dividir amplamente o poder e as falcatruas numa desenvoltura de uma sem-vergonhice sem fim.

Enquanto houver uma crescente desconfiança em relação à esses movimentos e a mobilização popular não for feita de forma racional, segundo a verdade e segundo os interesses da coletividade, para o povão ir às ruas e gritar que são milhões unidos contra os corruptos e larápios de TODOS os partidos, NÃO VOU À NENHUMA MANIFESTAÇÃO e terei todos esses movimentos como barulhentos, oportunistas e financiados por pelegos comprados pelo sistema para manipular as massas ignaras.

Pois esse sentimento de indignação apolítica do povo brasileiro não combina com carros de som e nem com representantes desta ou daquela organização, sob pena de perder qualquer sentido de urgência na provocação das reformas profundas que este país necessita e com as quais todo mundo sonha que ainda sejam possíveis. Prefiro ficar em casa vendo umas novelas boas da TV Globo.





Comentários


Comentar


Sidebar Menu