Por que Nelma? - Tião Lucena



Eu nunca imaginei Nelma morrendo. Ela era uma menina suave como uma noite de lua, terna como a própria ternura, fina e educada, sem vícios. Nunca fumou ou bebeu. Tinha tudo para viver muito, no entanto foi ferida mortalmente pelo câncer. E logo o câncer de pulmão.

Dizem que não existe explicação para a morte. Mas deveria haver. A morte teria que dizer os motivos pelos quais leva de nós gente boa e nova como Nelma e deixa viver gente velha e ruim como certos presepes que existem por aí.

Não nos víamos regularmente. Em algum tempo de nossas vidas , trabalhamos juntos em repartições públicas. Mas a cada encontro distante sempre aparecia o cumprimento gentil: “Como vai, Tião?” “Tudo bem, menina”.

De repente, como um pássaro solitário que cansou de voar pelos céus dessa vida, Nelma parte, sem aviso prévio, sem alardes, discretamente, como discreta era sua vida.

Claro que deixou a todos nós chocados e com um travo amargo de emoção trancando o peito.

Por que? Todos perguntam. Por que logo Nelma?

Ela era profundamente religiosa. Fez encontro de casais na nossa igreja. Tinha muita fé em Deus. E deve ter sido por isso que Deus a levou no dia em que seu filho, Jesus Cristo, também partiu.




Comentários


Comentar


Sidebar Menu