O presidente Epitácio Pessoa - Lourdinha Luna



 

 PRESIDENTE EPITÁCIO PESSOA: O Estado da Paraíba está de luto, com a ofensa que o autor da peça vencedora no Festival de Musica da Paraíba, ao fazer uma execração condenável ao grande paraibano, Epitácio Lindolfo da Silva Pessoa.

O agente da agressiva ação, CHICO LIMEIRA - é provável que nada conheça das ações de seu conterrâneo, em favor do Brasil e, em especial da Paraíba. Seu currículo registra que fora politico (Secretário Geral da Paraíba, no Império), Magistrado,

Professor Universitário, Jurista, Ministro (várias vezes) Presidente do STF, Presidente da República e representante do Brasil em Haia, na Comissão de Desarmamento. No posto Internacional muito se empenhou pela transposição de águas do São Francisco para o Nordeste. Eleito Presidente da República, sua preocupação maior foi o semiárido nordestino, onde construiu os açudes que ainda hoje servem aos sertanejos do Polígono das Secas. Abandonado o programa por seu sucessor - Artur Bernardes - (Cafe/Leite) o plano fora retomado em 1932, por seu fiel amigo Ministro José Américo,no MVOP, no governo Vargas.

Quando em 1915 - Epitácio - fora candidato ao Senado pela Paraíba, José Américo fora o coordenador de sua campanha. (Arquivo FCJA). Como Ministro da Justiça, no mandato conferido a Campos Sales, é responsável pela edição do Código Civil Brasileiro, confiada ao jurisconsulto Clóvis Beviláqua, professor na Escola de Direito do Recife.

Em 1920 ordenou a elaboração do recenseamento do povo brasileiro. O dito é uma sumula dos feitos de Epitácio Pessoa, que o pouco espaço me permite revelar. Esse cidadão merece a consideração dos seus coestaduanos e não afrontas e mentiras ofensivas a seu respeito.A peça vencedora no Festival de Musica da Paraíba execra o Presidente Epitácio, ao chamá-lo de "trapaceiro". É luto no Estado da Paraíba.




Comentários


Comentar


Sidebar Menu