Recordando Pelé - Lourdinha Luna




Em 1975, os jornais do pais, noticiavam a chegada à Brasília do“rei” Pelé, o maior jogador de futebol do mundo: A mídia nacional oferecia aos leitores palpites sobre qual a pauta da audiência que Edson Arantes solicitara ao Presidente Ernesto Geisel, para afastar-se, embora por pequena temporada, do Kosmos dos EEUU.

Ouvido, disse o visitante ao Presidente da Republica. "Se as autoridades brasileiras não cuidarem de nossas crianças, em 10 anos o Brasil será um pais de delinquentes!"
O governador do Rio de Janeiro Leonel Brizola havia criado criado, em 1962, os Centros Integrados de Estudos Públicos, sob a orientação pedagógica de 36 mil professores, ou “pais sociais.” O idealizador do projeto, sociólogo Darci Ribeiro, legou aos alunos um estilo de vida longe do crime. Eles passavam o dia nos CIEPS e só iam para casa dormir. Nos fins de semana havia disputas esportivas, e não sobrava tempo para a vadiagem perigosa. A ditadura militar extinguiu essas Escolas e a bandidagem, hoje, enluta a "cidade maravilhosa."

O que fizeram os poderes Executivo, Legislativo, Judiciário, Empresarial e a sociedade brasileira. Absolutamente nada. As classes representativas cuidaram de si e ao povo coube o desamparo. Os delitos da elite foram se multiplicando sem punição. A Ong Transparência Internacional informa que anualmente é desviado dos cofres públicos 85 bilhões de reais. Em tempos recuados quem roubava eram os pobres, no presente é a nata endinheirada.

São vazias as propostas para conter o banditismo nas favelas cariocas. Os moradores infantes e adultos não têm a quem apelar.

João Pessoa, 22.09.2017, 7,40hs.




Comentários


Comentar


Sidebar Menu