O Brasil e os seus 17 milhões de miseráveis - Francis Lopes de Mendonça



 É isso meus amigos. Já estou cansado e sem forças. Por isso não consigo mais gritar o que está estrangulado na garganta.

Vi agora a notícia de que mais 17 milhões de pessoas que saíram da faixa de miséria estão retornando cada vez mais miseráveis, fora os outros não sei quantos milhões que muitos rasgavam a boca para dizer que já não eram mais miseráveis; isso quer dizer que mais não sei quantos milhões não conseguiram manter o padrão de vida que alcançaram com a perda do poder de compra.

Falou-se muito em resgate da miséria, falou-se muito em nova ordem social depois do Bolsa Família. E quantas perplexidades me atormentavam e continuam a me atormentar, entre as quais envolve o fato de tanta gente, mesmo depois de 13 anos, continuar perambulando pelas estradas com bandeiras de MST, foice e enxadas, buscando assentamentos que nunca existiram.

E tantas perplexidades para as quais não tenho resposta e creio que mesmo pessoas de boa fé envolvidas, também não tem. Só acho que está na hora das pessoas deixarem de tapar o sol com a peneira e perceberem que existiu e existe uma diferença abissal entre o Brasil real e o vasto mar de rosas que a gente vê na propaganda político-partidária em ano eleitoral.

Espero que os amigos estejam certos e eu errado, ou que eu esteja certo e os amigos estejam errados. A história dará a resposta.

Agora só acho que só não se pode permitir que se feche o cerco contra a nossa incipiente e capenga “Democracia” conquistada a duras penas e estreite-se mais ainda o caminho para o autoritarismo, seja de esquerda ou de direita, com o perigo de recrudescer ainda mais o divisionismo, a segregação, o preconceito e a manipulação das minorias por parte de oportunistas e sanguessugas a quem só interessa fortalecer esquemas de poder.

A todos os amigos que participaram, cada um sem ter primeiro, recebam deste humilde palpiteiro a gratidão e o abraço verdadeiro.




Comentários


Comentar


Sidebar Menu