Brasil, Percam as esperanças, queridos otimistas - Francis Lopes de Mendonça



 

Percam as esperanças, queridos otimistas! O couro continua comendo no Brasil real do andar de baixo com desemprego em massa e recrudescimento dos problemas sociais, enquanto que no Brasil inacreditável do andar de cima a realidade é suficientemente abjeta e revoltante com os marginais a quem chamamos de "políticos" cuidando dos seus interesses de poder e seus privilégios e dispostos a tudo para livrar a pele, até mesmo se unir a seus piores inimigos numa guerra mortal que está aniquilando a sociedade brasileira, contanto que esses marginais travestidos de políticos sobrevivam para continuarem pilhando o dinheiro da nação.

Aliás, a notícia de roubalheira é uma coisa corriqueira. Mas o pior é saber que esses marginais permanecem mandando no país até que outros marginais tomem o poder, de forma democrática, para continuar os assaltos ao erário da nação.

Não é para isso que somos obrigados a participar dessa farsa, nem que o ato de participação seja apenas para dar o aval com o nosso voto a esse joguinho de dados viciado, só para darmos sustentação e legitimidade ao rol assombroso e escroto de privilégios especiais do poder dos quais nós, pessoas comuns, estamos excluídos?

Tudo embalado pelo espírito das "Diretas Já", de 1984, que hoje não passa duma imagem romântica perdida no tempo, morta e sepultada de vez pela polarização do confronto das minorias.

A História não se repete, a não ser como farsa. Na realidade, o Estado brasileiro apenas está servindo para ancorar um grande esquema de alimentar mordomias e mamatas imagináveis e inimagináveis do Legislativo, Executivo e Judiciário que são compostos por castas de senhores feudais viciados em benesses e altos salários.

Quem foi que disse que nesta pseudocracia a essência da "representatividade” é a "igualdade" entre o "representado" e o seu "representante"? Pois aqui o representante pode ser "mais" que o representado.

Os ditos "representantes do povo" podem ter mais privilégios do que os representados, o povo comum, esse mesmo povo que acumula a exaustão de tantos anos de roubalheira, sacanagem, traição, decepção e vergonha de viver tripudiado sob uma democracia tupiniquim porreta. Agora a saída digna para ele é o Guararapes ou o Galeão. Olhaí




Comentários


Comentar


Sidebar Menu