A soltura de presos e a hipocrisia de nossas autoridades - Camilo Macedo



 O cumprimento de penas no Brasil, não passa de uma grande comédia. Ouvia ontem um integrante da Comissão de Direitos humanos, tentando justificar que a interferência desta, ( sei lá o que), em defesa de um bom tratamento aos milhares de presidiários. Aquela comissão, estaria pensando nos que aqui fora estão. Alguém pode explicar tamanha asneira, ou besteira?

Vi incrédulo um Juiz, determinar a soltura de, mas de 150 presos, por falta de segurança num presido em Manaus. Num pais sério, este magistrado deveria responder por crime de responsabilidade.

O fato das facções se matarem dentro dos cárceres, não impõe a aquele magistrado, tamanha idiotice, ou seja fazer a população de refém. Penso que caberia a ele responsabilizar o estado e não penalizar o cidadão, pois imaginem que, além dos bandidos soltos, ele, ainda libere mais 150 para ruas, que certamente vão assaltar, matar, estuprar e roubar.

Falava o Dr. dos Direitos humanos, que é preciso ressocializar os presos, em verdade esta ressocialização, não deve ser plural, vamos deixar de ser hipócrita e posar para fotos. Existe o preso casual e o reincidente contumaz.

Como você vai reintegrar um marginal com diversas penas a cumprir, vezes em estados diferentes da Federação? Onde suas penas distintas somam 50, 60 anos de reclusão, afora outras dezenas de processos criminais a que responde.

A reintegração do preso na sociedade depende muito do crime por ele cometido, não há reintegração para o criminoso periculoso em cometer novos crimes, sua soltura estará condenando alguém da sociedade a ser sua próxima vitima e, portanto as nossas autoridades antes de pensarem nos criminosos e eventuais reintegração, devem primordialmente pensarem nas suas vítimas.




Comentários


Comentar


Sidebar Menu