A droga e o seu combate no Brasil - Francis Lopes Mendonça




Particularmente, não faço apologia às drogas, mas ao bom senso. A realidade social é mais forte que as leis. Não sei se já foi feito um estudo comparativo dos efeitos do cigarro, das bebidas alcoólicas, da maconha e da cocaína a fim de que pudéssemos conhecer os efeitos destruidores de cada uma dessas drogas.

Um estudo que apresentasse dados aritméticos relativos aos efeitos individuais psicológicos e orgânicos, violência, crime, acidentes, custos financeiros individuais e sociais.

No caso das drogas criminalizadas, é importante saber quanto gasta o governo em segurança. Não conheço os dados estatísticos,mas tenho a impressão de que as prováveis conseqüências pessoais e sociais das bebidas alcoólicas são muito mais catastróficas que as conseqüências pessoais e sociais do cigarro e da maconha.

O fato é que todas as drogas, inclusive o cigarro e as bebidas alcoólicas, causam malefícios. Mas, no caso das drogas criminalizadas, isto é aquelas cuja produção, distribuição e consumo a lei proíbe, o seu malefício maior talvez não esteja naquilo que elas possam fazer com os seus usuários, particularmente. Seu malefício maior está no fato de que, por serem proibidas, elas criam brechas para o estabelecimento de um império paralelo de violência, crime, dinheiro, corrupção, intimidação que coloca em perigo a ordem social.

Não são essas, precisamente, as situações que vivemos neste país, em relação ao narcotráfico? Ou será que o mercado das drogas no Brasil pode ser eliminado por meio de repressão do aparelho policial?...





Comentários


Comentar


Sidebar Menu