GONZAGA RODRIGUES - Camilo Macedo



 CONZAGA RODRIGUES – Luiz Consaga Rodrigues - nasceu em Alagoa Nova, filho único de Manuel Avelino Rodrigues e Dona Antonina Freire Rodrigues, Gonzaga desde cedo mostrou interesse pela literatura. Autodidata, não chegou a terminar o antigo ginasial e nem julgou que isso teria algum peso ou seria algum obstáculo para a sua trajetória como escritor. Conciliou a literatura com o jornalismo quando chegou a João Pessoa. Fez-se um “professor” no batente como repórter, revisor, tradutor de telegramas, autor de ensaios, entre outras funções nas redações dos principais jornais do Estado.
Testemunhou e fez História sendo testemunha ocular de movimentos como a formação das ligas camponesas e se fazendo presente como o homem de pensamentos e ideologias políticas sem militâncias, que dividia idéias e reivindicações com governantes como José Américo de Almeida (1887-1980), José Agripino, Wilson Braga e Tarcísio Burity (1938-2003), entre outros.
Já foi Secretário de Comunicação, presidente da Associação Paraibana de Imprensa (API) e da Academia Paraibana de Letras (APL), onde ocupa uma cadeira de imortal. Mesmo acostumado a dizer que os livros foram sua universidade, foi reconhecido com o título de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Já com anos de estrada jornalística que ajudou a pavimentar, defendia a instituição e o curso de Comunicação Social e a habilitação acadêmica que só se instalou no Estado no final dos anos 1970.
Sempre sonhou em ser poeta e escrever romances, mas emprestou o seu olhar atento e a sua sensibilidade de analisar o cotidiano para enriquecer a crônica paraibana, ofício que exerce desde 1970. Atualmente suas reflexões e observações podem ser conferidas três vezes por semana nas páginas do JORNAL DA PARAÍBA.
Dentre suas principais publicações, lançou a coletânea de crônicas Notas do Meu Lugar (Acauã), Retrato de Vida (Idéia), uma homenagem ao seu pai, Um sitio que anda comigo, e Café Alvear - Ponto de Encontro Perdido (Textoarte), Notas do meu Lugar, reminiscências sobre as conversas políticas e culturais no Ponto dos Cem Réis entre as décadas de 1960 e 70. dentre outros.
Gonzaga é personagem participante de parte da historia da Paraíba, parte dela estar contada em seu livro Café Alvear. O neguinho, como até hoje cariosamente é chamado, narra ali seus caminhos e as pedra, que lhe furavam os pés, até alcançar seu lugar e em definitivo como jornalista, nas redações dos jornais em nosso Estado. Costume dizer, que sou um homem de sorte, pois tive a honra de conhecer Gonsaga, pouco convivi profissionalmente com o nequinho, exatamente por isso deixei de apreender muita coisa, trilhei como reporter.

 

 

Do livro: Nnomes que fizerame fazem a história da Paraiba de Camilo Macedo

 




Comentários


Comentar


Sidebar Menu