Maranhão diz que vai fazer um sacríficio pela Paraíba e irá concorrer a Câmara Federal



O ex-governador José Maranhão anunciou ontem que não mais disputará a eleição de senador em 2014. Ele disse que decidiu abrir mão da candidatura para fortalecer o projeto do PMDB na eleição ao governo do Estado. Com isso, Maranhão revelou que vai sair para deputado federal. “Eu ainda faria um esforço para disputar uma eleição majoritária, no cargo de senador da República, mas eu percebo que devo mais uma vez fazer um sacrifício em favor do meu partido no sentido de fortalecer a candidatura de Veneziano Vital do Rêgo”.

Ele disse ainda que a saída do seu sobrinho, Benjamin Maranhão, do PMDB, também contribuiu para a decisão de disputar a eleição de deputado federal. “Se o deputado Benjamin tem permanecido no PMDB, a situação seria outra, mas, uma vez que ele deixou o PMDB, eu não posso recomendar seu nome. Não temos intenção de fazer confronto, de tentar desqualificar sua candidatura, até porque é um direito que ele tem, mas partidariamente eu não vejo como renunciar a uma candidatura para apoiar a dele, já que ele deverá se candidatar fora da legenda do PMDB”, afirmou.

As declarações foram feitas na sede do diretório estadual do PMDB, onde Maranhão participou do encontro “PMDB Mulher contra o câncer de mama”, organizado pela deputada federal Nilda Gondim. Durante entrevista antes do evento, o ex-governador criticou a decisão do deputado Benjamin Maranhão de se filiar ao Partido Solidariedade.

“Eu acho que ele não fez a melhor opção, pela tradição da família, pela consideração que o PMDB sempre teve e tem com ele, pelo apoio decisivo que eu dei em todas as suas campanhas. Mas, cada cabeça é um mundo e cada um tem o direito de escolher os seus próprios caminhos”.

Presidente estadual do PMDB, Maranhão fez uma avaliação do quadro político atual e disse que só existem duas candidaturas postas ao governo do Estado, que são as de Ricardo Coutinho e de Veneziano Vital do Rêgo. Segundo ele, o ideal seria que as oposições marchassem unidas logo no primeiro turno.

“Como estamos ainda a um ano da eleição não dá para a gente saber quem vai se coligar com quem. Eu acho que os partidos de oposição estarão coligados”.

Sobre enfrentar o governador Ricardo Coutinho, ele disse que não será uma eleição fácil para o PMDB. “Eu não acho fácil, não é uma campanha do já ganhou. Não vamos fazer campanha nesse nível, nós vamos fazer uma campanha de mobilização de todos os segmentos da sociedade. Na verdade essa campanha vai ser balizada pela discussão de projetos, ideias, princípios. Eu acho que isso é fundamental”.

Fazendo uma avaliação da gestão administrativa do governador Ricardo Coutinho, Maranhão destacou que “tirando a propaganda enganosa que é feita todos os dias, é um governo fraco, é um governo que não tem um projeto, uma diretriz, que até agora não disse a que veio”. Para o peemedebista, o atual governo não conseguiu resolver os problemas nas áreas de saúde, educação e segurança.



Jornal da Paraíba




Comentários


Comentar


Sidebar Menu