Quem não aguentar, corra!



 O prefeito Luciano Cartaxo está criticando o PSB “por estar armando o palanque antes do tempo”.

Ora, prefeito, quem é coxo parte cedo, já ensinava a madre superiora.

Além do mais, fazer reuniões em bairros periféricos não ofende, não faz mal, não causa constipação e não provoca gripes fortes.

Quando muito deixa algumas pessoas com dificuldade para adormecer.

Alguns perdem o sono por não conseguirem, por absoluta anemia eleitoral, reunir meia dúzia de gatos pingados.

Mas isso são os ossos do orifício, como dizia aquele famoso desportista que virou prefeito.

E para desgosto do alcaide, informo, porque fui informado, que tais reuniões vão continuar acontecendo.

Esta semana tem de novo.

E só não convido o prefeito para comparecer, porque é bem capaz dele não aceitar.

Daqui pra lá digo local, dia e hora.

E ainda ensino como chegar lá.

E a pancada do bombo vai continuar assim.

Toda semana um encontro, mês a mês, dia a dia, semana a semana.

E quem achar ruim, se mude.

De preferência pra bem longe.

blogdotiaolucena.com.br

 

Os devaneios de Nonato Guedes



 Blogdotiaolucena.com.br
Nonato Guedes disse hoje na sua(dele) coluna que Ricardo Coutinho traiu Cássio, Maranhão e apunhalou João Azevedo pelas costas.

**

Onde Ricardo Coutinho traiu Maranhão, se ele, Ricardo, votou em Maranhão em todas as campanhas majoritárias disputadas pelo veím de Araruna? A única vez que Ricardo não votou em Maranhão foi em 2011, porque, naquele pleito, disputava com o próprio Zé.

**

Traição a Cássio também não houve. Ricardo se elegeu governador em 2011 com o apoio de Cássio e Cássio se elegeu senador com o apoio de Ricardo. Ricardo ganhou um mandato de quatro anos, com direito a reeleição e Cássio um de oito, ao fim do qual seria o candidato natural à sucessão de Ricardo.

**

Mas Cássio cresceu os olhos e rompeu com Ricardo antes de terminar os quatro primeiros anos para ser candidato a governador. Botaram na cabeça dele que ganharia de Ricardo no primeiro turno e o senador encantou-se com o canto da sereia. Não ganhou. Perdeu. E quatro anos mais tarde perdeu de novo, ficando em quarto lugar na disputa pelo Senado.

**

E quanto a punhalada que João teria levado, esta só aconteceu nos devaneios de Nonato Guedes.

**

João não foi traído por Ricardo. João ganhou uma eleição para governador, ainda no primeiro turno, graças ao apoio de Ricardo. Aliás, naquela eleição Ricardo sacrificou uma eleição para o Senado porque, se tivesse deixado o Governo para se candidatar, João seria substituído por Ligia Feliciano. Todo mundo sabe disso.

**

Ricardo ficou para manter João na disputa, caminhou com João pelos quatro cantos do Estado, mostrou que o atual governador seria a continuação do seu Governo e o povo, acreditando nisso, votou em João.

**

Se houve alguma punhalada, esta não foi desferida por Ricardo Coutinho. E tampouco o apunhalado foi João Azevedo.

**

O Flamengo fez barba, cabelo e bigode. Ganhou a taça de campeão sul americano e neste domingo, sem jogar, se sagrou campeão brasileiro.

**

E de repente Bolsonaro virou flamenguista. O pessoal do Palmeiras ficou com queixa.

**

Acho um desperdício esses shows financiados por Prefeituras a pretexto de comemorar isso ou aquilo.

**

E por hoje é só.

Quem teria interesse em queimar Ricardo Coutinho com mentiras?



Os defuntos do fuxico, do boato e das notinhas plantadas, deixaram o cemitério e retornaram a todo vapor.

A missão deles é escrachar aqueles que , de uma maneira ou de outra, façam sombra aos seus interesses escusos.

Para conseguir seus objetivos, não medem distâncias.

Usam e abusam até da boa fé dos propagadores.

Num programa de rádio, hoje cedo, conhecido radialista/publicitário disse, por exemplo, que o ex-governador Ricardo Coutinho teria se afastado de João Azevedo por discordar da nomeação de Seraphico da Nóbrega para o cargo de Procurador Geral de Justiça.

A notinha, venenosa e desprovida de verdade, não deve ter sido uma criação do propagador.

Isso é coisa de profunda inspiração, de poeta mais engajado na arte de fuxicar. O radislista apenas se prestou à tarefa de transmissor do virus, feito o mosquito que transmite a dengue.

Por que Ricardo Coutinho seria contra a recondução de Seraphico, se foi ele quem o nomeou para o primeiro mandato, sacrificando inclusive um amigo que ficara em segundo na lista triplice?

A pergunta que insisto em fazer é:Quem teria interesse em queimar Ricardo Coutinho com mentiras?

Voltarei ao assunto.

 

Tião Lucena

 

 

Por que Nelma? - Tião Lucena



Eu nunca imaginei Nelma morrendo. Ela era uma menina suave como uma noite de lua, terna como a própria ternura, fina e educada, sem vícios. Nunca fumou ou bebeu. Tinha tudo para viver muito, no entanto foi ferida mortalmente pelo câncer. E logo o câncer de pulmão.

Dizem que não existe explicação para a morte. Mas deveria haver. A morte teria que dizer os motivos pelos quais leva de nós gente boa e nova como Nelma e deixa viver gente velha e ruim como certos presepes que existem por aí.

Não nos víamos regularmente. Em algum tempo de nossas vidas , trabalhamos juntos em repartições públicas. Mas a cada encontro distante sempre aparecia o cumprimento gentil: “Como vai, Tião?” “Tudo bem, menina”.

De repente, como um pássaro solitário que cansou de voar pelos céus dessa vida, Nelma parte, sem aviso prévio, sem alardes, discretamente, como discreta era sua vida.

Claro que deixou a todos nós chocados e com um travo amargo de emoção trancando o peito.

Por que? Todos perguntam. Por que logo Nelma?

Ela era profundamente religiosa. Fez encontro de casais na nossa igreja. Tinha muita fé em Deus. E deve ter sido por isso que Deus a levou no dia em que seu filho, Jesus Cristo, também partiu.

Porque hoje é sábado - por Tião Lucena



 1 – Novidades no 3404, aquele inquérito que apura o caso do dinheiro voador, o famoso dinheiro que voou pela janela do Edifício Concorde em 2006 e que tem como indiciado o hoje senador Cássio Cunha Lima. Ele está concluso para a ministra relatora Rosa Weiber. Resta aguardar a decisão que tomará a ministra.

2 –Faz mais de dois anos que a Prefeitura interditou a Estação Ciências, a bela Estação que enfeitava a Ponta do Cabo Branco e, pasmem senhores, pasmem senhoras e senhoritas, sequer começou as obras. Enquanto isso, a Estação vira sucata, desmorona, está uma favela.

3- E o nosso Aguinaldinho Ribeiro acabou de ser denunciado, ao lado de colegas do PP, por organização criminosa. A matéria está na Veja.com e quem quiser detalhes é só digitar o endereço acima e encher o bucho.

4 – Prefeitura de João Pessoa tapando buracos com catembas de coco verde. Uma beleza de Creuza e viva a ecologia! Deveria cobrir os cocos com picolé de manga, ficava tudo verde e ainda por cima, fresco.

5 – Antonio de Souza, promovido de tesoureiro a porta voz do PMDB no Estado. Eu sabia que um dia Toinho sairia daquela posição servil de carregador de maleta do senador Maranhão para brilhar na ribalta como ator de primeira grandeza. Aleluia.

6 – Vocês conhecem Doutor Neto? Ele é ex-prefeito de Sumé e foi denunciado, juntamente com ex-assessores, pela Procuradoria Geral da República, que inclusive pediu sequestro de bens. Eles são acusados dos crimes de concussão (exigir vantagem indevida em razão da função – artigo 316 do Código Penal) e corrupção passiva (artigo 317 do Código Penal).

7 – Pescando do blog de Zé Duarte, informo aos queridos leitores e leitoras que o prefeito de Princesa Isabel, Ricardo Pereira (PSB), assinou cinco ordens de serviços na manhã desta sexta-feira (1º), em solenidade realizada na Câmara de Vereadores. As ordens, no valor de quase R$ 2 milhões, serão destinadas à reforma do Hospital Municipal São Vicente de Paulo (HMSVP), do prédio que abrigará a unidade do Corpo de Bombeiros, além da conclusão do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e pavimentação em paralelepípedos de ruas em diversos bairros da cidade, como ainda a recuperação de calçamentos e prédios municipais.

8 - Na ocasião, Ricardo Pereira anunciou também a contratação das atrações musicais Feitiço de Menina, Rafael Bezerra, Galã do Brega e forró-pé-de-serra para a XV Festa da Mandioca de Lagoa de São João, que acontecerá de 15 a 17 deste mês, com toda a estrutura profissional (palco, iluminação, entre outros equipamentos).

9 – O governador Ricardo Coutinho inaugurou a adutora de Itaporanga. Agora o povo de Itaporanga não vai mais receber água a prestação e tomar banho de cuia como tomava. Achando pouco, foi a Coremas e inaugurou a estação de tratamento, para permitir ao coremense o acesso a uma água boa e tratada, sem os famosos cabeças de pregos do passado.

10 – O prefeito João Dória Júnior responde na justiça por invasão de área pública. Ressalto que fez isso quando ainda não era prefeito.Depois eu conto bem direitinho mais essa façanha do homem que foi homenageado com o título de Cidadão Campinense sem nunca ter feito nada por Campina Grande.

11 – E agora lá se vão meus abraços para Elton Santana, Chico Pinto, Carlos Chianca, Fred Menezes, Luciano Bernardo, Marco Antonio Gouveia de Morais, Marcos Pires, Vavá da Luz,Zé Carlos, Antonio Carlos, João Bosco Almeida, Abelardo Fernandes,Val Franca, Adriana Rodrigues,Agamenon Vieira,Alan Moura e Alex Filho.

12 - O despachante Beto Montenegro procurou o otorrinolaringologista Dr. Sabino, em Cajazeiras, queixando-se de mouquice:
-Doutor, peido com toda a altura do mundo e nada escuto -, reclamou.
Doutor Sabino passou um remédio e Beto foi embora. Voltou 15 dias depois, eufórico:
Doutor Sabino, a coisa melhorou muito. Posso dar até uma bufinha que o ruído chega fácil, fácil aos ouvidos. E deu uma para mostrar que estava falando a verdade.
Foi quando doutor Sabino, protegendo as fuças com um lenço perfumado, sugeriu:
-Agora nós temos que curar é a sua sinusite.

Nem lhe deram uma cova - Tião Lucena



 

Hoje eu revi Maurilio Javari, o grande amigo de Luiz Otávio.Eu disse grande? Pois menti. Maurilio foi o único amigo de Luiz Otávio. Tanto foi, que é, hoje, o único que ainda chora a sua morte. Os outros amigos de Luiz não era amigos de Luiz, eram amigos do radialista, gostavam de se promover às suas custas.Mas bastou Luiz morrer para ser esquecido por todos eles.

Maurilio me dá notícias de Luiz depois de morto. Ele não ganhou túmulo no Cemitério Senhor da Boa Sentença. Sua cova está escondida, debaixo de uma moita. E não tem letreiro identificando quem está debaixo da moita. Virou indigente. E eu me pego a pensar no Luiz em vida, no Luiz paparicado, chaleirado, endeusado, convidado para festas e rapapés, frequentador festejado dos salões palacianos, confidente de governadores, de desembargadores, de deputados, de senadores, até de arcebispos.
Maurilio está com artrose nos dedos. Artrose e artrite. E enviuvou. Depois de muito procurar, achou o amor da sua vida. Mas o romance só durou três anos. A moça morreu de câncer e Maurilio ficou só. Já ficara só com a ausência do seu amigo Luiz Otávio. Agora ficou na solidão que ronda a viuvez.

Ele chorou. Eu o deixei chorar. Chorar é bom para o coração.

Mas me peguei a pensar no que o futuro nos reserva. A morte, essa coisa certa na nossa existência, nos revela uma ingratidão enorme. E me dei razão por ter decidido abrir mão dos afagos gratuitos. Não vou aos restaurantes de tapinhas nas costas, não compareço aos canapés praieiros. Eles são superficiais. Eles são uma fábrica daqueles amigos descartáveis que viviam ao redor de Luiz Otávio.

Quando eu morrer, já sei que nem visita desse povo vou receber no velório. Mas de logo abro mão delas. Contentar-me-ei com um toco de vela que algum vagabundo boêmio, de noites indormidas e de tetos incertos, colocar na minha mão.

O dia em que dinheiro voou na Paraíba - Tião Lucena




Não sei fazer análise profunda. Nem literária, nem médica, tampouco jornalistíca. Deixo para os especialistas. Mas ouso botar o dedo nessa querela Cássio/Ricardo Coutinho.
O senador Cássio vive a sonhar com uma vingança. Ele não perdoa Ricardo Coutinho por ter colocado uma mancha no seu currículo de seguidas vitórias. Criado para vencer e convencido de que jamais perderia, Cássio descobriu que não era imbatível. E foi derrotado por aquele que ele menosprezava e alardeava de ser sua cria.

Por isso, passa as 24 horas do dia pensando em Ricardo Coutinho. Pensa para dormir, sonha com ele e acorda pensando nele.

Hoje, por exemplo, convocou parte da imprensa que comunga com suas idéias de grandeza para, segundo disse, prestar contas de suas atividades parlamentares. Foi um café da manhã. Ouso achar que meu amigo Rubão não foi convidado, porque faltou a divulgação, no seu blog, do cardápio consumido.

Pois bem, em vez de enumerar suas conquistas e lutas, Cássio passou o café inteiro falando do que mais gosta: de Ricardo Coutinho. Criou até uma hashtag intitulada “julga TRE”, para por em dúvida, publicamente, a imparcialidade dos juízes que compõem a Corte Eleitoral.

Como o senador tem telhado de vidro, logo viu aparecer na imprensa outra hashtag com a sugestão “julga STF”, referindo-se ao inquérito que dorme no Supremo desde 2007 e trata do caso do dinheiro voador.

Vocês lembram desse caso?

Se não lembram, eu refresco a vossa memória.

Há, na Epitácio Pessoa, um opulento edifício chamado Concord. Nele, um empresário chamado Olavo Cruz, hoje assessor de gabinete de Cássio, foi flagrado com uma montanha de dinheiro destinado a comprar votos para a campanha à reeleição de Cássio Cunha Lima. A Polícia Federal bateu em cima e Olavinho, na tentativa de se livrar da polícia, jogou pela janela do edifício a bagatela de 400 mil reais. Foi nota voando pelos ares, transformando o céu de João Pessoa num imenso cifrão.

Lá dentro do escritório foram encontrados mais dinheiro e documentos comprovando que era numerário para gastar na campanha de Cássio.

Pois bem, esse episódio motivou a abertura de um inquérito que mais tarde foi remetido ao STF em razão da eleição de Cássio para o Senado.E permanece lá, sob a relatoria da ministra Rosa Weber, desde 2007. Dia cinco último foi mandado ao Ministério Público Federal para emissão de parecer.

Pois veja bem, leitor amigo, o senador Cássio, que pede celeridade ao TRE, sequer menciona o seu inquérito no Supremo. E olhando os dois casos, acho que o caso cabeludo não é o do Empreender que gastou dinheiro com gente carente. Cabeludo é o caso do dinheiro que criou asas e escandalizou o país.

Inveja quando não mata, entorna - Tião Lucena



 
Seria a glória para determinados adversários do governador Ricardo Coutinho, ver a barragem de Camará arrombar, mesmo sem água. Acostumados a desmanchar o que os outros fizeram, esses desafetos de Ricardo não escondem o ciúme que sentem dele por conta desse amontoado de obras que vem inaugurando nos últimos seis anos. É tanta obra que deixa a turma do contra zonza, sem ação, sem argumento e sem assunto.

Por isso a catástrofe anunciada por Helder Moura viria a calhar. Seria o filé do parangolé, como se diz lá em nós.

Mas a barragem nem poderia arrombar, mesmo que quisesse. Como arrombar sem água? Ela está lá, erguida, a espera das chuvas. E quando encher, com certeza distribuirá água para todo o brejo. Foi para isso que a refizeram.

Camará foi construída em cima de uma pedra torta. Carecia de manutenção, mas quem deveria fazer esse trabalho preventivo, não o fez. Ao contrário, deixou a parede arrombar para botar a culpa no até então desafeto. Segundo o deputado Tião Gomes, o homem que governava à época festejou o acontecimento com um viva e com um “agora eu lasco ele”. Ele era o construtor da obra mal construída.

O tempo passou e chegou a vez do Mago assumir o governo. Ele assumiu, prometeu e reconstruiu Camará. Fui ver a obra de pedra, cal e cimento. É de encher os olhos.
Aí aparece a turma do contra, a turma da inveja, para dizer que a barragem vai arrombar de novo. Arrombar sem água para tanto. Nem mentir a turma sabe mais. Nem inventar direito, inventa.

Tudo para tentar empanar o brilho dessa gestão do Mago Ricardo Coutinho, o homem que enfrenta a crise sem baixar a cabeça, que não deixa o funcionário sem dinheiro e não se cansa de inaugurar estrada, viaduto, adutora e barragem.

Repito, seria a glória para a turma da preguiça ver Camará cair em cima do povo brejeiro. Seria. O verbo está bem empregado. Seria, mas não será. E os ciumentos, os invejosos, o que não aguentam ver o show do Mago, vão continuar morrendo do bofe, chorando pelos cantos de parede e se enforcando num talo de coentro.

Meu "lindro" Inaldo Leitão - Tião Lucena



 
Pra começo de conversa, meu protesto: Inaldo Leitão não é todo feio. Ele tem muita coisa bonita nele. Se não tivesse, como explicar tantos amigos ao seu redor, tanto sucesso na vida sentimental, tantas vitórias na vida profissional e aquela atração pessoal que faz todo mundo silenciar para ouvi-lo dissertar sobre a vida política e afetiva de nossa terra?
Acabei de receber uma nota de Inaldo explicando esse negócio do dinheiro que a Odebrecht diz ter dado a ele. O amigo confirma que recebeu, mas foi um recebimento dentro dos conformes, com recibo emitido e prestação de contas feita à justiça. Nada de tramoia, de safadeza, de cambalacho.

E ele nem precisava dar essas explicações. A Paraíba conhece Inaldo Leitão. Se Inaldo fosse um corrupto, seria um homem rico. Foi deputado estadual, presidiu a Assembléia, ocupou o Governo interinamente, depois se elegeu deputado federal, conhece meio mundo de gente em Brasília, mas continua no batente forense, trabalhando e dando aulas para conseguir o dinheiro da feira.

Um corrupto não precisaria disso. Estaria desfrutando o bônus de sua safadeza.
Eu, daqui deste modesto espaço, digo e até aceito contestação: boto a mão no fogo por esse mago que a Odebrecht chama de todo feio e eu chamo de “todo lindro”, “lindro” de caráter, “lindro” de decência e “lindro” como pessoa humana.

Vivemos a Ditadura do Judiciário? - Tião Lucena




É muito poder nas mãos de um homem só.Bastou uma canetada, ou melhor dizendo, meia canetada, para um ministro do Supremo afastar o presidente do Senado Federal. Isso mesmo, do Senado Federal, uma das pilastras do poder democrático.
A partir de hoje, ninguém pode se sentir seguro em nenhum cargo no Brasil. Basta um ministro ou mesmo um juiz comum se invocar e meter a caneta, para o inatingível de hoje virar boneco sem uso no raiar do outro dia.

No caso de Renan, até que não se lamenta. O sujeito é um delinquente, além de golpista. Ele prova do mesmo fel que espalhou na boca da antiga amiga Dilma. Mas esse não é o caso.

O amigo e procurador Felipe Silvino deu a dica: está instalada no Brasil a ditadura do judiciário. O mesmo judiciário que não pune os seus, pune com rigor os que estão no outro lado. E não pune um qualquer, acunha nos costados de um senador da república, presidente do Poder Legislativo Federal.

É muita coisa para uma canetada só. É poder demais nas mãos de um único ser humano.

Agora, aqui pra nós, isso cheira a revide. Renan queria aprovar medidas que não eram do agrado do judiciário.Queria responsabilizar criminalmente quem cometesse crime de responsabilidade. Isso mexeu com o corporativismo de alguns magistrados que se acham acima da lei. E a rebordosa se fez sentir nessa canetada impetuosa.
Quero só ver o que os demais ministros dirão desse ato solitário do ministro Marco Aurélio.

Porque hoje é sábado Postado por Tião Lucena




A notícia com mais detalhes vai contada lá embaixo, mas eu conto aqui de novo pois sou irmão coruja: dia 26, uma sexta feira, a partir das 16 horas, a Câmara Municipal de João Pessoa abre suas portas para homenagear o mano Edmilson Lucena com o título de Cidadão Pessoense e com a medalha Cidade de João Pessoa. E eu estarei lá, batendo palmas e pedindo bis.
**
Na cidade do Conde pagou-se um milhão de reais pelo carnaval.E a prefeita dizendo que está em crise. Crise desse jeito? Rapaz, pra tudo tem um limite nesta vida, porém no Conde atual parece que o limite é o céu.
**
A coisa subiu de um jeito que dá pra acreditar que não vai baixar mais.Falo da coisa feijão, arroz, carne e derivados, pois a coisa dos veíns já subiu faz tempo com o cachete azul.
**
Raimundo Lira, caladinho, insinuante, vai ganhando espaço em Brasília e botando os faladores no bolso. Ninguém se surpreenda caso ele seja mesmo indicado líder do Governo no Senado.
**
Só que ser líder do Governo Dilma, no momento, não representa um troféu e sim uma coroa de espinhos.
**
Segundo Valdecir, aquele blogueiro recentemente nomeado para cargo relevante de radialista na Prefeitura de João Pessoa, já teria havido um acordo entre o senador Maranhão e o prefeito Cartaxo. No caso em tela, não há porque duvidar, pois o informante é contratado pela Prefeitura para informar os fatos tidos como verdadeiros.
**
Zé Alan solta o alerta lá de Sousa, Miguezim acunha lá de Brasília sobre o tema: se a Zica e a Chicugunya são transmitidos através de odores fortes, como eles dois e os demais farão quando soltarem suas bufas pós farras à base de cachaça papuda e sarapatel de porco?
**
Chico Pinto preside feirão de colchões no Manaíra Shopping. O novo empresário de João Pessoa só não está mais rico do que Roberto Santiago, mas chega lá já já.
**
Valdir Porfírio entusiasmado com um novo amor oriundo das terras de Rondonia. Vai selar o romance com um passeio a Fernando de Noronha.
**
Informa magistrado amigo nosso que o publicitário que se suicidou estava prestes a ser condenado por estupro de uma menina de seis anos.Um tarado.
**
Cadê as chuvas?
**
E agora lá se vão meus abraços para Cláudio Vinagre, Ovidio Mendonça, Marcos Inácio, Chola Morato, Eduardo Mayer, Nilo Feitosa, Mousinho do Paraiban, Manoel Arnóbio, Geraldo Medeiros, Marcos Benjamin, Ronaldinho Cunha Lima, Marta Ramalho, Wagner Dorta, Fabiano Gomes, Antonio Malvino, Anita Leite, Maria de Ontoim Negão e Zé de Bezeca.
**
Arnóbio Viana, então prefeito de Solânea, promovia comício onde Ramalho Leite era o candidato a Deputado. O locutor era Derci e o tema dominante era o aumento da gasolina.
Querendo dar sua contribuição ao tema discorrido pelos oradores, Derci deitou falação:
- O aumento da gasolina faz mal à saúde...
Antes que concluisse a frase, recebeu uma canelada de Arnóbio.
Sem demonstrar incomodar-se com a advertência que atingiu a sua perna, Derci gaguejou:
- Eu explico, eu explico...Vai uma ambulância com um doente para o hospital, falta gasolina na ambulância. O doente morre. Então, o aumento da gasolina faz mal à saúde...

Imprensa isenta? - Tião Lucena



Volto ao assunto, ele é palpitante. Falo da imprensa engajada, aquela que toma partido. Aqui na terrinha, parte dessa imprensa é chamada de imprensa heróica porque fala mal do Governo. Falou mal do Governo é heróica, é independente, é imprensa séria e comprometida com as coisas da sociedade. Isenta, esta era a palavra que vinha procurando enquanto alinhavava estas outras. Pois eles, os membros da imprensa que ganham dinheiro para falar mal do Governo, integram o time dos isentos.

Os que tomam o partido do Governo são vendidos, comprados, o escambau. Não importa se o profissional apóia o Governo porque acredita nele. É pau no lombo, nas costas e na moleira. “Governo é pra sofrer”, já dizia Mocidade.

Na Paraíba dos dias de hoje temos coleguinhas que passam as 24 horas do dia falando mal do Governo. Eles são os mocinhos da história na ótica caolha das viuvas do poder. O mais danado é que, não faz muito tempo, eles chamavam os seus defendidos de agora dos mais deslustrados nomes. Teve um que perdeu emprego na empresa onde era quase tudo porque o candidato que recebia suas ofensas ganhou a eleição e a empresa queria morder o bolo palaciano.

Ai a onda mudou de lado. O profissional não acompanhou a onda, apostou no perdedor e leva a vida a botar defeito no atual Governo.

Não o censuro. Mas não concordo com o endeusamento. Aqui na Paraíba a imprensa toma partido. É azul ou encarnada, jamais neutra.

E quem se diz neutro é mais mentiroso do que aquele marido safado que enganava a mulher dizendo que ia pescar piaba no açude, quando na verdade entrava no mato para caçar rolinha.

Sidebar Menu