Bolsonaro compara Maia a namorada que quer ir embora



 
​Presidente afirma não saber o que fez Maia querer deixas negociações da reforma da previdência no Congresso


Por Notícias ao Minuto com Folhapress
 

Irritou o Congresso o fato de Bolsonaro ter feito nas últimas semanas declarações em tom crítico à política e que está sofrendo "pressão" por ceder à prática de troca de cargos por apoio político. (Foto: Reprodução)
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta sexta-feira (22) que está a disposição para conversar com o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) sobre a articulação da reforma da Previdência. Maia teria ligado para Paulo Guedes mais cedo dizendo que deixaria as negociações políticas da reforma.

"Queria saber o motivo pelo qual o Rodrigo Maia está saindo, estou aberto a diálogo, qual o motivo? Eu não dei motivo para ele sair", afirmou Bolsonaro, que está em Santiago, no Chile.

Questionado sobre como tentaria convencê-lo a voltar, o presidente comparou a relação com o líder da Câmara a um namoro.

"Só conversando. Você nunca teve uma namorada? E quando ela quis ir embora o que você fez para ela voltar, não conversou? Estou à disposição para conversar com o Rodrigo Maia, sem problema nenhum".

O deputado do DEM tem se queixado de estar sendo atacado nas redes sociais por apoiadores do presidente e do ministro da Justiça, Sergio Moro, que o chamam de representante da velha política.

Maia fez chegar a Bolsonaro que poderia deixar a articulação da reforma, medida crucial para o governo, por se sentir abandonado.

Ele trocou mensagens na quinta-feira (21), com o ministro da Economia, Paulo Guedes, reclamando de publicações feitas por outro filho do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) nas redes sociais.

Na visão de Maia, ele está apanhando sozinho por defender a reforma enquanto o governo não para de atacar a "velha política".

Leia mais: Nunca vou deixar de defender a reforma, diz Maia sobre Previdência

Irritou o Congresso o fato de Bolsonaro ter feito nas últimas semanas declarações em tom crítico à política e que está sofrendo "pressão" por ceder à prática de troca de cargos por apoio político.

De acordo com interlocutores de Maia, ele afirmou a Guedes que a partir de agora fará a "nova política". E que ela se resume a não fazer nada e esperar por aplausos das redes sociais.

Questionado pela colunista da Folha Mônica Bergamo, Maia negou que tivesse feito afirmações no tom relatado.

Mas disse que, sim, a responsabilidade de buscar votos para a aprovação da reforma é de Bolsonaro. "O papel de articulação do executivo com o parlamento nunca foi e nunca será do presidente da Câmara", afirma.

"Eu continuo ajudando. Sei que a reforma da Previdência é fundamental e não abro mão dela", diz. "E concordo com o presidente [Bolsonaro]: é preciso construir uma maioria de uma nova forma. Essa responsabilidade é dele", segue.

"Quando ele [Bolsonaro] tiver a maioria e achar que é a hora de votar a reforma, ele me avisa e eu pauto para votação. E digo com quantos votos posso colaborar", diz Maia.

Para apaziguar os ânimos, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e a líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), saíram em defesa do deputado em suas redes sociais, no início da tarde desta sexta-feira (22).

"Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, é fundamental na articulação para aprovar a Nova Previdência e projetos de combate ao crime. Assim como nós, está engajado em fazer o Brasil dar certo!", escreveu o senador.

Defensoria pede suspensão de liminar de desocupação de 70 famílias



 A Defensoria Pública do Estado da Paraíba (DPE-PB) requereu ao Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) a suspensão e reconsideração da decisão liminar que determinou a desocupação de mais de 70 famílias, aproximadamente 2 mil pessoas, do assentamento Ribeira, em Muçumagro, zona Sul da Capital.

A medida, proferida pelo juízo da 4ª Vara Regional de Mangabeira, determina a retirada compulsória dessas famílias no prazo de até 72 horas, que começou a contar desde a última quinta-feira (21).

A decisão determina, inclusive, o uso da força policial, se necessário, para efetivar a medida judicial. De acordo com a defensora pública Raíssa Palitot, além da questão social, o processo possui nulidades.

“A decisão liminar foi concedida sem sequer tentar negociação por parte dos envolvidos. Trata-se, em verdade, de um processo complexo, por isso demanda produção de provas. Ainda é necessária a intervenção do município de João Pessoa para assegurar e garantir, além dos direitos sociais a essas famílias, uma eventual desocupação pacífica com a realocação dessas famílias. A complexidade do caso está evidenciada, inclusive, no fato de que cinco desembargadores já se arguiram suspeitos para julgar o caso”, ressaltou Raíssa.

Ainda de acordo com a defensora pública, as famílias foram informadas que a desocupação da área será realizada na madrugada deste sábado (23), provocando desespero nas pessoas que não têm para onde ir.

“A gente espera uma solução humanizada e pacífica para que essas famílias não sejam submetidas a uma retirada compulsória e violenta, já que há pessoas idosas, com deficiência, crianças e recém nascidos residindo na área”, disse.

Entenda

Em junho de 2018, cerca de 70 famílias sem moradia ocuparam o terreno denominado Ribeira, em Muçumagro, na Capital. O terreno que estava sem destinação sustentável, hoje é ocupado por casas construídas pelas famílias e plantações de hortaliças e frutas.

A ação de reintegração de posse começou a tramitar ainda em 2018, cerca de cinco dias após a ocupação do terreno cujo proprietário faleceu em 1962. A defensora pública Raíssa Palitot ressalta que no período de 1962 a 2011, ano de ajuizamento da ação de inventário, não foram pagos, sequer, os tributos relativos à propriedade.

MaisPB

Rachel Sheherazade pode trocar SBT por CNN; rescisão prevê multa milionária



Publicado por: Suedna Lima em 22/03/2019 às 07:59


Rachel Sheherazade está na mira da CNN Brasil e até já teria até conversas avançadas com a emissora, que deve entrar no ar em setembro deste ano. As informações são do Notícias da TV.

Leia Também: Raquel Sheherazade muda de posição: ‘Um dia já acreditei nas armas. Hoje, nos livros‘
Apesar disso, o grande impasse para a contratação da jornalista ser confirmada é a multa milionária da rescisão da jornalista com o SBT, com quem tem vínculo até 2020.

Ainda segundo o Notícias da TV, um dos executivos da CNN Brasil rasgou elogios à apresentadora do SBT. Ela, por sua vez, teria ficado empolgada com as condições de trabalho que estão lhe oferecendo.

Caso Rachel decida interromper o acordo que tem com a emissora, precisará pagar 21 meses de salário que receberia até o fim do contrato. Atualmente, ela recebe R$ 100 mil, com isso a multa seria de R$ 2,1 milhões.

Rachel Sheherazade foi procurada pelo Notícias da TV para comentar sobre a negociação com a CNN, porém ela não respondeu. Assim como o SBT, atual emissora onde a jornalista trabalha.

 

Fonte: Istoé

OPERAÇÃO XEQUE-MATE 3: como funcionava ‘esquema criminoso’ com coleta de lixo em Cabedelo que movimentou mais de R$ 78,6 milhões



A terceira fase da Operação Xeque-Mate, que prendeu o empresário Roberto Santiago, aponta duas empresas como integrantes de esquema de propina envolvendo o ex-prefeito de Cabedelo, Leto Viana, que está preso desde o início de abril de 2018. A empresa Light Engenharia, com sede em Campina Grande, foi alvo de busca e apreensão nesta sexta-feira, 22, os agentes pegaram documentos, objetos e mídias eletrônicas (pen drives, smartphones e/ou computadores).

Na investigação realizada pelo Ministério Público da Paraíba, através do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), a Light aparece como vencedora de licitação realizada pela Prefeitura de Cabedelo.

Importante destacar alguns pontos elencados na representação, que o Polêmica Paraíba teve acesso com exclusividade:

“Os procedimentos licitatórios e de dispensa de licitação que beneficiaram a empresa Light no município de Cabedelo/PB durante a gestão Leto Viana encontram-se invariavelmente eivados de gravíssimas irregularidades, conforme apontado esmiuçado em nota técnica da Controladoria-Geral da União .

Destaque-se que a LIGHT tem como sócios as pessoas de Maria Eliane de Araújo Medeiros e Severino Medeiros Ramos Filho, que são exatamente os mesmos sócios da empresa Resíduos Sólidos Serviços Ltda., representada por Maryland. Como se não bastasse, a empresa ECOSOLO tem como sócio a pessoa de Pedro Paulo Araújo Medeiros, filho do casal Maria Eliane e Severino .

Importante registrar que a RAIS da empresa RESÍDUOS SÓLIDOS (PAPA ENTULHO) registrou apenas dois empregados, desde sua abertura em 2002 até novembro de 2012. Ou seja, a partir de 09/11/2012 não há registro de quaisquer empregados na RAIS, além de a empresa ter o mesmo contador e estar registrada no mesmo endereço da Light Engenharia, gerando indícios de que seja empresa de ‘fachada’.

Leia Também: Começa contagem regressiva para eleição de prefeito em Cabedelo
A rigor, apenas na gestão Leto Viana (janeiro de 2014 a abril de 2018, com a eclosão da Operação Xeque-Mate), a Light Engenharia recebeu dos cofres de Cabedelo o impressionante montante de R$ 36.223.400,05, entre contratos para drenagem e pavimentação de ruas do município e serviços de limpeza pública e manejo de resíduos sólidos.

Somente para os contratos de serviços de limpeza urbana e manejo de resíduos, relativos à coleta, transporte e destinação final do lixo, inclusive lixo hospitalar, durante a gestão de Leto Viana, a Prefeitura de Cabedelo/PB destinou o impressionante montante de R$ 42.421.699,37”.

O documento que deu sustentação à decisão do juiz Henrique Jorge Jácome de Figueiredo, de Cabedelo, um homem é identificado como operador do esquema de corrupção:

“Em semelhante sentido, Kelnner Maux Dias, pessoa que figuraria, de acordo com as provas angariadas ao longo das investigações, como operacionalizador da propina decorrente do contrato de lixo de Cabedelo/PB com a empresa Light, associado ao prefeito afastado Leto Viana em atos de ocultação e dissimulação patrimonial, revela-se figura de proeminência na sustentação financeira da organização criminosa, sendo necessária, a bem da higidez da ordem econômica, a decretação de sua prisão preventiva”.

Vale salientar que Kelnner Maux Dias foi alvo de dois mandados de busca e apreensão cumpridos hoje pela Polícia Federal. Um dos mandados foi cumprido em sua residência, no bairro Manaíra, e outro em sua empresa, também citada na Operação Xeque-Mate, CopyLine, com sede no bairro Tambauzinho. Foram apreendidos documentos, objetos, veículos e mídias eletrônicas encontradas nos dois endereços.

A decisão que autorizou a Operação realizada hoje foi assinada nesta quinta-feira, dia 21 de março de 2019.

Polemicaparaiba.com.br

 

João Azevêdo reforça compromisso de normalizar em até 72h abastecimento d’água em Campina Grande




O governador João Azevêdo anunciou, nesta sexta-feira (22), durante entrevista coletiva à imprensa, em Campina Grande, o compromisso do Governo do Estado de normalizar o abastecimento d’água na Rainha da Borborema e região nas próximas 72 horas. Na ocasião, o chefe do Executivo estadual também destacou o esforço da gestão para recuperar, em sete dias, o sistema da Estação de Tratamento de Água (ETA) de Gravatá, que teve seu funcionamento suspenso por completo desde a noite da última sexta-feira (15), por causa de uma pane elétrica que avariou equipamentos, quadros de comando e todo o sistema elétrico do local.

A vice-governadora Lígia Feliciano; o senador Veneziano Vital do Rêgo; o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino; prefeito; vereadores e auxiliares da gestão acompanharam o governador na coletiva de imprensa realizada na Gerência Regional da Borborema.

Na oportunidade, João Azevêdo explicou as primeiras medidas adotadas pelo Governo desde que tomou conhecimento do problema. “Identificamos uma subestação de porte parecido em Pernambuco e conseguimos, junto ao governador Paulo Câmara, dois transformadores, a estação elevatória e todos os equipamentos que pudessem ser deslocados para Campina Grande. Essa foi a primeira grande decisão que possibilitou que em sete dias nós reconstruíssemos uma subestação do tamanho de Gravatá. É importante destacar o enorme esforço da Cagepa, considerando que para adquirir novos transformadores e instalar uma nova subestação, a fábrica dá um prazo de 70 dias para entregar os equipamentos e seria impossível esperar esse tempo para fazer a recuperação do sistema”, esclareceu.

O governador também informou que, a partir das 17 horas desta sexta-feira, o sistema começará a ser energizado e, em aproximadamente 20 horas, o bombeamento de toda a rede de Campina Grande passará a operar. “Esse é um esforço muito grande, mais de 50 pessoas estão trabalhando incansavelmente desde que o fato foi detectado. Isso demonstra uma responsabilidade da Cagepa, do Corpo de Bombeiros, que trouxe todos os equipamentos e carros-pipa para garantir o atendimento de hospitais; além da determinação para contratação de carros-pipa para a distribuição de água”, ressaltou.

Investigação – Durante a coletiva, o governador João Azevêdo anunciou a contratação de uma consultoria externa para auxiliar os trabalhos da Cagepa, das Polícias Civil e Militar na elaboração de um relatório para investigar as motivações do acidente que destruiu quatro transformadores e quadros de comando da Estação de Gravatá. “Instauramos um processo de investigação para identificar o que realmente aconteceu na subestação. Esse é um caso único no Brasil; em nenhum local uma subestação como aquela, com a proteção que tem, registrou um acidente como esse. Nos cabe apurar, com muita responsabilidade, o que realmente aconteceu lá”, acrescentou.

Carros-pipa- Na última quarta-feira (20), o governador João Azevêdo autorizou a contratação de mais 50 carros-pipa para atender o município de Campina Grande até que o sistema de abastecimento de água consiga operar normalmente.

O desabastecimento em Campina Grande, Lagoa Seca, Alagoa Nova, Matinhas, São Sebastião de Lagoa de Roça, Pocinhos, Barra de Santana, Caturité e Queimadas teria sido causado por um curto-circuito que impediu por completo o funcionamento Estação de Tratamento de Gravatá, provocando um prejuízo inicial de R$ 4 milhões.

 

Foto Chico Franca

 

 

Sidebar Menu