Câmeras registraram organizadora de eventos esvaziando escritório dias antes de sumir; assista

 Vídeos registrados por uma câmera de segurança e divulgados nesta terça-feira (12) mostram uma equipe da Waltisa Eventos retirando móveis e outros materiais do escritório da empresa, localizado na Av. Monsenhor Walfredo Leal, 205, no Centro de João Pessoa.

Delegada revela não ter motivos para prender organizadora de evento, mas recomenda: ‘suspendam pagamentos’
Formandos acusam empresa de eventos de calote de mais de R$ 1 milhão; donos desapareceram
Nas imagens, gravadas no último sábado (09), é possível ver uma caminhonete de frete entrando e saindo carregada do local várias vezes. Além disso, alguns outros carros são usados para a retirada. A dona da empresa aparece nas filmagens várias vezes.

Formandos de três faculdades da capital acionaram a Polícia Civil contra a empresa que estava organizando a festa de formatura das turmas. Segundo eles e o Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia de Defraudações e Falsificações, a dona da empresa sumiu com mais de R$ 1 milhão dos alunos.

a delegada Vanderleia Gadi, responsável por investigar o caso de Waltisa Eventos, afirmou que ainda não há fundamentos para realizar a prisão da proprietária da empresa, tendo em vista que nenhum dos alunos teve prejuízo real.

“Só poderemos confirmar o dano depois do evento da próxima segunda-feira, quando deverá ser realizado um evento. Caso isso não aconteça, o prejuízo será consumado, sendo considerado um golpe e assim ela começará a ser procurada como suspeita de estelionato”, explicou.

Em contato com o portal Paraiba.com.br, Gadi contou que as autoridades policiais realizaram diversas diligências aos endereços profissionais e pessoais de Waltisa para que ela pudesse esclarecer o caso, mas a empresária não foi encontrada.

“Apesar de não ter nada comprovado, a atitude dela é suspeita, pois ela deletou suas contas nas redes sociais, não atende ao telefone, a empresa hoje estava fechada e com as fechaduras trocadas. Provavelmente, ela realmente vai deixar esses clientes no prejuízo”, contou.


SUPER SALÁRIOS: Mais um membro do Clã Cunha Lima ganha remuneração prodigiosa em setores públicos

Conforme noticiado pelo Polêmica Paraíba, o Clã Cunha Lima não tem problemas para conseguir empregos com altas remunerações.

A irmã de Cássio Cunha Lima, Glauce Rodrigues Cunha Lima, consta como funcionária do Tribunal de Justiça da Paraíba. Com um salário de R$12,300, a assessora de gabinete trabalha diretamente com o desembargador Joás de Brito.

As informações constam no Sagres e ela foi nomeada desde 2007. A atitude do desembargador foi o interpretada por alguns como uma retribuição à nomeação feita pelo governador. Cunha Lima escolheu Joás de Brito Filho em lista tríplice de representantes da advocacia, pelo Quinto Constitucional, completada com os nomes de Caius Marcellus e Odon Bezerra

Fonte: Polêmica Paraíba

Créditos: Polêmica Paraíba


João Azevêdo rebate críticas de ‘herança ruim’ de RC a sucessor: “Discurso longe da realidade”

 
Socialista disse não enxergar motivos para tais conclusões e garantiu que a atuação do governo tem sido de responsabilidade

Por: Blog do Gordinho
O secretário de Recursos Hídricos do Estado, João Azevêdo (PSB), rebateu críticas de opositores de que o sucessor do governador Ricardo Coutinho (PSB) deve enfrentar dificuldades na gestão. O socialista disse não enxergar motivos para tais conclusões e garantiu que a atuação do governo tem sido de responsabilidade com os compromissos assumidos.

“Esse é um discurso que está muito longe da realidade. Não tem passivo. Esse governo pagou R$ 600 milhões de precatórios. Os números estão aí para comprovar”, disse o secretário referindo-se aos investimentos na Saúde, Educação e Segurança Pública.

João ressaltou que até o final de março estará se desincompatibilizando do governo, provavelmente no último dia, e ficará à disposição do partido para a disputa em 2018. Em relação a decisão de Ricardo Coutinho (PSB) de permanecer ou não no cargo, ele ponderou. “Ter ou não o governador no palanque fazendo parte da chapa é uma decisão que cabe exclusivamente a ele, em função da análise que fará”.

Ele ainda enalteceu índices de aprovação. “O nosso projeto está com 75% a 80% de aprovação do Estado. Esse é o contraponto a esta fala”. Criticando especificamente a Prefeitura de João Pessoa, o socialista falou que há pouca obras significativas e muito atraso. “Temos uma passagem molhada na Beira-Rio que faz seis anos e não se consegue terminar”, alfinetou.

Azevêdo ainda falou sobre os recursos direcionados à Capital pelo Governo do Estado, bem como, ao município de Campina Grande. “Se João Pessoa e Campina não tivessem recebidos os investimentos em mobilidade urbana, estaria o caos pior no trânsito. Isso precisa ser dito e vai ser dito”, exemplificou.

Sobre a situação do PMDB no apoio ao grupo, Azevêdo disse respeitar a “autonomia como qualquer outro partido para decidir seus próprios caminhos”. “Existe respeito para com o que o senador José Maranhão fez pela Paraíba. Existe reconhecimento. Agora as coisas precisam ser colocadas no tempos devidos para dar a César o que é de César”.


Empresário do grupo Ferreira Costa nega apresentação de novo projeto como informado pela Prefeitura de JP


Guilherme Ferreira Costa confirmou presença em reunião com Ricardo, e revelou que empresa ainda tem interesse na Paraíba

Por: Blog do Gordinho
A Prefeitura de João Pessoa (PMJP), através da Secretaria de Planejamento (Seplan), emitiu na manhã desta terça-feira (12), uma nota sobre o embargo do projeto de construção de uma unidade do Grupo Ferreira Costa no município. As informações fornecidas pela PMJP e as do CEO do grupo Ferreira Costa, Guilherme Ferreira Costa, apresentam divergências.

De acordo com a nota da PMJP, recentemente, a empresa protocolou um novo projeto, supostamente de acordo com a legislação vigente, que agora passa por análise técnica desta secretaria; o Planejamento da Prefeitura já apresentou à empresa a relação de incorreções para nova adequação do projeto.

O empresário do grupo Ferreira Costa quando questionado sobre a apresentação de um novo projeto, não confirmou esta informação e tratou sobre os motivos do embargo realizado pela PMJP. “O embargo da prefeitura foi que nós não tínhamos licença para fazer o serviço de terraplenagem, e nós tínhamos essa licença. Foi um mal entendido do fiscal, não entendo. Mas todas as licenças necessárias naquele momento estavam devidamente autorizadas e adequadas. Não sei exatamente o que aconteceu”, afirmou Guilherme Ferreira Costa ao Blog do Gordinho.

A terraplenagem, motivo do embargo segundo Guilherme, foi liberada por secretarias da prefeitura da Capital, de acordo com a nota do órgão municipal. “As secretarias de Planejamento e do Meio Ambiente já concederam as licenças prévias necessárias para manejo da vegetação, terraplenagem e construção do muro em torno do terreno onde será erguida a loja do grupo”, diz trecho da nota.

Sobre os pontos defendidos pela prefeitura em nota, o empresário preferiu não comentar por desconhecer o conteúdo presente nas informações divulgadas pela PMJP. “Não tomamos conhecimento dessa nota. Não sei o que tem na nota, e prefiro não se posicionar sobre isso”, declarou Guilherme.

Encontro com governador e interesse na Paraíba

Guilherme Ferreira Costa confirmou que recebeu convite do governador Ricardo Coutinho (PSB) para discutir a situação. O empresário vai comparecer a reunião, que acontece no Palácio da Redenção, na manhã da próxima quinta-feira (14).

“A única coisa que nós temos de concreto com relação a isso, é que o governador solicitou nossa presença no gabinete dele, na quinta-feira, e nós vamos conversar com ele. Não temos nenhum parecer, nem nada. A prefeitura tem seu modo legal, entendemos que estávamos devidamente autorizados, mas o entendimento da prefeitura foi diferente. Respeitamos as decisões legais. Vamos conversar e avaliar”, declarou Guilherme.

O empresário ainda revelou que o grupo Ferreira Costa continua com interesse em se estabelecer na Paraíba, e tem expectativa que a situação possa ser revertida para a empresa iniciar os empreendimentos na cidade e gerar cerca de 500 empregos. “O estado da Paraíba, a cidade de João Pessoa, nos interessa por todas as pesquisas que fizemos, pesquisas de mercado, tanto que fizemos investimentos e compramos a área. Evidentemente temos bastante interesse na cidade de João Pessoa. Houve esse contratempo, mas vamos aguardar a conversa com o governador, se é possível reverter essa situação”, afirmou Guilherme Ferreira Costa.


MEMÓRIA PESSOENSE: o restaurador de santos - Sérgio Botêlho


Há, entre as imagens que guardo da infância, uma, em especial, que é a de um cidadão que, ali, na rua Treze de Maio, em frente à antiga Escola de Acordeon Mário Mascarenhas (já, objeto dessas minhas memórias), vivia de restaurar santos, em geral, feitos de gesso.


A casa dele – que, muito provavelmente, se chamava Antônio, dando um desconto às deficiências da memória - era feita ainda de barro rebocado e caiado, o que deixava as paredes cheias de volumes e ondulações.
Naquele pedaço, havia a dele, e, vizinhas, outras duas, do mesmo jeito. Hoje, os terrenos dessas antigas casas fazem parte do espaço maior onde está construída a agencia Cabo Branco, da Caixa Econômica, esquina da Treze de Maio com a Miguel Couto.


Era uma casa de porta e janela, na verdade, um janelão, por onde ele recebia as encomendas para restauração e entregava as que já estivessem prontas. Por esse janelão, dava para ver dezenas de santos empilhados em prateleiras, prontos ou ainda a serem consertados.
Mesmo naquela época, em que os santos de madeira já pontificavam, resultado do árduo trabalho de dedicados artesãos, e, ainda, aqui e acolá, era possível encontrar santos de porcelana, e, até, de metal (geralmente, chumbo), os santos de gesso foram muito populares.

É preciso registrar, ainda, os santos feitos com pedra sabão, não apenas os imortalizados pela obra de Aleijadinho, mas, também, pequenos santos para oratórios ou residências, mesmo. Santos de pedra sabão, no Nordeste, no entanto, eram bem mais raros.

Contudo, por serem mais baratos e de mais fácil execução, os santos de gesso eram bem mais populares. Eram feitos, normalmente, em formas, daí serem menos artesanais e mais fáceis de construir. Depois, vinha um trabalho mais cuidadoso, que era a pintura.


Tinham, evidentemente, um grande problema: quebravam facilmente. Qualquer queda era o suficiente para decepar a cabeça do santo, uma mão, um detalhe qualquer. E, então, o caminho era o ateliê de seu Antônio (queira Deus que o nome dele fosse esse, mesmo).

Se o trabalho de construir o santo ou santa era mais fácil, o trabalho de restaurar era bem mais complicado, envolvendo uma habilidade artesanal capaz de dar, à obra, as mesmas formas de antes.

Outro trabalho extremamente cuidadoso era a restauração da pintura, com uma mistura perfeita de tintas para que não restassem diferenças a formar manchas a deixarem a pequena escultura de gesso que nem uma obra psicodélica.


Curioso, costumava ficar horas a fio observando o meticuloso trabalho daquele artesão da Treze de Maio, o que mais normalmente acontecia quando levava algum santo acidentado, lá em casa, para o devido “conserto”.


Posso ser conduzido a alguma imprecisão sobre as artes dos santos, em geral, nessa memória pessoense, de hoje. Mas, a existência daquele artesão da Treze de Maio - afora o nome, exatamente -, não me esqueço


Por isso é que a lembrança, pela importância que teve aos olhos e à mente daquele menino curioso, que sou eu, me faz transforma-la em mais um registro dentro dessa série que venho postando no Facebook.


Bolsonaro oTrump tupiniquim - Francis Lopes de Mendonça

 Amigos ditos esclarecidos permanecem gritando que a solução para esse descalabro de proporções calamitosas que desabou sobre o país só pode vir de Bolsonaro.

Pelo que sei, a única obsessão do nosso Trump tupiniquim é aumentar a violência na repressão ao crime. Fora disso, o cara é duma pobreza sem fim de ideias. Aliás, ele tem sim outra relevante contribuição a dar num aspecto da sociedade brasileira e da administração pública: ser fiador de uma oligarquia familiar. Tanto que o partido para abrigar esse clã deveria ser fundado com o nome de Partido da Oligarquia Bolsonarista, pois junto com ele estão no POB todos os quatro filhos, um irmão que era ou é funcionário fantasma e mais não sei quantos parentes.

Até agora esses amigos por quem nutro respeito não souberam explicar que autoridade moral o povo brasileiro deve reconhecer numa pessoa que deseja “moralizar” o Brasil tendo uma oligarquia inteira com a cara enterrada nas vastas tetas do setor do emprego público.

Não estou dizendo aqui que o cara seja um idiota, pelo contrário. Além de suas velhas práticas fisiologistas, ele fala o que fala porque sabe que muitos irão ficar impressionados com o seu discurso embrulhado num falso frescor de novidade enfeitiçante. Não é à toa que Bolsonaro tornou-se porta-voz de uma crescente quantidade de pessoas insatisfeitas com o status quo reinante e que se veem acuadas diante da retórica de que muito do que lhes foi passado, no que diz respeito aos seus direitos, deveres e limites, agora precisa ser revisto para incorporar novos conceitualismos.

Pessoas assim veem suas certezas ditas absolutas serem atacadas, chamadas de coisas bolorentas e retrógradas. Imagine uma pessoa, que sente que seu mundo está mudando mais rápido do que pode compreender, quando aparece alguém despontando no horizonte, o seu ouvido ouve que não precisa se sentir dessa forma, nem se adaptar, apenas lutar para manter tudo como está para ver como é que fica.

Não admira, portanto, que Bolsonaro esteja bem colocado nas pesquisas de opinião e na cotação à presidência do Brasil, graças também a certas circunstâncias pelas quais não tem nenhum mérito, a exemplo do vandalismo com o patrimônio nacional promovido pela aberração política que se chama “lulopetismo”, que rendeu a essa cria de um quartel de milicos o destaque imerecido de antiesquerdista.


Servidores intensificam protestos contra reforma da Previdência


Com a expectativa de votação da reforma da Previdência no plenário da Câmara na próxima semana, sindicatos ligados aos servidores públicos intensificaram protestos em todo o País para pressionar deputados e senadores a votarem contra a proposta.

As manifestações são planejadas nos principais aeroportos do País e até mesmo nos apartamentos funcionais em que os parlamentares moram em Brasília.

Na manhã desta segunda-feira, 11, por exemplo, integrantes do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário e do MPU (Sindijus) e do Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil (SindiReceita) recepcionaram parlamentares que desembarcavam no Aeroporto de Brasília.

Eles eram abordados por servidores, que erguiam faixas e usavam apitos para chamar atenção ao protesto.

Coordenador-geral do Sindijus no Distrito Federal, José Rodrigues Costa Neto explica que as manifestações se intensificaram há duas semanas, após a retomada das negociações para votar a reforma.

As ações acontecem em vários aeroportos, entre eles, o de Fortaleza, Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba, e se concentram nos dias em que parlamentares costumam viajar para Brasília, entre segundas e terças-feiras, e quando retornam aos Estados, geralmente às quintas-feiras.

“Os sindicatos nos Estados recepcionam os deputados e senadores no embarque e nós, na chegada e saída deles aqui em Brasília”, explicou Costa Neto ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado. Segundo o dirigente, os servidores também programaram protestos nesta semana nas quadras em que há muitos apartamentos funcionais em Brasília.

“Nosso objetivo é constranger deputados e senadores para barrar a reforma e mostrar também que, se eles votarem, não voltam para o Parlamento”, disse.

Governistas trabalham para começar a discussão da reforma da Previdência no plenário da Casa na próxima quinta-feira (14).

O objetivo é encerrar essa fase o mais rápido possível para tentar votar a proposta na próxima semana, antes do início do recesso parlamentar, previsto para 22 de dezembro. Para aprovar a matéria, o governo precisa de pelo menos 308 votos nas duas votações no plenário.

Fonte: Exame,


Marun quer a PF investigando suposta atuação da JBS em nomeações ao STF

Luis Macedo
Luis Macedo


A PETIÇÃO É PARA QUE A PF INVESTIGUE VISITAS DE RICARDO SAUD A SENADORES

A SOLICITAÇÃO TEM RELAÇÃO COM BOATOS QUE OS IRMÃOS BATISTA AJUDARAM NA INDICAÇÃO DO MINISTRO EDSON FACHIN AO STF FOTO: LUIS MACEDO/CÂMARA DOS DEPUTADOS
O relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da JBS, deputado Carlos Marun (PMDB-MS), pediu em seu parecer final que a Polícia Federal investigue visitas do executivo Ricardo Saud, da J&F, a senadores, entre 2014 e 2016, para pedir apoio destes a pretendentes a ocupar vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal.
A solicitação tem relação com boatos de que o ministro Luiz Edson Fachin teria tido ajuda dos irmãos Batista para viabilizar sua indicação à Suprema Corte. O pedido do peemedebista não faz menção nominal a Fachin, mas o magistrado é o relator da Lava Jato no STF. Ele foi o responsável por homologar o acordo do executivos da JBS.

“[Encaminho] à Polícia Federal para que investigue eventuais visitas de Ricardo Saud a senadores pleiteando apoio destes a pretendentes a ocupar a vaga de Ministro do Supremo Tribunal Federal durante período de 2014 a 2016”, diz o texto final do relatório. Autor do pedido de investigação, o deputado Carlos Maun tomará posse como ministro da Secretaria de Governo do governo Michel Temer.

No relatório final, Marun direciona os pedidos de indiciamento justamente contra os membros da Procuradoria-Geral da República que foram responsáveis pela delação premiada da JBS.
Foram alvo de pedido de indiciamento, entre outros, o ex-procurador-geral Rodrigo Janot e seu ex-chefe de gabinete, o procurador Eduardo Pelella. Na visão do relator, os dois cometeram os crimes de abuso de autoridade, prevaricação e incitação à “à subversão da ordem política ou social”, previsto na Lei de Segurança Nacional.

 

Diariodopoder.com.br

 

 


Tribunal marca julgamento de Lula no caso Tríplex para 24 de janeiro


TRF4 JULGARÁ RECURSO À CONDENAÇÃO DE LULA NO 24º DIA DO ANO

LULA PODERÁ IR PRESO CASO SEJA CONFIRMADA SUA CONDENAÇÃO EM 2ª INSTÂNCIA (FOTO: MARCELO CAMARGO/ABR)
PUBLICIDADE

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) marcou para o dia 24 de janeiro o julgamento do ex-presidente Lula no caso do tríplex do Guarujá, investigado na Operação Lava Jato. Se a condenação de Lula for confirmada pelo colegiado, ele poderá se tornar inelegível pelos critérios da Lei da Ficha Limpa.
O petista foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses por corrupção e lavagem de dinheiro em 1.ª instância, em 12 de julho, no caso triplex. A condenação seria maior, mas foi atenuada em um ano (seis meses em cada crime) porque Lula tem mais de 70 anos, conforme previsto pelo Código Penal.

Na sentença, o juiz entendeu que o ex-presidente era o real proprietário de um tríplex no Edifício Solaris, no valor de aproximadamente R$ 2,4 milhões. A Justiça entendeu que Lula ganhou o imóvel da construtora OAS em troca de vantagens para a empreiteira.

Lula é o primeiro ex-presidente da República a ser condenado por corrupção no Brasil.

Ele também poderá ser preso caso seja condenado. Com base em jurisprudência firmada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), condenados em 2ª instância podem ter sua pena executada.

O ex-presidente será julgado na 8.ª Turma da Corta, composta por três desembargadores. O magistrado João Pedro Gebran Neto, relator da ação penal, já concluiu seu voto, mas ainda não o tornou público.

Nesta terça-feira, 12, o desembargador revisor Leandro Paulsen pediu que fosse marcada a data do julgamento. No dia 24 de janeiro, Paulsen deverá, então, entregar seu voto.

No mérito, a defesa nega veementemente envolvimento de Lula em irregularidades. O ex-presidente é alvo de outros dois processos criminais na Lava Jato no Paraná, sob condução do juiz Moro – caso do sítio de Atibaia e outra ação sobre supostas propinas da Odebrecht na compra de apartamento em São Bernardo do Campo e de um terreno que abrigaria a futura sede do Instituto Lula.

 

Diariodopoder.com.br

 

 


Senado aprova Fundo nacional de desenvolvimento da segurança pública

Marcelo Camargo
Marcelo Camargo


RECURSOS TERÃO COMO ORIGEM IMPOSTOS COBRADOS DA INDÚSTRIA DE ARMAS

FUNDO TERÁ UM CONSELHO CONSULTIVO E DE ACOMPANHAMENTO, DO QUAL PARTICIPARÃO REPRESENTANTES DA SOCIEDADE CIVIL (FOTO: ABR)
PUBLICIDADE

Senado aprovou nesta terça-feira, 12, Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que institui o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Segurança Pública, que deverá ser destinado a Estados para que invistam na remuneração e no aparelhamento das polícias. O texto ainda deve ser aprovado pela Câmara.
Pela proposta, os recursos para o fundo terão como origem impostos cobrados sobre indústrias de armas e empresas de segurança privada, além de outras dotações orçamentárias. O projeto não traz uma estimativa de qual seria o tamanho orçamentário do fundo.

Ainda segunda a proposta, a divisão do fundo entre os Estados será definida por lei complementar, levando em consideração critérios como indicadores de violência, porcentual dos alunos matriculados na educação básica em relação à população e o nível de aparelhamento e o quantitativo das forças de segurança pública de cada Estado.

Pela proposta, o fundo terá um Conselho Consultivo e de Acompanhamento, do qual participarão representantes da sociedade civil, nos termos da lei. A fiscalização da aplicação dos recursos será feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e por órgãos de controle do governo federal. (AE)

 

Diariodopoder.com.br

 

 


PSB está entre trair Alckmin para presidente ou indicar o seu vice

SE ALDO REBELO NÃO FOR VICE DE ALCKMIN, PSB PODE PARTIR PARA OUTRA
PUBLICIDADE

O Partido Socialista Brasileiro (PSB), que já foi de Eduardo Campos e de Marina Silva, prepara uma das mais ruidosas traições da política nacional: deixar pendurado na brocha o governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB), que fez de Márcio França (PSB) seu vice esperando ser retribuído com o apoio do partido à sua campanha presidencial. O PSB procura outro candidato para enfrentar Alckmin. A menos que este escolha Aldo Rebelo, novo filiado do PSB, como seu vice em 2018. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
O PSB conversa com o senador Álvaro Dias, do Podemos, e também com Joaquim Barbosa, ministro aposentado precocemente do STF.

O vice Márcio França (PSB) assumirá o governo de São Paulo em abril quando Alckmin renunciar para fazer sua campanha presidencial.

O temor dos tucanos é que, candidato a governador, Márcio França coloque o poder do governo paulista a serviço de um rival de Alckmin.

Há briga no PSB, entre a “esquerda” sem-votos liderada por Roberto Amaral contra a facção pragmática que foi ligada a Eduardo Campos.

 

Diariodopoder.com.br

 

 


Após escorpiões, ratos invadem a Câmara

 

APÓS INFESTAÇÃO DE ESCORPIÕES, RATOS INVADEM CÂMARA DOS DEPUTADOS
Funcionários da Câmara dos Deputados flagraram esta semana, inclusive em vídeo, ratos passeando pelo jardim de inverno próximo ao túnel que leva ao Salão Verde, onde deputados, servidores e jornalistas se reúnem na saída do plenário. Não é surpresa. Nas últimas semanas a Câmara foi dedetizada após infestação de mais de uma centena de escorpiões que apareceram dentro e fora do prédio principal e anexos. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
Além do risco de transmissão de doenças, os servidores temem a proliferação dos ratos, que se reproduzem rapidamente.

Após a reclamação dos servidores, a Câmara informou haver colocado “iscas com veneno”, e diz aguardar para “vermos se morrem”.

À coluna, a Câmara disse realizar desratização a cada quatro meses. "A próxima será em janeiro", disse.

Diariodopoder.com.br

 


Sidebar Menu