Agora é sério - Ninguém brinca com 7 milhões - Severino Oliveira

 

Neste domingo as organizações Globo apontam que o COAF sabe muito mais sobre as movimentações suspeitas da família Bolsonaro. O valor já chega a sete milhões de reais.

É muito preocupante. Vamos deixar as chacotas de lado e vamos ver as consequências danosas para o país. Surgirão debates esquentados, gritos de EU AVISEI, manobras jurídicas infindáveis, indignações e farto material especulativo na imprensa.
Mas o que não podemos esquecer é que tal anomalia vem agravar mais a nossa combalida economia e a nossa credibilidade. Vamos deixar de lado assuntos como o brutal desemprego, a desindustrialização brasileira, a desigualdade abissal entre Sul e Norte, a criminalidade, a falência da saúde pública e a desvalorização da educação. Lá fora seremos ridicularizados, desacreditados e retirados da lista de novos investimentos.

E tudo isso por que? Porque um ex-capitão numa entrevista franca e contundente exortava a sonegação. Um político que durante vinte e oito anos só lutou pelo seu bolso e viu na política o caminho fácil para o enriquecimento. Seja empregando parentes, elegendo filhos ou desviando verbas de gabinete.


HAJA FOME: Lanchinhos para o gabinete de Romero Rodrigues custaram mais de R$ 10 mil aos cofres da Prefeitura de Campina Grande

 
Somente em um empenho, Romero autoriza o pagamento de R$ 7.900 para o pagamento de lanches para o seu gabinete.

Confira a seguir, as despesas feitas pelo gabinete dele com lanches ao longo de 2017 e 2018. (Foto: Reprodução)
O gabinete do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), gastou mais de R$ 10 mil com lanchinhos. Os dados estão disponibilizados no Sistema de Acompanhamento Online do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), por meio da plataforma Sagres.

Segundo o levantamento feito na plataforma, o gestor autorizou ao todo gastos na ordem de R$ 10.445 somente com lanches. Somente em um empenho, Romero autoriza o pagamento de R$ 7.900 para o pagamento de refeições para o seu gabinete.

Coffee Break
No ano passado, segundo o Sagres, o prefeito tucano também autorizou gastos no valor de R$ 71.800 para a realização de apenas um coffee break para o gabinete do prefeito. O lanchinho que foi registrado em agosto, fazia referência ao São João de 2017.

Alerta do TCE-PB
Não é só na área de lanches que o gestor passa dos limites. Ele já foi alertado sobre gastos com pessoal pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraíba em 2018 por extrapolar o limite de despesas com contratações.

Na matéria exclusiva, feita ao Portal ClickPB por Clilson Junior, intitulada ‘Um verdadeiro enxame de gente ♫ ♪ : Prefeitura de Campina Grande incha a folha e já conta com 8.105 "apadrinhados" de Romero Rodrigues‘você confere mais detalhes sobre os gastos do gestor com a contratação de pessoal.

Confira a seguir, as despesas feitas pelo gabinete dele com lanches ao longo de 2017 e 2018.


Preço do litro da gasolina cai R$ 0,44 em menos de um mês, na Capital


Menor preço da gasolina continua em queda em JP e registra redução de 12 centavos em uma semana.

elecimentos em atividade na Capital, 80 reduziram os preços, 22 mantiveram e nenhum aumentou o preço do produto.​ (Foto: Walla Santos)

O menor preço do litro da gasolina apresentou queda consecutiva em João Pessoa e registrou o valor de R$ 3,869 no posto BSB - Mangabeira. Desde o dia 18 de novembro passado, a gasolina registrou redução de 44 centavos nos postos da Capital. A pesquisa foi divulgada pelo Procon-JP nesta terça-feira (22). Ao todo dos 104 estabelecimentos em atividade na Capital, 80 reduziram os preços, 22 mantiveram e nenhum aumentou o preço do produto.

No último dia 15 o menor valor do produto estava em R$ 3,980, o que representa uma redução de 12 centavos, em menos de uma semana.

O maior preço mostra redução de nove centavos, saindo de R$ 4,489 na semana passada para R$ 4,399.

Álcool - O levantamento do menor preço deste dia 22 para o etanol registrou praticamente o mesmo valor, passando de R$ 2.777 para R$ 2,776 (Extra Petróleo - Mangabeira). O maior preço se manteve em R$ 3,299 (Autopel - Tambauzinho) registrado na pesquisa anterior, com 31 estabelecimentos baixando o valor do produto, 63 mantendo e um aumentando.

Diesel S10 - O menor preço do óleo diesel S10 se mantém em R$ 3,299 (Posto Expressão - Torre) na comparação com a pesquisa do último dia 15, o mesmo ocorrendo com o maior preço, R$ 3,991 (De Ville - Água Fria), com 19 postos baixando, um aumentando e 69 mantendo o mesmo valor do levantamento anterior.

GNV - Quanto ao GNV, foi o único combustível que registrou alta significativa na pesquisa atual do Procon-JP, saindo de R$ 3,399 para R$ 3,690 (Metrópole - Torre). O maior valor se manteve, R$ 3,740 (Santa Júlia - Epitácio Pessoa). Dos 13 postos que comercializam o produto na Capital atualmente, 10 mantiveram o preço, dois reduziram e um aumentou.


Vereador vai acionar o MPPB para apurar ‘inchaço’ de prestadores de serviço na Prefeitura de Campina Grande


A coluna do Clilson Júnior mostrou que “hoje existem 8.105 ‘sem concursos’, na linguagem popular, ou seja, pessoas que não têm vínculo com nenhuma carreira do serviço municipal."

:
Por ClickPB
 

Vereador vai acionar o MPPB para apurar ‘inchaço’ de prestadores de serviço na prefeitura de Campina Grande (Foto: Reprodução/TV Paraíba)
O vereador Anderson Maia (PSB) disse que vai encaminhar uma denúncia formal ao Ministério Público da Paraíba (MPPB) para que seja apurado o ‘inchaço’ na folha de pessoal, principalmente com 8.105 prestadores de serviços, mais que os 7.121 concursados.

O parlamentar informou ao ClickPB que tem alertado na Câmara Municipal sobre a realização de apenas um concurso público na gestão do prefeito Romero Rodrigues (PSDB), enquanto que a gestão de Veneziano Vital do Rêgo (PSB) teria feito 10 concursos.

A coluna do Clilson Júnior mostrou, nessa segunda-feira (21), que “hoje existem 8.105 ‘sem concursos’, na linguagem popular, ou seja, pessoas que não têm vínculo com nenhuma carreira do serviço público municipal e são colocadas por indicação política do prefeito do PSDB.”

Saiba mais

♫ ♪ Um verdadeiro enxame de gente ♫ ♪ : Prefeitura de Campina Grande incha a folha e já conta com 8.105 "apadrinhados" de Romero Rodrigues

Anderson Maia explicou como o assunto será levado por ele ao MPPB. “A gente vai fazer um apanhado mais detalhado das informações, principalmente com relação à distribuição desse pessoal. A partir disso, vamos fazer o encaminhamento de uma denúncia formal ao Ministério Público para poder apurar e cobrar da prefeitura toda a providência.”

O vereador finalizou dizendo: “Da forma que está não pode ficar.”


Ex-padrasto de Rebeca vai a júri popular

A ação penal sobre o “Caso Rebeca” será levado a Júri Popular no dia 28 de fevereiro deste ano, no Auditório do 1º Tribunal do Júri da Comarca de João Pessoa, sob a presidência do juiz Marcos William de Oliveira.

Quem vai sentar do banco dos réus será Edvaldo Soares da Silva, o cabo Edvaldo, ex-padrasto da vítima. Ele foi denunciado e pronunciado por ter, com um indivíduo ainda não identificado, estuprado e matado sua ex-enteada, Rebeca Cristina Alves Simões.

O crime aconteceu no dia 11 de julho de 2011 e o corpo de Rebeca foi encontrado na Mata de Jacarapé, às 14h30. A adolescente Rebeca tinha apenas 15 anos, quando estuprada e assassinada no trajeto entre sua casa e o Colégio da Polícia Militar, em Mangabeira VIII, Zona Sul de João Pessoa.

Os motivos do crime, segundo a denúncia do Ministério Público, estariam consubstanciados pelo perfil psicológico do réu, voltado à prática de crimes sexuais e pelo fato de ter a vítima descoberto que o Cabo Edvaldo mantinha ligações homossexuais com um homem não identificado.

“A vítima foi assassinada sem nenhuma chance de defesa, em forma de execução sumária, com um tiro na região occipital, após sofrer estupro”, diz parte da denúncia do MP, recebida pelo juiz, que, na época, decretou a prisão preventiva do réu, em garantia da ordem pública e da segurança da instrução criminal.

Na decisão de pronúncia, o juiz Marcos William de Oliveira afirma que “os crimes de homicídio e estupro estão indiscutivelmente materializados, como apontam os laudos de Exame de Corpo de Delito, causa inafastável do evento morte da ofendida”.

Segundo este laudo pericial, a causa da morte foi traumatismo cranioencefálico, decorrente de ferimento penetrante causado por projétil de arma de fogo. Exames de dosagem alcoólica e toxicológica resultaram em negativo. A defesa do Cabo Ednaldo afirma que não existem provas que indiquem a coautoria e pediu a impronúncia do seu cliente.

MaisPB


Medida cria bônus salarial para servidor analisar benefícios previdenciários

 

 

A Medida Provisória (MP) 871/19, publicada na última sexta-feira (18), cria dois bônus salariais para servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) fazerem o pente-fino nos benefícios.

O primeiro trata da análise de benefícios com indícios de irregularidade (BMOB) e será de R$ 57,50 por processo analisado. O segundo é de R$ 61,72 e será devido a médicos por perícia relativa a revisão de benefícios por incapacidade (BPMBI).

O trabalho deve ser feito além da carga de atividade regular do servidor. Pela MP, benefícios mais antigos têm prioridade de análise. Os dois bônus não são incorporados à remuneração dos servidores e poderão ser reajustados a cada ano pelo valor da inflação (medido pelo IPCA).


Acesso a dados

A MP garante ao INSS acesso a dados da Receita Federal, do Sistema Único de Saúde (SUS), de documentos médicos e de movimentação de conta do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para analisar, conceder e revisar benefícios.

Pela MP, o INSS poderá suspender preventivamente benefícios pagos com suspeita de irregularidades (com provas pré-constituídas) até o beneficiário apresentar defesa. Antes, a suspensão só acontecia se o beneficiário não apresentasse defesa depois de ser notificado da possível irregularidade.

Os médicos peritos passam a ser vinculados à Secretaria de Previdência do Ministério da Economia e não mais ao INSS. A medida aumenta a relação de tarefas que os profissionais poderão realizar, como revisões de aposentadorias por invalidez de servidores públicos. Além disso, eles deverão fazer perícia médica para comprovar doenças graves que geram benefícios tributários, como cardiopatia grave e cegueira, que isentam o contribuinte do Imposto de Renda.


Comprovação de vida

A MP obriga os beneficiários a fazerem comprovação anual de vida, como identificação biométrica, nos bancos onde recebem o benefício. A prova de vida deve ser feita prioritariamente por quem recebe o benefício, mas poderá ser feita por representante legal ou procurador. Beneficiários acima dos 60 anos devem fazer agendamento prévio. Pessoas com dificuldade de locomoção ou acima de 80 anos serão identificados pelo INSS por outros meios.

O texto também muda a lei 8.009/90 para permitir a penhora de bens da família do beneficiário por benefício recebido indevidamente.
Fonte: Agência Câmara,


Governo gaúcho contesta no STF reajuste automático para promotores e juízes

 Reajuste de 16,38% vai custar R$95,1 milhões ao Estado, que está quebrado

O governador Eduardo Leite alega que o aumento precisava ser aprovado na Assembleia. (Foto: Vinicius Reis/Agência ALRS)


O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), questionou no STF (Supremo Tribunal Federal), nesta segunda-feira (21), o aumento salarial concedido em dezembro a membros do Poder Judiciário e do Ministério Público gaúchos com base no reajuste de 16,38% dado aos ministros da corte.
Para o governo do Estado, eventual reajuste para a magistratura local precisaria da aprovação de lei específica pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, o que não houve.

“Estima-se que a repercussão anual da aplicação do novo subsídio somente para a folha de pagamento do Poder Executivo Estadual será de aproximadamente R$ 95,1 milhões”, afirmou o governo ao Supremo.

Considerando os efeitos da elevação do teto do funcionalismo, o impacto calculado chega a R$ 150 milhões por ano, somando Assembleia, Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público e Tribunal de Justiça.

“O Estado do Rio Grande do Sul atravessa notória crise financeira e orçamentária, o que vem sendo objeto de constante preocupação do Poder Executivo e de amplo debate junto à Assembleia Legislativa”, argumentou o governo na ação.

Os reajustes automáticos nos estados eram um dos efeitos esperados por críticos do reajuste concedido a ministros do Supremo em novembro passado. O índice de 16,38% foi obtido após acordo entre o presidente do STF, ministro Dias Toffoli, e o ex-presidente Michel Temer (MDB), em troca da extinção do auxílio-moradia que era pago indiscriminadamente a juízes e membros do Ministério Público.

Ainda no final do ano, uma nova regulamentação para o auxílio-moradia foi aprovada pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça) e pelo CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), restringindo os beneficiários.

A ação ajuizada pelo governador gaúcho contesta a legalidade de atos do Tribunal de Justiça e do Ministério Público do Rio Grande do Sul, que em dezembro editaram normas administrativas autorizando os aumentos, além de atos do CNJ e do CNMP, de 2014 e 2015, que têm dado suporte aos reajustes automáticos nos estados.

“As decisões administrativas em questão desrespeitam de modo direto e imediato a competência da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul para editar lei que fixasse a remuneração dos membros do Poder Judiciário e do Ministério Público, provocando lesão de ordem orçamentária ao Ente Público Estadual”, diz a ação.
O governo pede uma liminar (decisão provisória) para suspender imediatamente o reajuste no Rio Grande do Sul. O relator da ação no STF será o ministro Ricardo Lewandowski. Como a corte está em recesso, o pedido foi remetido ao ministro Luiz Fux, vice-presidente do tribunal, que está de plantão. Ainda não há decisão.

 

Diariodopoder.com.br

 

 


Arábia Saudita suspende importação de carne de frango de 33 frigoríficos do Brasil

Descredenciamento seria retaliação ao governo Bolsonaro, em função da decisão de transferir a embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém

Segundo a ABPA, 25 fábricas seguem habilitadas para vender a carne para o país árabe. Foto: EBC


A Arábia Saudita, maior importadora de carne de frango brasileira, barrou a importação de mais 5 frigoríficos do Brasil que forneciam para o país. Dos 58 frigoríficos habilitados pelo Ministério da Agricultura para exportar para o país, restaram apenas 25 na lista dos árabes.

Em 33 deles, a Arábia Saudita exige alguns acertos para que voltem a exportar.

Entre as unidades descredenciadas pelos árabes estão frigoríficos da BRF e da JBS, empresas bastante atuantes no setor. ​

A Associação Brasileira da Indústria de Proteína (ABPA) não informou as possíveis perdas de volume exportado nessa restrição árabe, mas circularam dentro do Ministério da Agricultura avaliações de queda de até 30%.

A Arábia Saudita importou 486,4 mil toneladas de carne de frango do Brasil no ano passado, 12% do volume exportado pelo país. A China veio em segundo lugar, com a compra de 438 mil toneladas e participação de 11% nas exportações brasileiras.

Esse enxugamento no número de frigoríficos liberados pela Arábia Saudita ocorre devido a um conjunto de fatores, segundo informações do setor.

Um dos motivos dessa ação dos árabes viria de constatação de irregularidades em alguns frigoríficos, encontradas por técnicos de uma missão árabe que esteve no Brasil no ano passado.

O setor de produção de carne vê, ainda, uma busca de redução da dependência árabe da proteína brasileira. Apesar de todos os empecilhos no país, a Arábia Saudita quer incentivar a produção interna de frango.

Não está descartada uma pressão econômica dos árabes sobre a manifestação política de Jair Bolsonaro de transferir a embaixada brasileira de Tel Aviv para Jerusalém, em Israel.

Uma das grandes preocupações do setor de avicultura é com as recentes posições diplomáticas do governo de Jair Bolsonaro. O receio é que se alastre uma reação contrária ao governo brasileiro pelos países árabes.

Segundo o ex-secretário-geral da Liga Árabe, Amr Moussa, “o mundo árabe está enfurecido” com o Brasil e que o descredenciamento de frigoríficos brasileiros é uma retaliação ao governo de Bolsonaro.

“Essa é uma expressão de protesto contra uma decisão errada por parte do Brasil. Muitos de nós não entendemos o motivo pelo qual o novo presidente do Brasil trata o mundo árabe desta forma”, enfatizou Moussa. (Com informações da FolhaPress)

Diariodopoder.com.br

 


Não sou candidata do governo, diz Simone Tebet ao intensificar campanha para presidir o Senado

 Ela vai enfrentar o senador que responde a 18 inquéritos na polícia

(Oficialmente, o MDB diz ter optado por "independência a favor do país" Foto: Moreira Mariz/AgSenado


Um dia após se lançar oficialmente na disputa pela presidência do Senado, a líder do MDB na Casa, Simone Tebet (MS), disse nesta terça-feira (22) que não é candidata do governo e reclamou da interferência do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, na eleição parlamentar.

Tebet afirmou ter tomado conhecimento de que o DEM manteria a candidatura do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), apesar de o MDB ter a maior bancada da Casa, e que o partido preferiria a candidatura de Renan Calheiros (MDB-AL) por, supostamente, ser um nome mais fácil de ser abatido por causa dos arranhões em sua imagem provocados pelos 18 inquéritos do qual já foi alvo no STF (Supremo Tribunal Federal) -9 casos foram arquivados.

“Por parte do DEM, já tive uma conversa, uma sinalização de que interessaria até para o DEM uma candidatura do Renan contra eles porque, mesmo com voto fechado [secreto], eles acham que poderiam ganhar do MDB. Isso é algo que está circulando dentro do Senado. A princípio, acho que eles estão equivocados”, disse a senadora.

Questionada sobre se entende haver dedo de Lorenzoni, respondeu que sim. “Não tem como não ter”, afirmou. “O que circula na Casa muito fortemente é que o DEM tem uma preferência por uma candidatura do MDB frágil porque o DEM quer a presidência do Senado. É o DEM, não o governo. Porque o governo quer a governabilidade”, disse a senadora, lembrando que “não se vota uma reforma da Previdência sem ter a maior bancada apoiando”.

A senadora disse que não é a candidata do governo, mas que não negaria recebimento de apoio. Oficialmente, o MDB diz ter optado por “independência a favor do país”.

“Vou apoiar iniciativas do governo se achar que é bom para o país”, afirmou Tebet. “Meu problema não é com o governo. Estou dando o benefício da dúvida. Por enquanto é um movimento da bancada do DEM, que já tem três ministérios, disputa a presidência da Câmara e quer a presidência do Senado. Este é um momento em que você tem que ter a balança fiel da tripartição dos poderes.”

O partido do presidente Jair Bolsonaro, PSL, lançou a candidatura do Major Olímpio (SP), mas há indícios de que ele deve recuar.

Tebet afirmou que procurará Renan Calheiros para conversar até esta quarta-feira (23) e não descartou lançar candidatura avulsa caso seja derrotada na disputa interna na bancada do MDB na próxima terça-feira (29).

“A última coisa que pode acontecer é o MDB perder a presidência [do Senado]. Se depender de mim, isso não vai acontecer”, disse a senadora.

Simone Tebet pretendia oficializar sua candidatura somente no fim do mês. Afirmou que decidiu antecipar o movimento por alguns motivos, como a intenção do DEM de enfrentar o MDB. Mas este não é a única razão.

“Diante da dificuldade que estou vendo do apoio de outros colegas à candidatura de Renan, estou me colocando como candidata dentro da bancada”, disse a senadora, que passou o dia conversando com colegas de Senado.(Folhapress)

Diariodopoder.com.br

 


CBTU adere ao ‘desafio dos 10 anos’ e expõe sucateamento na era Lucélio


PorFeliphe Rojas -

A nova moda nas redes sociais é o desafio #10yearschallenge onde os internautas postam fotos de 10 anos atrás e na atualidade.

Resolvendo aderir ao desafio, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos de João Pessoa também postou uma foto de 2009 e de agora.

Na legenda da imagem eles ressaltam que em 2009 tinham apenas o trem antigo e que o VLT era apenas uma promessa esperada, sendo que agora ele é uma realidade.

A postagem quase inocente no entanto, expôs uma deficiência pela qual passava a companhia na época da gestão de Lucélio Cartaxo.

Os VLTs sempre foram promessas do irmão do prefeito mas nunca chegaram enquanto ele ainda respondia pela CBTU, tendo sido implantados apenas no final de 2014, após a sua saída. As informações são do PBAgora.


Secom-PB apresenta novo modelo de veiculação de mídias digitais à Amidi Nos próximos dias, o modelo também será apresentado ao Tribunal de Contas do Estado

 Secom-PB apresenta novo modelo de veiculação de mídias digitais à Amidi
Nos próximos dias, o modelo também será apresentado ao Tribunal de Contas do Estado



Por Redação ClickPB
 

A Amidi elogiou a iniciativa do governo (Foto: Reprodução)
A Secretaria de Estado da Comunicação Institucional apresentou à Associação de Mídias Digitais da Paraíba (Amidi), nesta segunda-feira (21), o novo modelo de procedimento que será adotado pelo Governo do Estado para veiculação de mídias em veículos digitais. O objetivo é profissionalizar e regular a relação do Governo com o setor, com base em acórdão prolatado pelo Tribunal de Contas do Estado, tornando a divulgação das ações institucionais ainda mais eficiente.

O novo modelo é o mesmo adotado pelo Governo Federal, que utiliza como referência o valor de custo/mil de acordo com a tabela dos veículos que manifestem a intenção de trabalhar com o Governo do Estado. Nos próximos dias, o modelo também será apresentado ao Tribunal de Contas do Estado.

A apresentação do novo modelo de veiculação de mídias em veículos digitais foi feita pelo secretário da Comunicação Institucional, Luís Tôrres, em seu gabinete, aos dirigentes da Amid: Heron Cid (presidente), Fábio Targino, Gutemberg Cardoso e Walter Santos.

“Há uma convergência da necessidade que se tem em padronizar a relação com o mercado digital, a fim de que o setor seja valorizado e, especialmente, o Poder Público possa investir da maneira mais eficiente e econômica”, destacou o secretário Luís Tôrres.

A Amidi elogiou a iniciativa do governo. “Queremos elogiar a iniciativa da Secom do Estado e dizer que isso está em completa consonância com o protocolo de intenções que assinamos em reunião no TCE”, disse Heron Cid, presidente da Amidi.


♫ ♪ Um verdadeiro enxame de gente ♫ ♪ : Prefeitura de Campina Grande incha a folha e já conta com 8.105 "apadrinhados" de Romero Rodrigues


Hoje existem 8.105 "sem concursos", na linguagem popular, ou seja, pessoas que não têm vínculo com nenhuma carreira do serviço público municipal e são colocadas por indicação política do prefeito do PSDB.


Por Clilson júnior
 

Além do número exagerado de comissionados, ainda existem os terceirizados (Foto: Reprodução)
A Prefeitura de Campina Grande, administrada pelo tucano Romero Rodrigues, deve ser obrigada a reduzir o número de servidores comissionados e prestadores de serviços que vem inchando a cada dia na atual administração.

Hoje existem 8.105 prestadores de serviços, contra 7.121 efetivos. O número maior dos apadrinhados políticos de Romero é bastante assustador. São os chamados "sem concursos", na linguagem popular, ou seja, pessoas que não têm vínculo com nenhuma carreira do serviço público municipal e são colocadas por indicação política do prefeito do PSDB.

O Ministério Público Estadual da Paraíba deve ajuizar nos próximos dias com uma ação civil pública para diminuir o numero de comissionados e prestadores de serviços, aplicando assim um entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) de que deve haver essa proporcionalidade na administração pública.

Especialistas afirmam que esse exagero na situação atual prefeitura de Campina Grande fere o princípio da moralidade administrativa. Dizem que, se todos os funcionários decidissem trabalhar ao mesmo tempo em um único dia, não haveria espeço físico em Campina Grande para comporta-los.

Além do número exagerado de comissionados, ainda existem os terceirizados. Mas esse assunto eu comento na próxima coluna.

Com a palavra Romero, a Justiça da Paraíba e o Ministério Público Estadual.

 

Clickpb.com.br

 

 


Sidebar Menu